Repositório Digital

A- A A+

Análise da espessura muscular através de imagens de ultrassonografia em crianças e adolescentes com fibrose cística

.

Análise da espessura muscular através de imagens de ultrassonografia em crianças e adolescentes com fibrose cística

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise da espessura muscular através de imagens de ultrassonografia em crianças e adolescentes com fibrose cística
Autor Souza, Rodrigo Pereira de
Orientador Marostica, Paulo José Cauduro
Co-orientador Donadio, Márcio Vinícius Fagundes
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente.
Assunto Adolescente
Composição corporal
Criança
Fibrose cística
Ultrassonografia
[en] Body composition
[en] Cystic fibrosis
[en] Skin fold thickness
[en] Ultrasound
Resumo Objetivos: Comparar a espessura muscular e a espessura da gordura subcutânea entre crianças e adolescentes com fibrose cística e sujeitos hígidos utilizando imagens de ultrassonografia. Métodos: Estudo transversal em crianças e adolescentes com diagnóstico de FC, com idade entre 6 e 18 anos, em acompanhamento ambulatorial no Hospital São Lucas da PUCRS e controles hígidos.Os sujeitos que apresentavam exacerbação pulmonar e incapacidade de realizar os procedimentos do estudo foram excluídos. Os participantes submeteram-se a ultrassonografia para verificar a espessura muscular e a espessura da gordura subcutânea das regiões do tríceps, quadríceps e gastrocnêmio, medidas antropométricas e avaliação das dobras cutâneas (adipometria). As estimativas dos componentes da composição corporal foram fracionados em quatro: massa muscular, massa de gordura, massa óssea e residual e foram analisados conforme equações matemáticas e fórmulas específicas previamente validadas. Os indivíduos com FC realizaram a avaliação da função pulmonar por meio da espirometria. A comparação entre os grupos estudados foi realizada através do teste de McNemar, t de Student para amostras pareadas e teste de Wilcoxon. As correlações foram avaliadas através do teste de correlação de Pearson. Resultados: Foram incluídos 84 participantes, sendo 39 com FC e 45 controles, média de idade de 12,94 anos e 61,9 % do sexo masculino. Houve diferença significativa na comparação entre as características demográficas e antropométricas, entre os dois grupos avaliados, para raça (p<0,01), IPAQ (p<0,01) e escore Z do IMC (p<0,03). Na comparação entre os componentes da composição corporal entre os grupos, houve diferença significativa no peso de gordura (p<0,02) e no peso ósseo (p<0,01). Não houve diferenças significativas entre o peso muscular e o peso residual. Houve correlação da ultrassonografia muscular do tríceps e a massa magra (r=0,253; p<0,05) e entre a ultrassonografia muscular do quadríceps com o escore Z do IMC (r=0,25; p<0,05). Não houve correlações significativas na ultrassonografia da gordura subcutânea do tríceps, do quadríceps e do gastrocnêmio entre os grupos avaliados. Ao correlacionar os dois métodos de avaliação de gordura corporal, obtiveram-se correlações significativas (p<0,01) moderadas e positivas, variando de r=0,472 até r=0,681. No grupo dos pacientes com fibrose cística, a espessura muscular do tríceps medida pela ultrassonografia correlacionou-se com o escore Z da caminhada de seis minutos (r=-0,376). Além disso, a espessura muscular do quadríceps medida pela ultrassonografia correlacionou-se com a massa magra (r=0,424; p<0,01), capacidade vital forçada (CVF) (r=0,468; p<0,01), percentual do previsto da CVF (r=0,338; p<0,05), escore Z da CVF (r=0,336; p<0,05) e com o volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) (r=0,393; p<0,05). Conclusão: A avaliação da espessura muscular de pacientes com FC por ultrassonografia foi semelhante aos indivíduos controles, da mesma maneira que a avaliação da massa magra obtida com a adipometria e medidas de perímetros. Na avaliação da espessura de gordura subcutânea, houve correlação moderada entre a adipometria e a ultrassonografia. A ultrassonografiaapresenta potencial de aplicabilidade para diagnóstico nutricionaledeveser melhor avaliada, a fim de validara sua utilização emavaliações de rotina.
Abstract Objectives: To compare muscle and subcutaneous fat thickness between children and adolescents with cystic fibrosis and healthy subjects using ultrasound images. Methods: Cross-sectional study in children and adolescents diagnosed with CF, aged 6 to 18 years, followed at Hospital São Lucas PUCRS, and healthy controls (HC). Subjects who had a pulmonary exacerbation or inability to perform the study procedures were excluded. The participants underwent ultrasound to check muscle and subcutaneous fat thickness at the triceps, quadriceps and gastronomies regions, anthropometric measurements and evaluation of skin folds. Component estimation of body composition were divided into four: muscle mass, fat mass, bone and residual mass and were analyzed according to mathematical equations and previously validated specific equations. CF individual sunder went pulmonary function assessment by spirometry. Comparison between groups was performed using Mc Nemar test, Student's t test for paired samples and Wilcoxon test. Correlations were assessed using Pearson's correlation test. Results: We included 84 participants, 39 with CF and 45 healthy controls, mean age was 12.94 years and 61.9% were male. There was a significant difference between demographic and anthropometric characteristics between the two groups, for race (p<0.01) IPAQ (p<0.01) and BMI Z score (p<0.03). Comparing the components of body composition between the groups there was no significant difference in fat weight (p<0.02) and bone weight (p<0.01). There were no significant differences between muscle weight and the residual weight. There was a correlation of ultrasound triceps muscle and lean body mass (r=0.253; p<0.05) and between the quadriceps muscle ultrasound with the Z score of BMI (r=0.25; p<0.05). There were no significant correlations in ultrasound subcutaneous fat triceps, quadriceps and gastronomies between the groups. By correlating the two methods of assessing body fat, significant correlations (p<0.01) and moderate positive, ranging from r=0.472 to r= 0.681were found. In CF patients, muscular thickness of the triceps measured by ultrasonography correlated with walk test six minutes Z score (r= -0.376). Furthermore, quadriceps muscle thickness measured by ultrasonography correlated with body lean mass (r=0.424; p<0.01), forced vital capacity (FVC) (r=0.468; P<0.01) percentage of predicted FVC (r = 0.338; p <0.05), FVC Z score (r= 0.336; p<0.05) and forced expiratory volume in one second (FEV1) (r=0.393; p<0.05). Conclusion: Evaluation of muscle thickness in CF patients and HC by ultrasound rendered similar results in the same fashion as the assessment of lean body mass by skin fold and circumference measurements. In assessing subcutaneous fat thickness, there was moderate correlation between skin folds and ultrasound findings. Ultrasound evaluation shows an applicability potentiality for nutritional diagnosis and should be better evaluated in order to validate its use in routine clinical assessments.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/129701
Arquivos Descrição Formato
000974636.pdf (944.2Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.