Repositório Digital

A- A A+

Criotolerância de oócitos e embriões bovinos maturados com líquido folicular e/ou β-mercaptoetanol

.

Criotolerância de oócitos e embriões bovinos maturados com líquido folicular e/ou β-mercaptoetanol

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Criotolerância de oócitos e embriões bovinos maturados com líquido folicular e/ou β-mercaptoetanol
Outro título Cryotolerance of bovine oocytes and embryos maturated with follicular fluid and/or β-mercaptoethanol
Autor Gonçalves, Monalysa Cadori
Cesaro, Matheus Pedrotti de
Rodrigues, Murilo Farias
Lopes, Rui Fernando Felix
Mezzalira, Joana Cláudia
Mozzaquatro, Fabrício Desconzi
Mezzalira, Alceu
Resumo Foi avaliada a criotolerância de oócitos e embriões bovinos maturados com adição de líquido folicular (LF) e/ou β-mercaptoetanol (BM). Após vitrificação, os oócitos foram maturados em: TCM-199 (controle); BM (24h TCM-199+100μM BM); LF (6h em LF+18h TCM-199) e LF+BM (6h LF+18h TCM-199+100μM BM). Não houve diferença (p>0,05) nas taxas de blastocistos dos tratamentos TCM (6,4%), BM (4,0%) e LF (3,4%). A eclosão e densidade celular dos embriões eclodidos não diferiram (p>0,05) nos tratamentos. No Experimento 2 blastocistos expandidos (Bx) obtidos em D7 ou D8 foram vitrificados, avaliando-se sua reexpansão e eclosão. A reexpansão foi semelhante (p>0,05), sendo observado comportamento distinto na eclosão entre Bx D7 e D8. Nos Bx D7 houve maior eclosão no controle (TCM–54,2%) em relação ao BM (40,32%) e LF+BM (33,89%). Os Bx D8 apresentaram menor eclosão no controle (TCM) em relação aos Bx D7. Nos tratamentos BM, LF e LF+BM a eclosão foi semelhante para Bx D7 ou D8. A maturação com adição de LF e/ou BM não melhora a criotolerância de oócitos imaturos e embriões PIV. Blastocistos expandidos precoces (D7) são mais criotolerantes e apresentam um comportamento distinto à adição de LF e BM, em relação aos tardios (D8).
Abstract Cryotolerance of bovine oocytes and embryos maturated with addition of follicular fluid (LF) and β-mercaptoethanol (BM) was evaluated. After vitrification, oocytes were maturated in: TCM-199 (control); BM (24h TCM-199+100μM BM); LF (6h in LF+18h TCM-199), and LF+BM (6h LF+18h TCM-199+100μM BM). There was not difference (p>0.05) in blastocysts rate in TCM (6.4%), BM (4.0%) and LF (3.4%) treatments. The hatching rates and cell density of hatched embryos did not differ (p>0.05) among treatments. In Experiment 2, hatched blastocysts (Bx) obtained in D7 or D8 were vitrified and evaluated according to its expanding and hatching rates. The expanding rate was similar (p>0.05), being observed a distinct pathway in hatching rate in D7 and D8 Bx. Higher hatching rate was observed in D7 Bx from control (TCM-54.2%) compared to BM (40.32%) and LF+BM (33.89%) treatments. The D8 Bx showed lower hatching rate in control (TCM-199) compared with D7 Bx. In BM, LF and LF+BM treatments, the hatching rate was similar for D7 or D8 embryos. Maturation with addition of LF and/or BM does not increase the oocyte or IVP embryo cryotolerance. Expanded blastocysts (D7) have higher cryotolerance and show a distinct pathway when added with LF or BM, in comparison with D8 embryos.
Contido em Ciência animal brasileira. Goiania. Vol. 16, n. 2, (abr./jun., 2015), p. 205-216
Assunto Bovinos
Embrião de mamíferos
Oócitos
[en] additives
[en] cryotolerance
[en] IVP embryos
[en] maturation
[en] vitrification
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/129072
Arquivos Descrição Formato
000972270.pdf (419.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.