Repositório Digital

A- A A+

Remoção de nitrogênio amoniacal por adsorção em carvão ativado

.

Remoção de nitrogênio amoniacal por adsorção em carvão ativado

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Remoção de nitrogênio amoniacal por adsorção em carvão ativado
Autor Kehl, Cibele Cristina Pinto Lauxen
Orientador Gutterres, Mariliz
Co-orientador Mella, Bianca
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Química.
Assunto Engenharia química
Resumo Atividades humanas como a disposição inadequada de resíduos líquidos e sólidos, uso excessivo de fertilizantes e a produção de energia tem provocado alterações no ciclo natural do nitrogênio. Uma das formas mais tóxicas do nitrogênio é a amônia (NH3 ou NH4+). Sendo ela a principal causa da eutrofização de corpos hídricos, além de ser altamente tóxica em água. Técnicas convencionais para o tratamento desse poluente geralmente não são eficientes o suficiente para atingir os parâmetros exigidos por legislações nacionais, e técnicas com desnitrificação, troca iônica e osmose reversa apresentam altos custos de operação. Dessa forma, técnicas de adsorção de amônia vêm sendo estudada com vários tipos de materiais adsorventes, e tem se mostrado bastante eficiente. O carvão ativado comercial é um sólido adsorvente com grande capacidade de sorver íons e compostos orgânicos, sendo indicado para a remoção de poluentes de soluções aquosas. Portanto, este trabalho estudou a possibilidade de se tratar efluentes contendo amônia, utilizando carvão ativado como sólido adsorvente em soluções sintéticas de amônia. Para isso, realizaram-se ensaios de adsorção para obterem-se as condições ótimas de processo. Foram estudadas a influência do pH, da concentração do sólido sorvente, da concentração inicial de adsorbato e do tempo de adsorção. Além disso, foi estudada a cinética da reação ajustada para modelos usuais, e foi construída a isoterma de equilíbrio que foi ajustada pelos modelos de Langmuir e Freundlich. Os resultados mostraram que foi possível atingir uma eficiência de remoção de 30% nas condições de pH 6, tempo de 60 minutos e massa de sólido de sorvente de 1 grama. Os modelos cinéticos de pseudo-primeira ordem e ordem geral de ajustaram aos dados experimentais. Segundo a classificação de Giles a isoterma de equilíbrio é do tipo sigmoidal S3 ou S4, o que indica uma adsorção cooperativa.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/131318
Arquivos Descrição Formato
000981346.pdf (626.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.