Repositório Digital

A- A A+

Degradation of cyanotoxins (microcystin) in drinking water using photoelectrooxidation

.

Degradation of cyanotoxins (microcystin) in drinking water using photoelectrooxidation

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Degradation of cyanotoxins (microcystin) in drinking water using photoelectrooxidation
Outro título Degradação de cianotoxinas (microcistinas) em água potável aplicando fotoeletrooxidação
Autor Garcia, Ana Cristina de Almeida
Rodrigues, Marco Antonio Siqueira
Xavier, José Luis Neves
Gazulla, V.
Meneguzzi, Alvaro
Bernardes, Andrea Moura
Abstract The discharge of sewage and industrial effluents containing high concentrations of pollutants in water bodies increases eutrophication. Cyanobacteria, some of the organisms whose growth is promoted by high nutrient concentrations, are resistant and produce several types of toxins, known as cyanotoxins, highly harmful to human beings. Current water treatment systems for the public water supply are not efficient in degradation of toxins. Advanced oxidation processes (AOP) have been tested for the removal of cyanotoxins, and the results have been positive. This study examines the application of photoelectrooxidation in the degradation of cyanotoxins (microcystins). The performance of the oxidative processes involved was evaluated separately: Photocatalysis, Electrolysis and Photoelectrooxidation. Results showed that the electrical current and UV radiation were directly associated with toxin degradation. The PEO system is efficient in removing cyanotoxins, and the reduction rate reached 99%. The final concentration of toxin was less than 1 μg/L of microcystin in the treated solution.
Resumo A descarga de esgotos e efluentes industriais contendo altas concentrações de poluentes nos corpos d’água aumenta a eutrofização. As cianobactérias, são organismos cujo crescimento é promovido por concentrações elevadas de nutrientes, são resistentes e produzem vários tipos de toxinas conhecidas, como cianotoxinas, altamente prejudiciais para os seres humanos. Os sistemas atuais de tratamento de água para o abastecimento público de água não são eficientes na degradação destas toxinas. Processos oxidativos avançados (POA) foram testados para a remoção de cianotoxinas, e os resultados têm sido positivos. Este estudo avalia o processo de fotoeletrooxidação (FEO) na degradação de cianotoxinas (microcistinas). Foi avaliado o desempenho dos processos envolvidos separadamente: fotocatalisis, eletrólise e fotoeletrooxidação. Os resultados mostram que a potencia da radiação UV e da corrente elétrica estão diretamente associados com a degradação de toxinas. O sistema de FEO é eficiente na remoção de cianotoxinas e a redução foi de 99%. A concentração final de toxina foi inferior a 1 g / L de microcistina na solução tratada.
Contido em Brazilian journal of biology. São Carlos, SP. Vol. 75, no. 2, suppl. (May 2015), p. 45-49
Assunto Cianobactérias
Fotoeletrooxidação
Tratamento da agua
[en] Advanced oxidation process
[en] Cyanotoxin
[en] Microcystin
[en] Photoelectrooxidation
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/127862
Arquivos Descrição Formato
000973866.pdf (842.5Kb) Resumo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.