Repositório Digital

A- A A+

Viabilidade técnica da construção de banhados no espaço urbano para controle quali-quantitativo do escoamento pluvial

.

Viabilidade técnica da construção de banhados no espaço urbano para controle quali-quantitativo do escoamento pluvial

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Viabilidade técnica da construção de banhados no espaço urbano para controle quali-quantitativo do escoamento pluvial
Autor Martins, Lucas Rangel
Orientador Dornelles, Fernando
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo O crescimento das áreas urbanas ocorrido no último século aconteceu de forma desordenada, moldando o cenário atual da infraestrutura urbana, que apresenta inúmeras deficiências. A inadequação da infraestrutura de drenagem urbana, quando combinada à falta de controle do uso e ocupação do solo, pode ocasionar alagamentos nas áreas mais baixas das cidades. Para solucionar este problema, tem-se adotado como soluções o uso de bacias de detenção e o controle do uso e ocupação do solo das cidades. Frente a essas soluções, este estudo propõe o uso de um recurso que prevê, não só o controle quantitativo, mas também qualitativo do escoamento pluvial urbano. A expectativa é que os banhados construídos para controle do escoamento pluvial urbano, além de amortecerem os picos dos hidrogramas, também removam parte de seus contaminantes. Através de modelagem numérica, gerou-se o escoamento pluvial de uma área do Município de Porto Alegre e deu-se entrada no modelo numérico desenvolvido para simular os benefícios que o banhado construído pode oferecer à área com o seu escoamento controlado. O banhado apresentou uma redução na vazão máxima do hidrograma de entrada em 300 vezes quando comparado ao hidrograma de saída do dispositivo, o que representa uma redução de 97% no pico do hidrograma. Além disso, apresentou uma remoção de 42%, 65% e 98% de nitrogênio (medido em amônia), carga orgânica (medida em DBO5) e sólidos suspensos totais respectivamente. Para a construção de um banhado na região estudada, que apresente tais níveis de controle quali-quantitativo, a área ocupada pelo dispositivo é de 2139 m², ocupando apenas 1,8% da área drenada. Utilizando-se de tais resultados, estimou-se a potencial remoção que ocorreria, caso outros dispositivos de controle existentes no Município fossem adaptados para funcionarem como banhados. Encontraram-se valores significativos de remoção, variando em cada situação de acordo com a razão entre área do dispositivo e área contribuinte. Observando-se as limitações dos modelos e dos dados de entrada, recomendou-se que caso esta pesquisa seja levada adiante, deve-se aumentar a complexidade dos modelos, assim como, melhorar a qualidade dos dados de entrada. Dessa forma, pode-se analisar a resposta do dispositivo no longo prazo. Recomenda-se que os órgãos competentes pela gestão da drenagem urbana dos Municípios se atenham a tal solução, contemplando em seus planos diretores de drenagem urbana soluções que preveem além do controle quantitativo, o controle qualitativo do escoamento pluvial.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/127702
Arquivos Descrição Formato
000970947.pdf (5.691Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.