Repositório Digital

A- A A+

O perfil das internações no SUS por causas externas entre crianças e adolescentes no município de Porto Alegre, 2010-2013

.

O perfil das internações no SUS por causas externas entre crianças e adolescentes no município de Porto Alegre, 2010-2013

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O perfil das internações no SUS por causas externas entre crianças e adolescentes no município de Porto Alegre, 2010-2013
Autor Cabral, Juliane
Orientador Rosa, Roger dos Santos
Co-orientador Kranz, Luís Fernando
Data 2015
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Curso de especialização em Gestão em Saúde (UAB).
Assunto Adolescentes
Crianças
Gestão em saúde
Internação hospitalar
[en] Adolescent
[en] Child
[en] External causes
[en] Health management
[en] Hospitalization
Resumo Este estudo objetivou analisar o perfil das internações no Sistema Único de Saúde (SUS) por causas externas entre crianças e adolescentes no município de Porto Alegre/RS, no período de 2010 a 2013. Os dados codificados segundo a 10ª revisão da Classificação Internacional de Doenças, foram extraídos do Banco de Dados do Sistema de Informações Hospitalares do SUS. A amostra alcançada foi de 10.628 internações, sendo 69% do sexo masculino e 31% do sexo feminino. O coeficiente de morbidade foi de 733,28/100.000 habitantes. Houve predomínio da faixa etária de 15 a 19 anos (33%). As causas mais freqüentes foram relacionadas a quedas (29%), seguidas de acidentes de transporte (19%), agressões (9%), queimaduras (8%), entre outras. O tempo médio de permanência foi de 5,7 dias, sendo maior na faixa etária de menores de 1 ano (10,6 dias) e nas causas relacionadas a queimaduras ( 9,4 dias). A taxa de mortalidade foi de 1,15%, sendo que a relação entre internação e óbito foi de 87,11 crianças internadas para cada 1 óbito. O gasto médio foi de R$ 1.226,93 e o custo-dia de R$ 213,90. A análise destas internações, dos custos e das implicações econômicas e sociais se torna um desafio para a gestão em saúde, visto que a população envolvida é totalmente vulnerável. Entretanto, permite aos gestores de saúde, profissionais e até mesmo aos pais, desenvolver ações de prevenção para cada causa e faixa etária, de acordo com os riscos expostos.
Abstract This study aimed to analyze the profile of hospitalizations in the Single Health System (SUS) from external causes among children and adolescents in the city of Porto Alegre/RS, in the period from 2010 to 2013. The data coded according to the 10th review of the International Disease,Classification Code of were extracted from the databank of the Hospital Information System of the SUS. The achieved sample was 10,628 hospitalizations and 69% male and 31% female. The morbidity rate was 733.28 / 100,000 inhabitants. There was a predominance of the age group 15-19 years (33%). The most frequent causes were related to falls (29%), followed by transportation accidents (19%), assault (9%), burns (8%), among others. The average length of stay was 5.7 days, increasing aged less than 1 year (10.6 days) and in cases related to burns (9.4 days). The mortality rate was 1.15%, and the relationship between admission and death was 87.11 children admitted for each 1 death. The average expenditure was R$ 1,226.93 and the cost per day of R$ 213.90. Analysis of these admissions, costs and the economic and social implications becomes a challenge for health management, since the population involved is totally vulnerable. However, allows health managers, professionals and even parents, develop prevention actions for each cause and age, according to the exposed risks.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/130220
Arquivos Descrição Formato
000974607.pdf (732.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.