Repositório Digital

A- A A+

Envelhecer saudável no mundo do trabalho : uma análise da intenção dos educandos no módulo "saúde e cidadania" do Programa Integrar

.

Envelhecer saudável no mundo do trabalho : uma análise da intenção dos educandos no módulo "saúde e cidadania" do Programa Integrar

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Envelhecer saudável no mundo do trabalho : uma análise da intenção dos educandos no módulo "saúde e cidadania" do Programa Integrar
Autor Gomes, Ângela
Orientador Doll, Johannes
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Envelhecimento
Interação
Saúde
Sujeito
Trabalho
[en] Aging
[en] Education
[en] Health
[en] Illness
[en] Work
Resumo Este estudo analisa a proposta de inclusão do tema “Processo de envelhecimento no currículo do Programa Integrar”, dentro do módulo “Saúde e Cidadania”, bem como, um acompanhamento crítico-reflexivo dessa mudança curricular. Promove a reflexão sobre saúde e processo de envelhecimento para os educandos e propõe, a partir desta experiência, a inclusão desta temática no currículo do Programa Integrar de forma permanente para todos os seus núcleos. Assim como, propor a inclusão da temática também no currículo do PROEJA (Programa Nacional de Integração da Educação profissional à Educação Básica). Esta pesquisa desenvolveu-se em um dos núcleos do Programa Integrar/RS, com uma turma do Ensino Fundamental, formada por trinta e quatro educandos. O período de realização deste módulo totalizou 200 horas de atividades referentes às áreas de conhecimento e práticas de informática. Esta pesquisa, cuja abordagem é qualitativa, utiliza alguns elementos da pesquisa-ação. Realizou-se trinta e três entrevistas individuais semi-estruturadas, questionários com todos os educandos, observações em sala de aula e material produzido pelos mesmos. Inicialmente a coleta de dados teve como objetivo conhecer qual o entendimento que os educandos tinham sobre saúde, doença e envelhecimento; o que eles gostariam de saber sobre este tema, que tipo de trabalho realizam e se este causa algum problema de saúde. A partir desta coleta foram traçados temas de interesse dos alunos que foram trabalhados nesse módulo. Para a análise dos dados, priorizou-se uma abordagem qualitativa com base em categorias e interpretações para dar conta da “realidade” estudada. As análises das categorias apontam que a maioria dos educandos voltou a estudar para se manter ou conseguir um trabalho e definiu saúde como “poder trabalhar” com o sentido de estar empregado e doença como aquela que impede as pessoas de trabalharem. Em relação à velhice, expressaram o medo de ficar velhos e doentes; o medo da dependência, abandono e solidão; e alguns relataram que é importante se preparar para a velhice. Paralelamente a temática do envelhecimento se discutiu/refletiu sobre saúde e cidadania buscando a conscientização de que para que haja mudança deve haver esforço, participação e responsabilidade de todos na luta por seus direitos. Evidenciou-se que, inicialmente, os educandos tinham resistência em falar e estudar sobre saúde e envelhecimento, mas à medida que foi compartilhada as histórias de vidas e materiais que abordaram estes temas, se perceberam sujeitos coletivos na busca por melhores condições de trabalho, educação, saúde, moradia e um envelhecimento digno. Este estudo é relevante porque buscou não prescrever regras de comportamento e sim, gerar oportunidades para que os educandos pudessem estar refletindo/discutindo novas formas de pensar valores, crenças e expectativas sociais e individuais referentes ao processo de envelhecimento, de forma a oportunizar escolhas conscientes de qualidade de vida e a redução de preconceitos e estereótipos em relação à velhice.
Abstract This study is aimed at analyzing the tentative inclusion of the theme of aging in the curriculum of Programa Integrar (as part of the “Health and Citizenship” module) and at presenting a critical assessment of this curricular change. Based on the positive outcome of debates on health and aging promoted among students, the permanent inclusion of this theme in the curriculum of Programa Integrar is argued for. The present study is also aimed at offering insights into the inclusion of aging as a theme in Youth and Adult Education to that of PROEJA (National Program of Integration of Professional Education and Youth and Adult Basic Education). This research was conducted in one of the units of Programa Integrar/RS focusing an elementary level class with thirty-four students. The 200-hour module on “Health and Citizenship” involved activities covering content knowledge areas and computer lab practice. The present study was a qualitative investigation that employed some elements of action research methodology. Research data included thirty-three semi-structured individual interviews, questionnaires answered by all students, classroom observation and collection of materials produced by students. Data collection was initially focused on revealing students’ perspectives on health, illness and aging, what they wanted to learn about these themes, what their jobs were and if they caused any health problem. Based on this information, themes that interested students were chosen to be discussed in the “Health and Citizenship” module. Qualitative data analysis adopted was based on categories and interpretations so that the context under investigation could be fully assessed. Category analysis revealed that most students returned to school intending to maintain their jobs or to find one. They defined health as “capacity to work” (in the sense of being employed) and illness as that which prevents people from working. In relation to aging, they expressed fear of growing older and becoming ill, fear of dependency, abandonment and isolation and some of them reported the importance of being ready to cope with aging. Along with the theme of aging, health and citizenship were also discussed in order to foster students’ awareness that changes demand effort, participation and commitment in the struggle for their rights. It was observed that, whereas students were initially reluctant to talk about and discuss health and aging, as personal histories were shared and materials dealing with these themes were introduced, they realized their status as a group in search of better working conditions, education, health and living conditions and decent standards of living. In conclusion, this study was not aimed at prescribing behavioral rules, but at providing opportunities for students to discuss and find alternative ways to deal with values, beliefs and social and individual expectations in relation to aging, thus improving their quality of life and challenging prejudice and stereotypes in relation to the elderly.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/12187
Arquivos Descrição Formato
000623374.pdf (1.082Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.