Repositório Digital

A- A A+

A suplementação de ômega 3 na doença de Alzheimer : uma revisão sistemática

.

A suplementação de ômega 3 na doença de Alzheimer : uma revisão sistemática

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A suplementação de ômega 3 na doença de Alzheimer : uma revisão sistemática
Autor Canhada, Scheine Leite
Orientador Luft, Vivian Cristine
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Ácidos graxos ômega-3
Doença de Alzheimer
[en] Alzheimer’s disease
[en] Cognition
[en] Omega-3 fatty acids
Resumo Introdução: Conforme aumenta a expectativa de vida, aumentam também as doenças relacionadas ao envelhecimento, lideradas pelas demências. A prevalência da doença de Alzheimer, principal causa de demência, tem estimativas de quadriplicar até 2050. Os ácidos graxos ômega 3 parecem agir nos marcos patológicos cerebrais da doença de Alzheimer. Estudos observacionais têm investigado a relação entre a ingestão de ômega 3, ou suas fontes alimentares, e o desenvolvimento da doença de Alzheimer, sugerindo-o como um fator de proteção. Entretanto, o papel do ômega 3 no tratamento da doença de Alzheimer, quando já existente, não está bem esclarecido na literatura. Objetivo: Revisar, de forma sistemática, os resultados disponíveis na literatura envolvendo intervenções com ômega 3 e seus efeitos relacionados a desfechos na função cognitiva em indivíduos com doença de Alzheimer. Métodos: Foram seguidas as diretrizes estabelecidas pelo PRISMA e foi utilizada a base de dados Pubmed para a seleção de artigos. Foram incluídos estudos originais de intervenção, controlados por placebo, que avaliassem o impacto da suplementação de ácidos graxos ômega 3 em marcadores de função cognitiva, realizados em humanos, até março de 2015, sem limitação para data inicial de publicação, que relacionassem o uso de ômega 3, por suplementação ou ingestão, e o tratamento da doença de Alzheimer. Resultados: A estratégia de busca obteve como resultado um total de 211 artigos, dos quais 5 preencheram os critérios de inclusão. A maioria dos estudos não encontra resultados estatisticamente significativos com a suplementação de ômega 3, comparada ao placebo, e aqueles que demonstram algum benefício o encontram em apenas algumas das escalas avaliadas. Entretanto, os efeitos do ômega 3 parecem mais efetivos nas leves disfunções cognitivas, demonstrado em dois estudos em que houve análise de subgrupos. Conclusão: Os efeitos encontrados da suplementação no Alzheimer leve e nas leves disfunções cognitivas corroboram estudos epidemiológicos observacionais que apontam benefícios do ômega 3 nas fases iniciais da doença, quando ainda há apenas um leve comprometimento da função cerebral. Apesar de alguns estudos terem demonstrado alterações em algumas escalas de função cognitiva, ainda são insuficientes para recomendar a suplementação de ômega 3 no tratamento da doença de Alzheimer.
Abstract Introduction: As life expectancy increases, there is also an increase in age related diseases, headed by dementias. Alzheimer’s disease prevalence, main cause of dementia, has estimatives to quadruple by 2050. Fatty acids omega 3 seems to act in brain pathologic hallmarks of Alzheimer’s disease. Observational studies have investigated the relation between the ingestion of omega 3, or its food sources, and the development of Alzheimer’s disease, suggesting it as a protection factor. However, the role of omega 3 in Alzheimer’s treatment, when the disease is already established, remains uncertain. Objective: To review, in a systematic way, the results available in the literature involving interventions with omega 3 and its effects related to cognitive function outcomes in Alzheimer’s disease subjects. Methods: The guidelines established by PRISMA were followed and the database Pubmed was used for article’s selection. Were included original intervention studies, controlled by placebo, that assessed the impact of omega 3 supplementation in cognitive function markers, performed in humans, until march 2015, without limitation for prime date of publication, who related the use of omega 3, through supplementation or ingestion, and the treatment of Alzheimer’s disease. Results: The search strategy had as result a total of 211 articles, from which 5 fulfil the inclusion criteria. Most studies do not find statistically significant results with omega 3 supplementation, compared to placebo, and those who demonstrate some benefit do it in only a few assessed scales. However, omega 3’s effects seems more effective in mild cognitive impairments, demonstrated in two studies were subgroups were analyzed. Conclusion: The effects founded from supplementation in mild Alzheimer’s and in mild cognitive impairments corroborates epidemiological observational studies that showed omega 3 benefits in initial phases of the disease, when there is only a mild cerebral function impairment. Despite some studies have demonstrated alterations in some cognitive function scales, they are not sufficient to recommend omega 3’s supplementation in Alzheimer’s disease treatment.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/129616
Arquivos Descrição Formato
000974846.pdf (474.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.