Repositório Digital

A- A A+

Principio de no regresión de la caída de la idea de progreso al deber de progresividad

.

Principio de no regresión de la caída de la idea de progreso al deber de progresividad

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Principio de no regresión de la caída de la idea de progreso al deber de progresividad
Autor Gatica, Sofía Florencia
Orientador Cappelli, Sílvia
Data 2014
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Direito. Curso de especialização Direito Ambiental Nacional e Internacional..
Assunto Direito ambiental
Direitos fundamentais
Princípios jurídicos
Progresso
[es] Derecho ambiental
[es] Derechos fundamentales
[es] Principios jurídicos
[es] Progreso
[es] Prohibición de retroceso ambiental
Resumen Los desafíos planteados por el cambio de paradigma que atraviesa la humanidad, exigen del Derecho una constate adaptación que le permita dar respuesta rápida y adecuada a las nuevas necesidades. En este contexto, la incorporación en el esquema constitucional del medio ambiente como derecho fundamental, trajo como consecuencia la reformulación de la figura del Estado, que pasa a ser un Estado de Derecho Socio Ambiental. Como tal, tiene el deber de incrementar los niveles de protección ambiental vigentes, sin nunca retroceder a estadios inferiores. En este punto, se pone en diálogo al Derecho Ambiental con los principios de progresividad y no regresión. El presente trabajo desarrolla el recorrido evolutivo de estos principios, que reconocen su origen en la noción de “progreso”. Desde una perspectiva filosófica-que se entiende necesaria para comprender su posterior formulación en el ámbito normativo- se evalúa la proyección de la idea de progreso en el principio de progresividad de los derechos fundamentales y en el concepto de desenvolvimiento sustentable. Seguidamente, se centra el análisis en el principio de no regresión ambiental, para por fin demostrar, a través del examen de un caso práctico, cómo su consagración se erige en herramienta fundamental para a la eficacia del Derecho Ambiental.
Resumo Os desafios plantados pelo câmbio de paradigma que se encontra atravessando a humanidade exigem do Direito uma constante adaptação que permita dar uma rápida e adequada resposta às novas necessidades. Nesse contexto, a incorporação no esquema constitucional do meio ambiente como direito fundamental trouxe como consequência uma reformulação da figura do Estado, que passou a ser a de um Estado de Direito Socioambiental. Como tal, tem o dever de incrementar os níveis de proteção ambiental vigentes, sem retroceder a estágios inferiores. Neste ponto, se coloca o Direito Ambiental em diálogo com os princípios de progressividade e não regressão. O presente trabalho desarrolha o percurso evolutivo destes princípios, que reconhecem sua origem na noção de “progresso”. Desde uma perspectiva filosófica – que se entende necessária para compreender sua posterior formulação no âmbito normativo – é avaliada a projeção da ideia de progresso no princípio de progressividade dos direitos fundamentais e no conceito de desenvolvimento sustentável. Posteriormente, a análise é centrada no princípio de não regressão ambiental para ao final demonstrar, através de um caso prático, como a sua consagração é uma ferramenta fundamental para a eficácia do Direito Ambiental.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/129573
Arquivos Descrição Formato
000975686.pdf (320.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.