Repositório Digital

A- A A+

#precisamos falar sobre aborto : um estudo dos comentários na campanha da Revista TPM no Facebook

.

#precisamos falar sobre aborto : um estudo dos comentários na campanha da Revista TPM no Facebook

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título #precisamos falar sobre aborto : um estudo dos comentários na campanha da Revista TPM no Facebook
Autor Kilpp, Jéssica Caroline
Orientador Jacks, Nilda Aparecida
Co-orientador Mazer, Dulce Helena
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação. Curso de Comunicação Social: Habilitação em Jornalismo.
Assunto Aborto
Estudos de gênero
TPM, Trip para Mulher (Revista)
[en] Abortion
[en] Feminism
[en] Gender
[en] Magazine journalism
[en] Webjournalism
Resumo Este trabalho analisa de que forma os leitores da Revista TPM se posicionaram no Facebook em relação à legalização do aborto no Brasil durante a campanha Precisamos Falar Sobre Aborto, entre outubro e dezembro de 2014. Parte-se dos Estudos Culturais e de recepção, bem como das Teorias do Jornalismo, para pensar a noção de receptores ativos na comunicação. Discute-se o jornalismo de revista segmentado como um dos caminhos para pautar a temática do aborto e a forma como a Revista TPM rompe com um modelo masculino de produção jornalística. Aborda-se a partir da teoria feminista e dos estudos de gênero a interferência do sistema sexo/gênero nas compreensões sociais sobre a maternidade, que atribui à mulher um papel de mãe com base em diferenças biológicas. Através de um Estudo de Caso qualitativo de 1.535 argumentos contrários e favoráveis à legalização do aborto, organizados em 14 categorias distintas, utiliza-se o gênero como categoria de análise para compreender a diferença entre as opiniões de homens e mulheres. Quantitativamente, predominam opiniões contrárias à legalização, sendo 674 comentários Contra e 536 A favor. Ainda, predominam mulheres favoráveis e homens contrários, sendo 512 comentários de mulheres e 24 de homens favoráveis e 381 de mulheres e 293 de homens contrários. Conclui-se que na Internet se reforça a existência de um novo feminismo, mas que ainda é atribuído às mulheres o papel e a responsabilidade social sobre a reprodução.
Abstract This paper analyzes how readers of Revista TPM position themselves on Facebook in relation to legalization of abortion in Brazil during the campaign Precisamos Falar sobre Aborto, between October and December 2014. It uses Cultural Studies and reception, as well as Theories of Journalism, to think the notion of active receivers in communication. It discusses targeted magazine journalism as one of the ways to guide abortion issues and the way Revista TPM breaks with a male model of journalistic production. It is approached from feminist theory and gender studies interference of sex/gender system in social understandings about motherhood, which assigns to women a mother role based on biological differences. Through a qualitative case study of 1,535 arguments against and in favor of legalizing abortion, organized into 14 distinct categories, genre is used as an analytical category to understand differences between opinions of men and women. Quantitatively, predominant opinions are contrary to legalization, with 674 comments against and 536 in favor. Most women are favorable and most men are contrary, with 512 comments of women and 24 of men in favor and 381 of women and 293 of men against. We conclude that Internet enhances the existence of a new feminism, but that is still assigned to women the role and social responsibility on reproduction.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/125958
Arquivos Descrição Formato
000971857.pdf (2.192Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.