Repositório Digital

A- A A+

Conhecimento, barreiras e atitudes em relação ao sódio na dieta de pacientes com insuficiência cardíaca descompensada

.

Conhecimento, barreiras e atitudes em relação ao sódio na dieta de pacientes com insuficiência cardíaca descompensada

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Conhecimento, barreiras e atitudes em relação ao sódio na dieta de pacientes com insuficiência cardíaca descompensada
Outro título Knowledge, barriers, and attitudes toward dietary sodium in patients with decompensated heart failure
Outro título Conocimiento, barreras y actitudes con respecto al sodio en la dieta de pacientes con insuficiencia cardíaca descompensada
Autor Barilli, Sofia Louise Santin
Orientador Silva, Eneida Rejane Rabelo da
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Cloreto de sódio na dieta
Cooperação do paciente
Insuficiência cardíaca
[en] Heart failure
[en] Patient compliance
[en] Questionnaires
[en] Sodium chloride, dietary
[es] Cloruro de sodio dietético
[es] Cooperación del paciente
[es] Cuestionarios
[es] Insuficiencia cardíaca
Resumo A restrição de sódio é a medida não farmacológica mais recomendada a pacientes com insuficiência cardíaca (IC). Apesar dos esforços recorrentes dos profissionais da saúde em orientá-la, tal medida possui baixa prevalência e tem sido identificada entre os principais fatores precipitantes de descompensação e internações. Nesse contexto, o conhecimento das barreiras e atitudes que interferem na adesão a essa medida é um desafio para a equipe de saúde e merece ser explorado. O Questionário de Restrição de Sódio na Dieta (QRSD) – baseado na Teoria do Comportamento Planejado, recentemente validado para o português do Brasil – possibilita essa avaliação. A partir deste instrumento, este estudo objetivou verificar o conhecimento, as barreiras e as atitudes de pacientes admitidos por IC descompensada em relação ao sódio na dieta; também foram objetivos desse estudo: identificar as causas de descompensação da IC; comparar as variáveis sociodemográficas, variáveis clínicas e os escores do questionário entre os pacientes admitidos por não adesão à dieta e por não adesão à medicação e à dieta e aqueles descompensados por outras causas. Trata-se de estudo transversal, desenvolvido nas duas maiores Unidades de Emergência do Rio Grande do Sul, entre outubro de 2013 e outubro de 2014. Foram incluídos pacientes adultos, admitidos por IC descompensada (com fração de ejeção do ventrículo esquerdo – FEVE – reduzida ou preservada). Conforme a causa de descompensação, os pacientes foram divididos em dois grupos: a) não adesão à dieta e não adesão à medicação e à dieta; b) outras causas. O projeto foi aprovado quanto aos aspectos éticos e metodológicos nas duas instituições. Entre os dois centros, foram incluídos 225 pacientes. Predominaram o sexo masculino, a etiologia isquêmica e a classe funcional III da New York Heart Association. Para 203 pacientes, já havia sido prescrito dieta pobre em sódio. O conhecimento desses pacientes sobre os benefícios e riscos da restrição de sódio é elevado, e a opinião dos familiares e profissionais da saúde influencia positivamente o comportamento de adesão. As principais barreiras incluem o gosto dos alimentos com pouco sal e as preferências alimentares dos pacientes. Situações de tomada de decisão fora de casa parecem não influenciar de maneira significativa a adesão. As principais causas de descompensação foram infecção, hipertensão não controlada e a combinação de não adesão à medicação e não adesão à dieta. Quando comparadas as variáveis clínicas e sociodemográficas entre os dois grupos, houve diferença apenas na FEVE – significativamente menor nos pacientes admitidos por não adesão. Internações por causas preveníveis em pacientes graves também pioram prognóstico e a equipe deve estar atenta a essas taxas visando reduzí-las. Em relação aos escores do questionário, houve diferença significativa na subescala de controle comportamental percebido, indicando que os pacientes cuja causa de descompensação foi a não adesão possuem mais fatores e barreiras que impedem a realização do comportamento. Intervenções para esta população poderiam incluir pacientes e familiares, e se relacionarem a maneiras de acostumar gradualmente o paladar aos alimentos com pouco sal e ao ensino de preparações com temperos alternativos ao sal.
Abstract Sodium restriction is the most non-pharmacological intervention recommended for patients with heart failure (HF). Despite the recurring efforts of health professionals to councel it, adherence is low and this has been identified among the most common precipitanting factors of decompensation and hospitalization. In this context, to understand the barriers and attitudes that influence on adherence to this intervention is as a challenge for the health team and need to be explored. The Dietary Sodium Restriction Questionnaire (DSRQ) – based on the Theory of Planned Behavior, recently validated for use in Brazil – enables this evaluation. Through this instrument, this study aimed to verify the knowledge, barriers and attitudes related to dietary sodium of patients admitted for decompensated HF; it also were objectives: to identify the causes of decompensation of HF; to compare sociodemographic and clinical variables, as well as questionnaire scores among patients hospitalized for nonadherence to diet and nonadherence to medication and diet and those decompensated for other causes. This is a cross-sectional study, conducted in the two largest Emergency units of