Repositório Digital

A- A A+

Prevalência de hipovitaminose D em idosos residentes em clinicas geriatricas beneficentes de Porto Alegre

.

Prevalência de hipovitaminose D em idosos residentes em clinicas geriatricas beneficentes de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Prevalência de hipovitaminose D em idosos residentes em clinicas geriatricas beneficentes de Porto Alegre
Autor Scalco, Rosana
Orientador Furlanetto, Tania Weber
Data 2008
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Casas de saúde
Deficiência de vitaminas
Idoso
Instituição de longa permanência para idosos
Porto Alegre (RS)
Vitamina D
Resumo A deficiência de vitamina D tem sido freqüentemente identificada em pessoas idosas contribuindo para o risco aumentado de quedas e fraturas nesses indivíduos. Nosso objetivo foi estudar a prevalência de hipovitaminose D em idosos residentes nas duas clínicas geriátricas beneficentes de Porto Alegre, cidade do sul do Brasil (30o Sul). Foram estudados 102 indivíduos com mais de 65 anos (77.8±9.0 anos), em novembro de 2005. Níveis séricos de 25-(OH)vitamina D [25(OH)D], hormônio da paratireóide (PTH), cálcio total, fósforo, fosfatase alcalina, magnésio, creatinina e albumina foram medidos. Também foram aferidos fatores potencialmente relacionados à deficiência de vitamina D, como idade, sexo, exposição ao sol, exercícios físicos, fototipo, uso de mais de cinco medicamentos, tabagismo, uso de álcool, uso de diuréticos e peso e altura. Em 54% dos idosos estudados os níveis séricos de 25(OH)D foram = 10 ng/mL e, em 31,6 %, entre > 10 e = 20 ng/mL. Nenhum dos fatores estudados associou-se aos níveis séricos de 25(OH)D. Houve correlação entre os níveis séricos de 25(OH)D e os níveis séricos de PTH (r:-0.358, p=0.000), cálcio (r:0.305, p=0.002) e albumina (r:0.253, p=0.011), no entanto, hiperparatireoidismo secundário (HPS) não ocorreu em todos os indivíduos com hipovitaminose D. Conclusão: existe uma alta prevalência de hipovitaminose D nos idosos institucionalizados em Porto Alegre (30ºS), na primavera. Não se identificaram fatores associados. Somente uma parte deles apresenta a resposta esperada de HPS.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/12943
Arquivos Descrição Formato
000635299.pdf (408.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.