Repositório Digital

A- A A+

Expressão da proteína p53 em diferentes níveis de fotoenvelhecimento da pele

.

Expressão da proteína p53 em diferentes níveis de fotoenvelhecimento da pele

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Expressão da proteína p53 em diferentes níveis de fotoenvelhecimento da pele
Autor Castro, Inês Alencar de
Orientador Bakos, Lucio
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina : Ciências Médicas.
Assunto Envelhecimento da pele
Pele : Efeitos de radiacao
Proteína supressora de tumor p53
Resumo Este estudo se propõe a avaliar a expressão da proteína p53 em queratinócitos de antebraços de indivíduos com níveis diferentes de fotoenvelhecimento. O fotoenvelhecimento é um processo crônico definido por alterações fisiológicas, histológicas e clínicas, induzidas pela radiação ultravioleta. A radiação solar é considerada o mais importante carcinógeno em humanos, induzindo e promovendo alteração de DNA nos queratinócitos até a conversão maligna. A expressão do p53, gene supressor de tumores, seria o grande marcador genético da tendência à malignização induzida pela radiação ultravioleta. As mutações no gene p53 precedem o câncer de pele, mas não está determinado em que momento. A importância da avaliação desta proteína no fotoenvelhecimento, seria para avaliar um indicador de mutação no gene p53 precocemente às lesões malignas, e, portanto, melhor compreender e prevenir o câncer de pele não-melanoma. Sessenta pacientes com fototipo II e fotoenvelhecimento cutâneo foram avaliados segundo dois critérios: quanto à presença de ceratoses actínicas, grupo A, e quanto à presença de atrofia cutânea associada à elastose ou ao intenso ressecamento, grupo B. Ambos os grupos, com 60 pacientes, foram divididos em dois níveis: leve e grave. Câncer de pele diagnosticado previamente foi critério de exclusão. Os dois grupos, de forma independente, foram comparados quanto à expressão da proteína p53 através do método de imunoistoquímica. Biópsias foram realizadas em pele exposta ao sol de antebraço esquerdo, para avaliação histológica e pelo método de imunoistoquímica. O p53 estava expresso em todas as biópsias, sendo encontrada, no grupo A, mediana de 10,8 (2,8 -23,3) no nível leve, com 43 pacientes e mediana de 20 (9,5 -26,3) no nível grave, com 17 pacientes. No grupo B, mediana de 11.3 (3,0 -22,9) no nível leve, com 36 pacientes, e mediana de 18,8 (5,4 -26,7) no nível grave, com 24 pacientes. As diferenças entre os níveis leve e grave, segundo os dois critérios, não foram significativas estatisticamente. Nesta amostra, não se encontrou diferença estatística quanto à expressão da proteína p53 nos diferentes níveis de fotoenvelhecimento. Diversas hipóteses podem justificar o resultado, sendo possível que as alterações moleculares no fotoenvelhecimento sejam muito precoces aos cânceres de pele.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/12621
Arquivos Descrição Formato
000622889.pdf (1.834Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.