Repositório Digital

A- A A+

Políticas de recursos humanos e qualidade de vida no trabalho em redes hoteleiras

.

Políticas de recursos humanos e qualidade de vida no trabalho em redes hoteleiras

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Políticas de recursos humanos e qualidade de vida no trabalho em redes hoteleiras
Autor Höpner, Aline
Orientador Piccinini, Valmiria Carolina
Data 2008
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Programa de Pós-Graduação em Administração.
Assunto Administração de recursos humanos
Condições de trabalho
Gestão de pessoas
Hotelaria
Qualidade de vida : Trabalho
Recursos humanos : Politica
[en] Hotel sector
[en] Policy of human resources and quality of life at work
Resumo Na década de 1990 o setor hoteleiro brasileiro experimentou um desenvolvimento mais acentuado com a abertura do mercado e a crescente competitividade imposta pela entrada de novas redes. A cobrança por qualidade e diferenciação de produtos e serviços passou a ser um dos determinantes da sobrevivência de muitos empreendimentos, especialmente os localizados em grandes centros voltados ao público de negócios. Neste contexto, a prestação de serviços e, a conseqüente o papel das pessoas nas organizações se mostrou cada vez valorizada. Assim, compreender como estão estruturadas as políticas de recursos humanos de redes nacionais e internacionais de hotéis instalados no Brasil, bem como as possíveis diferenças existentes entre eles foi o ponto de partida da reflexão desta dissertação que teve por objetivo verificar o reflexo destas políticas na qualidade de vida no trabalho dos que atuam no setor. Se mostrou relevante identificar o perfil destes trabalhadores dada a demanda por trabalhadores qualificados neste setor segundo a literatura. Para cumprir tais objetivos, foram realizados três estudos de caso, sendo o primeiro em uma rede de origem internacional – “A”- e duas de origem nacional - “B”e “C” -. Foram coletadas informações por meio de entrevistas semi-estruturadas e questionários. As entrevistas foram realizadas pela pesquisadora com gerentes de recursos humanos das três redes e funcionários em cargos de chefia, como também aplicados questionário a 42 funcionários em nível de chefias e a 165 funcionários que ocupavam diversos cargos em nível operacional, totalizando 207 questionários respondidos. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva utilizando o software SPSS, enquanto as informações provenientes das entrevistas foram analisadas com a técnica de análise interpretativa. As técnicas de análise quali-quantitativa permitiram compreender a relevância das políticas de recursos humanos, os princípios que as regem e seu reflexo na qualidade de vida dos trabalhadores do setor. Os resultados mostram que a preocupação de todas as redes é com a rotatividade e falta de mão de obra qualificada. Os trabalhadores ressentem-se de um trabalho que não permite compatibilizar trabalho e lazer e pelos baixos salários pagos no setor. As redes apresentam políticas distintas no que concerne a gestão de pessoas, sendo a internacional a que apresentou políticas mais estruturadas e voltadas à melhor qualidade de vida no trabalho, sem que, no entanto estas práticas de QVT ocorressem em todas as unidades e fossem voltadas necessariamente ao bem estar dos funcionários. Os funcionários desta rede foram os que avaliaram melhor todas dimensões de QVT pesquisadas. As redes nacionais B e C mostraram que ainda têm um longo caminho a trilhar no que tange a adoção de políticas e práticas de recursos humanos uniformes para a rede e que valorizem os seus recursos humanos permitindo a estes sentirem-se satisfeitos em seu local de trabalho, visto que as práticas adotadas parecem não estar atendendo aos anseios dos funcionários, dada a avaliação negativa de número expressivo de respondentes para a maioria das dimensões analisadas na pesquisa.
Abstract In the decade of 1990 the Brazilian hotel sector experienced a more stressed development after the opening of the market and the growing competition imposed by the entry of new chains. The demand for quality and originality of products and services has become one of the main surviving points for many undertakings, specially the ones located in big centers focused in the business public. Within this context, the offering of services and the resulting role of some people in the organizations has become more valuable. Therefore understanding the policy of human resources of national and international chains of hotels installed in Brazil as well as the possible existing differences among them has been the starting point for reflecting in this dissertation which had for goal to verify the reflex of such policy in the quality of life at work of its participants. It has been relevant to identify the profile of workers due to the demanding for qualified workers in this sector according to the literature. In order to comply such objectives three studies of case have been carried out being the first in a international chain – ''A'' – and the second in two domestic chains - “B” and “C” -. Information was collected through semi-structured interviews and questionnaires. The interviews were carried out by the researcher along with the managers of human resources from the three chains and employees in commanding staff as well as questionnaires were applied to 42 employees in commanding staff and to 165 employees which were in several operational employments to conclude the total of 207 responded questionnaires. The data was analyzed by descriptive statistics using a SPSS software while the information from the interviews was analyzed after the technique of interpreting analysis. The techniques of quantitative-qualitative analysis have allowed understanding the significance of the human resources policy, the principles that it is focused and their result in this sector workers' quality of life. Results show that the concern of every chain is regarding the constant changing of employees and the lack of qualified professionals. Workers complain about the impossibility of having both work and leisure as part of their routine as well as for the low wages paid in the sector. The chains have presented distinct policies regarding the managing of people, having the international one demonstrated a more organized structure regarding its policy for a best quality of life at work although not necessarily in all the units and to the well being of the employees. The employees of this chain were the ones who better evaluated the researched dimensions of quality of life at work (QLW). The national chains B and C have demonstrated they still have a long way to achieve, regarding the use of an even policy within their chains which value their human resources, allowing workers to feel satisfy in their working place, since the so far carried on practices seem to have not been attending to the expectation of the employees, due to the expressive number of negative evaluation within most of the research dimensions.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/12747
Arquivos Descrição Formato
000632042.pdf (3.227Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.