Repositório Digital

A- A A+

Análise de sobrevida e perfil epidemiológico de casos de AIDS em Porto Alegre/RS : limitações e potencialidades da vigilância epidemiológica

.

Análise de sobrevida e perfil epidemiológico de casos de AIDS em Porto Alegre/RS : limitações e potencialidades da vigilância epidemiológica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Análise de sobrevida e perfil epidemiológico de casos de AIDS em Porto Alegre/RS : limitações e potencialidades da vigilância epidemiológica
Autor Beck, Caroline
Orientador Ferreira, Jair
Data 2014
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto HIV
Porto Alegre (RS)
Síndrome de imunodeficiência adquirida
Sobrevida
Vigilância epidemiológica
[en] Acquired immunodeficiency syndrome
[en] Health information systems
[en] Public health surveillance
[en] Survival analysis
Resumo O acesso universal aos serviços de saúde e terapia antirretroviral foram importantes no aumento da sobrevida de pessoas vivendo com HIV/AIDS (PVHA). A incidência de comorbidades crônicas, porém, aumentou proporcionalmente. Considerando a epidemia de AIDS no RS, especialmente em Porto Alegre, é preciso investigar a sobrevida de PVHA no contexto local, especialmente entre coinfectados HIV/Tuberculose. Dados foram obtidos pelo relacionamento dos bancos SIM e SINAN 2007-2012. Foi utilizado o modelo de regressão de COX para obter o hazard ratio, o método de Kaplan-Meier para estimativas de sobrevida O banco compreendeu 1800 casos notificados em 2007. Correspondem a 60% homens, brancos em sua maioria (67%), com mediana de idade igual a 37 anos (AIQ=14), a maioria dos casos possui baixa escolaridade. Cerca de 70% adquiriu a doença via transmissão sexual. Comparados aos casos notificados por critério óbito, os óbitos totais tem maior proporção de indivíduos de raça/cor preta (46,1% e 32,5%, respectivamente) e maior freqüência de indivíduos do sexo masculino (40,0% e 27,8%, respectivamente). A proporção de dados incompletos também é maior para a escolaridade (72,1% e 68,7%, respect.), contagem de CD4+ (76% e 68%, respect.). Na análise bivariada a transmissão sanguínea, raça/cor negra e baixa escolaridade foram fatores associados a maior risco de óbito. Sexo feminino e idade acima de 30 anos foram fatores associados a menor risco de óbito por AIDS Raça/cor negra, transmissão do HIV pro via sanguínea, presença de infecção por TB e baixa escolaridade são fatores associados à mortalidade aumentada no modelo multivariado. A sobrevida média foi de 1.495 dias (IC 95% 1449 – 1550). O percentual de dados incompletos sugerem que o relacionamento dimensiona a subnotificação mas não qualifica o processo de vigilância. O Critério Óbito representa a perda de oportunidades de intervenção em eventos preveníveis e pode servir como indicador negativo da vigilância.
Abstract Universal Access to health services and antiretroviral therapy were crucial in improving the survival or people living with HIV/AIDS (PLHA). The incidence of cronic comorbidities, however, have proportionally rised. Considering the AIDS epidemics in the state of Rio Grande do Sul, specifically in the city of Porto Alegre, it is important to determine the survival of PLHA in a local context, specially between individuals coinfected with TB. Data were obtained by the linkage of SIM and SINAN databases from 2007-2012. A COX regression model was used for the hazard ratios, and the Kaplan-Meier method in order to determine survival estimates. The resulting database had 1800 cases notified in 2007. Sixty percent were male, mostly of white race (67%), median age of 37 years old (IQR=14), mosto f them had low schooling. Around 70% acquired the vírus through sexual transmission. Compared to the total of cases, those notified by the death criteria have proportionally more individuals of the black race (46,1% and 32,5%, respectively) and more males (40% and 27,8%, respectively). The proportion of incomplete data is also higher for scholarity (72,1% and 68,7% respectively) and CD4+ T lymphocite cell count (76% e 68%, respectively). Blood transmission, black race and low scholarity were associated with a higher risk of death in the bivariate analysis. Female gender and age over 30 years were factors associated with a low risk of AIDS-related death. In the multivariate model black race, blood transmission of the vírus e low scholarity were factors associated with higher mortality. Mean survival was of 1495 days (95% CI 1449 – 1550). The proportion of incomplete data suggests that the linkage scales the underreporting but doesn’t qualify the surveillance process. Death criterion represents missed opportunities of interventions in preventable events, and might serve as negative indicator of the surveillance.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/131161
Arquivos Descrição Formato
000977581.pdf (2.110Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.