Repositório Digital

A- A A+

Relação entre as dimensões do modelo desequilíbrio esforço-recompensa, resiliência e níveis de cortisol salivar em policiais militares

.

Relação entre as dimensões do modelo desequilíbrio esforço-recompensa, resiliência e níveis de cortisol salivar em policiais militares

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Relação entre as dimensões do modelo desequilíbrio esforço-recompensa, resiliência e níveis de cortisol salivar em policiais militares
Outro título Relationship among dimensions of the effort-reward imbalance model, resilience, and salivary cortisol levels in police officers
Outro título Relación entre las dimensiones del modelo desequilibrio esfuerzo-recompensa, resiliencia y niveles de cortisol salivar en policías militares
Autor Tavares, Juliana Petri
Orientador Lautert, Liana
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Estresse fisiológico
Estresse psicológico
Policial militar
Resiliência psicológica
Saúde do trabalhador
[en] Occupational health
[en] Police
[en] Resilience, psychological
[en] Stress, physiological
[en] Stress, psychological
[es] Estrés fisiológico
[es] Estrés psicológico
[es] Policia
[es] Resiliencia psicológica
[es] Salud laboral
Resumo Policiais militares constituem uma das categorias de trabalhadores com maior risco de morte e de exposição ao estresse. Este estudo teve como objetivo analisar as dimensões do Modelo Desequilíbrio Esforço-Recompensa, a resiliência e o nível de cortisol salivar em policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Polícia Militar de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Desenvolveu-se um estudo transversal, vinculado ao projeto intitulado “Impacto do estresse e de técnicas de relaxamento na variabilidade da frequência cardíaca em policiais militares”, que foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa da UFRGS sob o nº 19785. A amostra se constituiu de 134 policiais militares. As variáveis independentes foram as dimensões do Modelo Desequilíbrio Esforço-Recompensa e a resiliência, coletados por meio das escalas Desequilíbrio Esforço-Recompensa (DER) e de Resiliência, respectivamente. O desfecho foi o cortisol salivar, coletado em três amostras (ao acordar, 30 minutos após acordar e à noite) de cada policial. Utilizou-se a estatística descritiva e analítica para a análise dos dados, considerando estatisticamente significativo p<0,05. Realizou-se a análise fatorial das escalas de estresse e resiliência. Respeitaram-se os preceitos éticos de acordo com a Resolução 466/12. O estresse psicossocial foi identificado em 17,2% dos policiais do BOE. Quando associado às dimensões do Modelo DER e escores de resiliência, observou-se correlação positiva entre escores fatoriais de Recompensa e resiliência (r=0,380; p<0,001) e negativa entre escores de esforço e resiliência (r=-0,243; p=0,005). No modelo final de regressão verificou-se que as variáveis pertencer ao Grupo de Operações Táticas Especiais (GATE) e pressão arterial diastólica explicaram 13,5% da variabilidade do cortisol ao acordar. Identificou-se que os setores GATE, Patrulha Especial da Tropa de Elite da Polícia Militar (PATRES) e Motociclistas explicaram 21,9% da variabilidade do cortisol de 30 minutos após acordar. As variáveis setor GATE e a Dimensão Esforço explicaram a variabilidade do cortisol Noite em 27,7%. A partir dos resultados deste estudo foi possível identificar a baixa prevalência de estresse psicossocial entre os policiais, embora alguns aspectos laborais estejam associados às alterações de cortisol salivar.
Abstract Military officers are one of the categories of workers with higher risk of death and exposure to stress. This study aimed to analyze the dimensions of the Effort-Reward Imbalance Model, resilience, and the level of salivary cortisol of special force police officers from the “Batalhão de Operações Especiais” (BOE) of Porto Alegre, Rio Grande do Sul. A cross-sectional study was developed, linked to the project entitled "Impact of stress and relaxation techniques in heart rate variability in military officers", which was approved by the Research Ethics Committee of UFRGS under No. 19785. The sample consisted of 134 military officers. The independent variables were the size of the Effort-Reward Imbalance Model and resilience, collected through Effort-Reward Imbalance (DER) and Resilience scales, respectively. The outcome was the salivary cortisol, collected from three samples (upon waking, 30 minutes after waking and evening) of each officer. We used the descriptive and analytical statistics for data analysis, considering statistically significant p<0.05. Factor analysis of stress and resilience scales were performed. This study complied with the ethical principles in accordance with the Resolution 466/12. BOE officers presented 17.2% of psychosocial stress. When associated with the dimensions of the DER Model and resilience scores, there was a positive correlation between factor scores of reward and resilience (r = 0.380; p <0.001) and negative between effort and resilience scores (r = -0.243; p = 0.005 ). In the final regression model, GATE and diastolic blood pressure variables explained 13.5% of the variability of cortisol upon waking. It was identified that the GATE, PATRES and Motorcycle sectors explained 21.9% of the variability of cortisol 30 minutes after waking. The GATE sector and the Dimension Effort variables explained the variability Evening cortisol in 27.7%. Results of this study identifies the low prevalence of psychosocial stress among police officers, though some labor aspects are associated with salivary cortisol changes.
Resumen Los policías militares constituyen una de las categorías de trabajadores con mayor riesgo de muerte y de exposición al estrés. Este estudio tuvo el objetivo de analizar las dimensiones del Modelo Desequilibrio Esfuerzo-Recompensa, la resiliencia y el nivel de cortisol salivar en policías militares del Batallón de Operaciones Especiales (BOE) de la Policía Militar de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Se desarrolló un estudio transversal, vinculado al proyecto titulado “Impacto del estrés y de técnicas de relajación en la variabilidad de la frecuencia cardiaca en policiales militares”, que fue aprobado por el Comité de Ética en Investigación de la UFRGS bajo el nº 19785. El muestreo se constituyó de 134 policiales militares. Las variables independientes fueron las dimensiones del Modelo Desequilibrio Esfuerzo-Recompensa y la resiliencia, recopilados por medio de las escalas Desequilibrio Esfuerzo-Recompensa (DER) y de Resiliencia, respectivamente. El resultado fue el cortisol salivar, recolectado en tres muestras (al despertar, 30 minutos tras despertar y a la noche) de cada policial. Se utilizó la estadística descriptiva y analítica para el análisis de los datos, considerando estadísticamente significativo el p<0,05. Se realizó el análisis factorial de las escalas de estrés y resiliencia. Se respectaron las reglas éticas según la Resolución 466/12. El estrés psicosocial fue identificado en 17,2% de los policiales del BOE. Cuando asociado con las dimensiones del Modelo DER y a los marcadores de resiliencia, se observó correlación positiva entre marcadores factoriales de Recompensa y resiliencia (r=0,380; p<0,001) y negativa entre marcadores de esfuerzo y resiliencia (r=-0,243; p=0,005). En el modelo final de regresión, se constató que las variables pertenecen al Grupo de Operaciones Tácticas Especiales (GATE) y presión arterial diastólica explicaron los 13,5% de la variabilidad del cortisol al despertar. Se identificó que los sectores GATE, Patrulla Especial de la Tropa de Élite de la Policía Militar (PATRES) y Motociclistas explicaron los 21,9% de la variabilidad del cortisol de 30 minutos tras el despertar. Las variables del sector GATE y la Dimensión Esfuerzo explicaron la variabilidad del cortisol Noche en 27,7%. A partir de los resultados de este estudio, fue posible identificar a la baja prevalencia de estrés psicosocial entre los policiales, aunque algunos aspectos laborales estén asociados con las alteraciones del cortisol salivar.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/128002
Arquivos Descrição Formato
000968342.pdf (3.783Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.