Repositório Digital

A- A A+

Freqüência de anticorpos para Babesia spp. em bovinos da região de Encruzilhada do Sul, RS, Brasil e sua correlação com a infecção da hemolinfa de carrapatos Boophulis microplus

.

Freqüência de anticorpos para Babesia spp. em bovinos da região de Encruzilhada do Sul, RS, Brasil e sua correlação com a infecção da hemolinfa de carrapatos Boophulis microplus

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Freqüência de anticorpos para Babesia spp. em bovinos da região de Encruzilhada do Sul, RS, Brasil e sua correlação com a infecção da hemolinfa de carrapatos Boophulis microplus
Autor Correia, Thanara Louzada Carneiro de
Orientador Araujo, Flávio Antônio Pacheco de
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Veterinária. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias.
Assunto Anticorpos
Babesia spp : Bovinos
Babesiose : Teste : Diagnostico
Boophilus microplus : Carrapatos
Diagnostico laboratorial : Parasitologia
[en] Boophilus microplus
[en] Cattle
[en] Hemolymph
[en] Sorologic results
[en] Ticks
Resumo Foi determinada a frequência de anticorpos para Babesia bovis e Babesia bigemina em bovinos de 6-11 meses em 6 propriedades rurais da região de Encruzilhada do Sul, RS, Brasil e sua correlação com a infecção da hemolinfa de teleóginas de Boophilus microplus. A pesquisa dos anticorpos foi realizada através da técnica de Imunofluorescência Indireta e o exame nas teleóginas através de esfregaço de hemolinfa corado com Giemsa. Ambas técnicas foram efetuadas no Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor (IPVDF). Das 379 amostras de soros bovinos, 179 (47,23%) foram positivas para B. bovis e/ou B. bigemina. O trabalho foi realizado num total de 6 propriedades de Encruzilhada do Sul, entre as quais a propriedade 5 obteve mais animais positivos, enquanto que a propriedade 1 obteve o maior número de animais negativos.Nos esfregaços de hemolinfa nenhum resultado positivo foi encontrado, assim sendo, não houve correlação entre a sorologia e a infecção da hemolinfa das teleóginas por vermículos de Babesia spp. Na análise estatística, comparou-se os resultados obtidos nas diferentes propriedades. Com base nestes resultados, pode-se concluir que a frequência de anticorpos para Babesia spp detectada neste trabalho foi de 47,23%, ficando abaixo do índice que caracteriza uma zona de instabilidade enzoótica para Tristeza Parasitária Bovina (TPB).
Abstract Was determined the frequency of antibodies for Babesia bovis and Babesia bigemina in cattle between 6-11 months of age in six farms of Encruzilhada do Sul, RS, Brazil and its correlation with the female ticks Boophilus microplus hemolymph infection. All laboratory thecniques were done at Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor (IPVDF). From the 379 cattle analysed samples, 179 (47,23%) were positive for B. bovis and/or B. bigemina. In hemolymph tests, all samples were negative. Based on those results, did not heve any correlation between sorologic results and hemolymph infection and the frequency of antibodies for Babesia spp. detected at this work was 47,23%, caracterizing a instability zone for Tristeza Parasitária Bovina (TPB).
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/12702
Arquivos Descrição Formato
000633187.pdf (291.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.