Repositório Digital

A- A A+

Avaliação do ângulo de fase da bioimpedância elétrica em pacientes pneumopatas : relação com parâmetreos clínicos e nutricionais

.

Avaliação do ângulo de fase da bioimpedância elétrica em pacientes pneumopatas : relação com parâmetreos clínicos e nutricionais

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação do ângulo de fase da bioimpedância elétrica em pacientes pneumopatas : relação com parâmetreos clínicos e nutricionais
Autor Cardoso, Fernanda Chaves
Orientador Souza, Carolina Guerini de
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Doença pulmonar obstrutiva crônica
Estado nutricional
Hipertensão pulmonar
Resumo Introdução: O Ângulo de Fase (AF) da Bioimpedância elétrica tem sido considerado um dos melhores indicadores de função de membrana celular (permeabilidade, propriedades elétricas) e de alterações na quantidade e qualidade de tecidos moles. Estudos demonstram a sua associação com prognóstico e sobrevida em diversas patologias como insuficiência cardíaca, insuficiência renal, cirrose hepática, esclerose lateral amiotrófica, câncer, dentre outras. Porém poucos estudos o avaliaram em pneumopatas. Baseado nisto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o AF de pacientes acometidos por Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e Hipertensão pulmonar (HP) e sua correlação com parâmetros nutricionais e funcionais destes indivíduos. Métodos: Trata-se de um estudo de série de casos, no qual participaram um total de 9 indivíduos em acompanhamento nos ambulatórios de pneumologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, sendo estes avaliados em relação ao Índice de Massa Corporal (IMC), espessura do músculo adutor do polegar (EMAP), AF, Índice de Massa Livre de Gordura (IMLG), Avaliação Subjetiva Global (ASG), Volume Expiratório Forçado em 1 segundo (VEF1), Teste de caminhada de 6 minutos (TC6M) e Escala de Dispnéia Modificada do Medical Research Council (MMRC). Resultados: 44% dos pacientes apresentaram DPOC e 56% HP, sendo a amostra composta por 7 mulheres e dois homens, com média de idade de 55±9,4 anos. Os pacientes apresentaram bom desempenho no TC6M e limitação moderada do fluxo de ar. O AF médio dos indivíduos foi de 6,6±1,2º e apresentou correlação positiva com IMC, IMLG, TC6M e negativa com a idade e escala MMRC. O IMLG apresentou correlação negativa com a escala MMRC e positiva com TC6M, IMC e EMAP. Conclusão: Embora com as correlações encontradas, o AF encontrado nesta série de casos foi superior ao esperado assim como o estado nutricional e testes funcionais dos indivíduos. Devido tamanho da amostra, maior limitação deste estudo, não foi possível encontrar resultados conclusivos, fazendo-se necessário o seguimento deste, além da necessidade de outros estudos, para que possa haver complementação de resultados e conclusões melhor fundamentadas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/127121
Arquivos Descrição Formato
000973625.pdf (834.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.