Repositório Digital

A- A A+

Desenvolvimento inicial do Pinheiro Brasileiro (Araucaria Angustifolia) em resposta a diferentes profundidades de enraizamento

.

Desenvolvimento inicial do Pinheiro Brasileiro (Araucaria Angustifolia) em resposta a diferentes profundidades de enraizamento

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Desenvolvimento inicial do Pinheiro Brasileiro (Araucaria Angustifolia) em resposta a diferentes profundidades de enraizamento
Outro título Initial development of Brazilian pine (Araucaria angustifolia) in response to different rooting depths
Autor Korndorfer, Carla Ledi
Orientador Dillenburg, Lucia Rebello
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Botânica.
Assunto Fisiologia vegetal : Crescimento : Araucariaceae : Teses
Resumo A Araucaria angustifolia é uma espécie arbórea de grande importância econômica e ecológica. Uma grande profundidade do solo tem sido apontada como um fator chave para que a espécie atinja seu característico grande porte, mas trabalhos experimentais enfocando os efeitos das propriedades físicas do solo sobre o crescimento da espécie são quase inexistentes. O objetivo deste trabalho foi avaliar e comparar as respostas de crescimento de plantas jovens de A. angustifolia, quando suas raízes são expostas a um mesmo volume de solo, mas a diferentes profundidades de enraizamento. Pinhões foram plantados vasos de diferentes alturas e diâmetros, a fim de se manter o volume de solo constante (3 l). As plantas foram submetidas a quatro profundidades de substrato: 65 (T1), 35 (T2), 20 (T3) e 10 (T4) cm.Havia oito unidades experimentais (plantas) por tratamento, que foram arranjadas em um delineamento de blocos completamente casualizado, cada bloco contendo duas unidades por tratamento. Ao contrário do esperado, após dez meses de cultivo em casa de vegetação, as plantas T3 e T4 tinham acumulado mais massa do que os outros dois grupos, como resultado de ramos mais longos e caules mais grossos, mas a altura média das plantas não diferiu entre os tratamentos. A relação inversa entre profundidade de enraizamento e massa vegetal foi atribuída a uma exploração mais eficiente do solo e a uma maior aeração do sistema radicular mais altamente ramificado e superficial das plantas T3 e T4. Considerando o maior acúmulo de massa por estas plantas, concluiu-se que a restrição da profundidade levou a um maior investimento no crescimento lateral (diâmetro e ramificação) do que vertical, tanto de raízes quanto da parte aérea. Isto foi interpretado com uma resposta plástica compensatória da espécie, para aumento da ancoragem radicular e sustentação da planta.
Abstract Araucaria angustifolia is a tree species of great economical and ecological value. A large soil depth has been regarded as a key factor for the species to reach its characteristic great height, but experimental studies dealing with the effects of soil physical properties on the species growth are mostly lacking. The objective of this study was to evaluate and compare the growth responses of young plants of A. angustifolia, when their roots were exposed to the same soil volume but distinct rooting depths. Seeds were planted in pots of different heights and diameters, so that their soil volumes could be kept the same (3 l). Plants were submitted to four substrate depths: 65 (T1), 35 (T2), 20 (T3), and 10 (T4) cm. There were eight experimental units (plants) in each treatment, and they were arranged in a randomized complete block design, each block containing two units per treatment. Contrary to what was expected, after a 10- month growth period in a glass house, the T3 and T4 plants had accumulated more mass that the other two groups, as a result of longer branches and thicker stems, but the average plant height did not differ among treatments. The inverse relationship between rooting depth and plant mass was attributed to a more efficient soil exploitation and a greater aeration of the more highly branched and shallower root system of T3 and T4 plants. Considering the greater mass accumulation of these plants, we conclude that depth restriction led to a greater investment on lateral (diameter and branching) than on vertical growth of both roots and shoots. This was interpreted as a compensatory response to increase root anchorage and plant support.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/12168
Arquivos Descrição Formato
000606669.pdf (745.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.