Rio Grande do Sul, between October 2013 and October 2014. Adult patients, admitted for decompensated HF (reduced or preserved left ventricular fraction ejection – LVEF) were included. According to cause of decompensation, patients were divided into two groups: a) nonadherence to diet and nonadherence to medication and diet; b) other causes. The project was approved on both institutions. In both centers, 225 patients were included, predominantly male, ischemic etiology and New York Heart Association functional class III at the time of interview. To 203 patients, a low-sodium diet had been prescribed. Patients’ knowledge related to benefits and risks of sodium restriction is high, and the opinion of family members and health professionals influences adherence behavior positively. The principal barriers include the taste of low-salt food and patients’ food preferences. Outside home situations do not seem to influence adherence significantly. The main causes of decompensation were infection, uncontrolled hypertension and the combination of nonadherence to medication and nonadherence to the diet. When comparing clinical and sociodemographic variables between the two groups, difference only was found in LVEF – significantly lower in patients admitted for nonadherence. Hospitalizations for preventable causes in critically ill patients also results in worsening prognosis and the health team must be aware of these rates in order to reduce them. In the questionnaire scores, there was significant difference in perceived behavioral control subscale, indicating that patients whose cause of decompensation was nonadherence have more factors and barriers that difficult behavior. Interventions for this population could include patients and family members, explaining forms to get used to low-salt foods gradually and teaching preparations with alternative sauce. It is expected that DSRQ can be applied in other situations and scenarios.
Resumen La restricción de sodio es la medida no farmacológica más recomendada para pacientes con insuficiencia cardíaca (IC). A pesar de los esfuerzos recurrentes de profesionales de la salud para orientarla, tiene baja prevalencia y está entre los principales factores desencadenantes de la descompensación y hospitalización. En este contexto, el conocimiento de las barreras y actitudes que influyen en la adherencia a esta medida es un desafío para el equipo de salud y merece ser explorado. Dietary Sodium Restriction Questionnaire (DSRQ) – basado en la Teoría del Comportamiento Planificado, recientemente validada para el portugués del Brasil – permite esta evaluación. A partir de este instrumento, este estudio tuvo como objetivo verificar los conocimientos, las barreras y las actitudes de los pacientes ingresados por IC descompensada con respecto al sodio en la dieta; fueron también objetivos del estudio: identificar las causas de la descompensación de la IC; comparar las variables sociodemográficas, variables clínicas y las puntuaciones del cuestionario entre los pacientes ingresados por no adherencia a la dieta y no adherencia a la medicación y a la dieta y aquellos descompensados por otras causas. Es un estudio transversal, realizado en las dos mayores Unidades de Emergencia del Río Grande do Sul, entre octubre 2013 y octubre 2014. Se incluyeron pacientes adultos ingresados por IC descompensada (con fracción de eyección del ventrículo izquierdo – FEVI – reducida o preservada). Conforme la causa de la descompensación, los pacientes fueron divididos en dos grupos: a) no adherencia a la dieta y no adherencia a la medicación y a la dieta; b) otras causas. El proyecto fue aprobado en los aspectos éticos y metodológicos en las dos instituciones. Entre los dos centros, se incluyeron 225 pacientes. Hubo predominio del sexo masculino, de la etiología isquémica y la clase funcional III de la New York Heart Association. Para 203 pacientes, había sido prescrito dieta baja en sodio. El conocimiento de estos pacientes con respecto a beneficios y riesgos de la restricción de sodio es alto, y las opiniones de los miembros de la familia y de los profesionales de la salud influye positivamente en el comportamiento de adherencia. Los principales obstáculos son el sabor de los alimentos con poca sal y las preferencias alimentarias de los pacientes. Decisiones fuera de casa no parecen influir significativamente la adherencia. Las principales causas de descompensación fueron infección, hipertensión no controlada y la combinación de no adherencia a la medicación y a la dieta. Al comparar las variables clínicas y sociodemográficas entre los dos grupos, hubo diferencia solo en la FEVI – significativamente menor en los pacientes ingresados por no adherencia. Hospitalizaciones por causas prevenibles en pacientes críticamente enfermos también empeoran el pronóstico y el equipo debe ser consciente de estas tasas con el fin de reducirlas. Con respecto a las puntuaciones del cuestionario, diferencias significativas en la subescala de control conductual percibido, lo que indica que los pacientes cuya causa de descompensación fue no adherencia tienen más factores y barreras que impiden la realización del comportamiento. Intervenciones para esta población podrían incluir los pacientes y las familias, y relacionar las formas de acostumbrarse gradualmente al gusto de los alimentos con poca sal y preparados con condimentos alternativos.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/128960
Arquivos Descrição Formato
000976646.pdf (1.208Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.