Repositório Digital

A- A A+

"E aqui enloqueceo" : a alienação mental na Porto Alegre escravista, c. 1843 - c. 1872

.

"E aqui enloqueceo" : a alienação mental na Porto Alegre escravista, c. 1843 - c. 1872

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título "E aqui enloqueceo" : a alienação mental na Porto Alegre escravista, c. 1843 - c. 1872
Autor Lorenzo, Ricardo de
Orientador Xavier, Regina Célia Lima
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História.
Assunto Doença mental
Escravidão
História do Rio Grande do Sul
Marginalidade social
Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.
[en] Illness and cure
[en] Mental alienation
[en] Rio Grande do Sul
[en] Slavery
Resumo O objetivo desta investigação foi analisar o universo daqueles indivíduos internados na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre entre os anos de 1843 e 1872 com o diagnóstico de "alienação mental", ou outro análogo. Para isso, examinei a regulamentação da cidade através das funções normativas e fiscalizadoras da Câmara Municipal e do Código de Posturas. Fiz uma leitura das discussões dos parlamentares provinciais acerca do trato com os inválidos e os vadios, e procurei traçar o perfil da população da capital rio-grandense, cidade escravista e hierarquizada. A Santa Casa, especialmente a partir da criação do seu Asilo de Alienados, foi apresentada como locus principal de recolhimento desses indivíduos, numa atuação muitas vezes associada ao poder policial. Políticas que envolviam a caridade e o controle dos grupos sociais marginalizados, nos quais cativos, libertos e pobres eram os alvos preferenciais. Nesse sentido, ficou evidente que os confinamentos muitas vezes se apresentavam como repressão ao não-trabalho e aos indivíduos insubmissos. Por outro lado, a definição do que era loucura implicava em diferentes níveis de prevalência dos diagnósticos dos médicos. As variações entre as concepções acadêmicas, o entendimento popular sobre as artes de curar e as disputas entre os médicos e as diversas instâncias de poder - como a policial e a judicial - foram aspectos considerados nas observações dos episódios de confinamento. Finalmente, por se tratar de uma sociedade escravista, e a ainda que as fontes analisadas não permitissem uma resposta aprofundada, busquei o entendimento possível sobre a circulação das concepções de africanos e seus descendentes a respeito da doença e da cura.
Abstract The objective of this research was to analyze the universe of those interned at the Santa Casa de Misericordia de Porto Alegre between the years of 1843 and 1872 with a diagnosis of "mental alienation", or other analogue. For this, examined the regulation of the city through the regulatory and supervisory functions of the City Council and the Code of Posturas. I have read the discussions of the provincial parliamentarians about the deal with the invalid and idles and I tried to draw the profile of the population from Porto Alegre, proslavery and hierarchical city. The Santa Casa, especially from the creation of its Asylum of Alienated, was presented as a main locus of collection of these individuals, in a performance often associated with the police power. Policies involving the charity and control of marginalized social groups, in which captives, and poor freed were particularly targeted. Thus, it was clear that confines often presented as if the prosecution does not-work and unsubmissive individuals. Moreover, the definition of what was meant madness on different levels of prevalence of diagnoses of doctors. The variations between the academic ideas, the popular understanding of the arts to heal and disputes between doctors and the various bodies of power - such as Police and Justice - aspects were considered in the remarks of episodes of confinement. Finally, as a proslavery society, and even if the sources analyzed not allow a response depth, sought the understanding on the possible movement of conceptions of Africans and their descendants about the disease and cure.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/13086
Arquivos Descrição Formato
000637104.pdf (1.537Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.