Repositório Digital

A- A A+

Estudo da audição em frequências ultra-altas e emissões otoacústicas em pacientes com hemoglobinopatias : diferentes faixas etárias de duração da doença e de exposição ao tratamento: o impacto das hemoglobinopatias na audição

.

Estudo da audição em frequências ultra-altas e emissões otoacústicas em pacientes com hemoglobinopatias : diferentes faixas etárias de duração da doença e de exposição ao tratamento: o impacto das hemoglobinopatias na audição

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estudo da audição em frequências ultra-altas e emissões otoacústicas em pacientes com hemoglobinopatias : diferentes faixas etárias de duração da doença e de exposição ao tratamento: o impacto das hemoglobinopatias na audição
Autor Weigert, Liese Loureiro
Orientador Menna Barreto, Sérgio Saldanha
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente.
Assunto Anemia falciforme
Audição
Audiometria
Hemoglobinas
Perda auditiva
[en] Audiometry
[en] Hearing
[en] Hearing loss
[en] Hemoglobin
[en] Sickle cell anemia
Resumo Introdução: O sistema auditivo é um sistema complexo, constituído de estruturas sensoriais e conexões centrais responsáveis pela audição. Qualquer injúria a esse sistema poderá levar à perda de audição. As hemoglobinopatias como a anemia falciforme e talassemia podem afetar o sistema auditivo tanto pelas complicações intrínsecas da doença (vasoclusões, isquemia da estria vascular), como pelo tratamento utilizado para combater sua evolução (quelantes de ferro). Objetivo: Estudar frequências ultra-altas e emissões otoacústicas em grupos de pacientes com hemoglobinopatias de diferentes faixas etárias, analisando-se a influência dos tempos, duração da doença e de exposição ao tratamento. Método: Estudo transversal, observacional, prospectivo, analítico em pacientes do ambulatório de hemoglobinopatias do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Foi realizada audiometria convencional de 125 Hz a 8.000 Hz, audiometria em frequências ultra-altas de 9.000 Hz a 16.000 Hz, emissões otoacústicas e imitanciometria. Resultados: A amostra caracterizou-se por abranger 49 indivíduos com hemoglobinopatias, sendo vinte e três na faixa etária de 7 a 20 anos de idade (46,9%) e vinte e seis na faixa etária de 21 a 35 anos de idade (53,1%). A idade em anos foi em média de 11,6 ± 2,76 no grupo de crianças/adolescentes e de 28,1% ± 4,07 no grupo de adultos. Nas frequências ultra-altas os adultos apresentaram maior perda auditiva quando comparados com as crianças e adolescentes (65,4% vs 17,4%; p=0,002). No grupo de 21 a 35 anos, houve diferença entre as frequências, sendo mais elevada nas ultra-altas (p<0,001). Os adultos apresentarem limiares auditivos significativamente mais elevados que as crianças/ adolescentes nas frequências de 4.000 Hz e de 8.000 a 16.000 Hz. Conclusão: A perda auditiva neurossensorial foi prevalente, principalmente, nas frequências ultra-altas nos adultos. Os achados sugerem que há influência da duração da doença e da exposição ao tratamento na perda de audição.
Abstract Introduction: The auditory system is a complex system consisting of sensory and central connections responsible for hearing structures. Any injury to this system may lead to hearing loss. Hemoglobinopathies such as sickle cell anemia and thalassemia can affect the auditory system both the intrinsic complications of the disease (vascular occlusions, the groove vascular ischemia), as the treatment used to combat its evolution (iron chelators). Objective: To study ultra-high frequencies and otoacoustic emissions in groups of patients with hemoglobinopathies of different age groups, analyzing the influence of time, duration of disease and exposure to treatment. Methods: Cross-sectional study, observational, prospective, analytic patients in the hemoglobinopathies clinic of Porto Alegre Clinical Hospital (HCPA). Conventional audiometry was carried out from 125 Hz to 8,000 Hz, audiometry in ultra-high frequency of 9,000 Hz to 16,000 Hz, otoacoustics emissions and impedance. Results: The sample was characterized by cover 49 subjects with hemoglobinopathies, twenty-three in the age group 7-20 years of age (46.9%) and twenty-six in the age group 21-35 years (53 , 1%). The age in years averaged 11.6 ± 2.76 in the group of children / adolescents and 28.1% ± 4.07 in the adult group. In ultra-high frequencies adults showed greater hearing loss compared to children and adolescents (65.4% vs 17.4%; p = 0.002). In the group 21-35 years, there was difference between the frequencies being higher in ultra-high (p <0.001). Adults are significantly higher hearing thresholds that children / adolescents in the frequencies of 4,000 Hz and 8,000-16,000 Hz. Conclusion: Sensorineural hearing loss was prevalent, especially in the ultra-high frequency in adults. The findings suggest that there is influence of duration of disease and exposure to treatment in hearing loss.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/127242
Arquivos Descrição Formato
000973449.pdf (2.836Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.