Repositório Digital

A- A A+

Situação de saúde do município de Panambi : avanços e desafios para a gestão

.

Situação de saúde do município de Panambi : avanços e desafios para a gestão

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Situação de saúde do município de Panambi : avanços e desafios para a gestão
Autor Marques, Lara Dinis da Rosa
Orientador Oliveira, Celmar Corrêa de
Co-orientador Ferreira, Gimerson Erick
Data 2015
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Curso de especialização em Gestão em Saúde (UAB).
Assunto Gestão em saúde
Gestão municipal
Planejamento em saúde
Resumo Conhecer a situação de saúde de determinado município é uma importante ferramenta de gestão e de identificação, descrição, priorização e explicação dos problemas de saúde de determinada população. Com a realização deste trabalho, objetivou-se caracterizar a situação de saúde do Município de Panambi/RS e verificar o que a Gestão Municipal de Saúde vem desenvolvendo para enfrentamento dos problemas de saúde da população. Como metodologia, utilizou-se a pesquisa descritiva. Os dados do estudo foram coletados na Secretaria Municipal de Saúde de e utilizou-se como embasamento o Plano Municipal de Saúde (Gestão 2013 – 2016) e os indicadores de saúde disponibilizados pela Secretaria Municipal de Saúde. Ao caracterizar a Situação de Saúde do Município de Panambi pode se perceber que no período de 2008 ate 2012 houve aumento da mortalidade infantil no município e este apresenta alto índice de mortalidade por acidente de trabalho quando comparado a outras causas externas; quanto aos óbitos prematuros por DCNT verifica-se uma tendência de declínio desde o ano de 2011, de 61 óbitos para 47; as taxas de internação hospitalar por causas sensíveis à atenção básica vem diminuindo ao longo dos anos, 421 internações em 2009, 341 em 2010, 267 em 2011 e 244 em 2012; as internações hospitalares mais prevalentes, por grupo de causas e faixa etária, foram doenças do aparelho circulatório - 14,5%, doenças do aparelho respiratório – 14,3% e gravidez, parto e puerpério – 13,6%. Há fragilidade no processo de planejamento por parte da gestão municipal quando este se refere a indicadores de saúde pois o Plano Municipal de Saúde não esta finalizado até o momento. Os gestores locais não visualizam o planejamento em saúde como uma importante ferramenta de gestão.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/130298
Arquivos Descrição Formato
000974617.pdf (632.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.