Repositório Digital

A- A A+

Molhabilidade na interface vitrenio/solução aquosa

.

Molhabilidade na interface vitrenio/solução aquosa

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Molhabilidade na interface vitrenio/solução aquosa
Autor Valderrama Campusano, Luis Ivan
Orientador Rubio, Jorge
Data 1990
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalurgica e dos Materiais.
Assunto Flotação : Tratamento de minérios
Resumo O presente trabalho objetiva estudo básico de caracterização molhabilidade/hidrofobicidade dos a realização de um das propriedades de vitrênios de alguns carvões de jazídas do Sul do Brasil através de determinações de ângulo de contato na interface sólido/solução e estudos de microflotação. Após a construção do sistema experimental para a determinação do ângulo de contato na interface/sólido/ solução, a metodologia empregada constou basicamente de duas etapas, la : Estudos de ângulo de contato sólido/ar/ solução ou sólido/hidrocarboneto/solução de amostras selecionadas de vitrênios de carvões de Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. za : Estudos de microflotação dos vitrênios na presença e ausência de hidrocarboneto. A construção de um medidor de ângulo de contato, o qual não existe no mercado nacional, representa um importante avanço na caracterização das propriedades interfaciais dos carvões, minérios, novos materiais, microorganismos, proteínas, coloides, pigmentos, produtos de corrosão, etc. vi As medidas do ângulo.de contato na presença de ar e hexano mostraram a seguinte correlação em termos de hidrofobicidade: Klabin > Sangão > Candiota > Leão. Os valores de ângulo de contato medidos utilizando ar, variam entre 41° ( Klabin ) e 22° ( Leão ) e com hexano entre 82° ( Klabin ) e 60° ( Leão ). Os resultados de microflotação dependência entre grupos -CH2 da os valores de recuperação cadeia alquilica dos mostraram uma e o número de hidrocarbonetos estudados. Assim, a flotação dos vitrênios de Sangão, Klabin aumentou de forma linear com o número de grupos -CH2 enquanto que a flotação dos vitrênios de Leão e Candiota mostrou-se independente até 12 ( Leão ) e 14 ( Candiota ) grupos -CH2. A partir destes valores as recuperações de ambos os vitrênios aumentaram abruptamente. Os diversos resultados obtidos são discutidos em termos das diferenças nas propriedades físico-químicas e interfaciais dos vitrênios estudados.
Abstract This work aims at developing a basic study on the characterization of the wetting-hydrophobicity properties of vitrains from coal fields of Southern Brazil throuh measurements of contact angle and microflotation studies. After the construction of an experimental rig for the measurements of contact angle at the solidlsolution interface,the experimental was divided into two stages, 1st : Studies of contact angle at the solid I air I solution or solid I hidrocarbon I solution interfaces usines vitrains from selected coal samples from Rio Grande do Sul, Santa Catarina and Paraná. 2nd Studies of microflotation of vitrains in the presence and absence of hydrocarbons. The construction of the contact angle apparatus with no similar in the national market represents an important advance for the characterization of the interfacial properties of coal, ores, new materiais, microorganisms, proteins, colloids, pigments, corrosion products, etc. Contact angle values measured with either air or hexane showed the following correlation in relation to hydrophobicity : Klabin > Sangão > Candiota > Leão. Contact angle measured with air varied between 41° ( Klabin ) and 22° ( Leão ) and with hexane varied between 82o ( Klabin ) and 60° ( Leão ). The results of microflotation showed a dependence between the recoveries and the -CH2 group numbers of the hidrocarbon chain. Thus, the flotation of vitrains from Sangão, Klabin increased linearly with the numbers of the - CH2 groups whereas the flotation of vitrains from Leão and Candiota showed to be independent up to 12 ( Leão ) and 14 ( Candiota ) -CH2 groups. For values greater than these recoveries of both vitrains increased sharply. Different resuls obtained are discussed in terms of the differences in physico-chemical and interfacial properties of vitrains studied.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/130461
Arquivos Descrição Formato
000011560.pdf (1.382Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.