Repositório Digital

A- A A+

Relações entre língua, ideologia e subjetividade

.

Relações entre língua, ideologia e subjetividade

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Relações entre língua, ideologia e subjetividade
Autor Lenz, Cristiane
Orientador Zandwais, Ana
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Discurso
Ideologia
Língua
Subjetividade
[en] Discourse
[en] Ideology
[en] Language
[en] Subjectivity
Resumo Este trabalho tem por objetivo pensar de que forma a língua se constitui em suas relações com o que é da ordem do subjetivo e do ideológico, haja vista que nos movimentamos sobre as bases materialistas dos estudos da linguagem. Na medida em que compreendemos que os processos de constituição do sentido não estão predispostos em um sistema que se organiza unicamente por leis internas, buscamos realizar um percurso teórico que dê conta de observar de que forma a Filosofia da linguagem de base materialista concebe a língua como uma materialidade que se constrói a partir de condições ideológicas de produção e do sujeito ideologicamente determinado. Para tais fins, realizaremos um percurso de leitura que se inicia com Mikhail Bakhtin e Valentin Volochínov, em Marxismo e Filosofia da Linguagem (2009), visto que esses autores desenvolvem o conceito de signo ideológico e observam a necessidade de investigar a língua sob o prisma social e histórico. Além disso, essa obra traz uma reflexão crítica acerca das tendências do pensamento filosófico-linguístico, denominadas objetivismo abstrato, que é própria dos estudos formalistas, e subjetivismo idealista, própria dos estudos que tratam da subjetividade como fato individual. Essa crítica é essencial para compreendermos de que forma a proposta materialista de Bakhtin / Volochínov se constrói de forma a responder a questões que as duas tendências abordadas não respondem satisfatoriamente. Em um segundo momento de nosso trabalho, observamos a necessidade de fazer a leitura da obra de Louis Althusser, Sobre a reprodução (2008), para compreendermos, no mínimo, três aspectos. Primeiro, de que forma Althusser redimensiona os estudos marxistas a partir do seu estudo sobre os Aparelhos Ideológicos de Estado. Segundo, como se constrói o seu conceito material de ideologia. Terceiro, de que forma a sua tese da interpelação inaugura um conceito de sujeito ideológico na França. A partir disso, nos encaminhamos para a reflexão sobre o modo como Michel Pêcheux (2009) desenvolve uma teoria do discurso que investiga a língua e o discurso sob uma perspectiva materialista e compreende o sujeito e a ideologia como constitutivos do sentido. Deste modo, procedemos à leitura de Semântica e Discurso (2009) e outros textos da obra Por uma análise automática do discurso (2010), organizada por Françoise Gadet e Tony Hak, considerando que estes estudos são basilares para a compreensão do pensamento de Michel Pêcheux no que tange às relações entre língua, subjetividade e ideologia.
Abstract This work aims to think how language constitutes in its relations to the subjective and ideological fields, considering that we work on the materialistic bases of the language studies. As we comprehend that the processes of constitution of the meaning are not disposed in a system which is only organized by internal laws, we seek to accomplish a theoretical path which enables us to observe how the philosophy of language on a materialistic basis conceives language as a materiality that is built from ideological conditions of production and the subject as ideologically determined. To do so, we will go through a reading process which starts with Mikhail Bakhtin and Valentin Volochínov, in Marxismo e Filosofia da Linguagem (2009), as these authors develop the concept of ideological sign and observe the need to investigate the language under a social and historical perspective. Furthermore, this work brings a critical reflection about the two filosofical-linguistic tendencies, called abstract objectivism, which is typical of formalist studies, and idealistc subjectivism, typical of the studies which regard the subjectivism as an individual fact. Such critic is essential to enable us to understand how the materialistic theory of Bakhtin / Volochínov develops the prospect to answer to issues which the two former tendencies do not respond in a satisfactory way. In a second moment of our work, we observe the necessity to read the work of Louis Althusser, Sobre a Reprodução (2008), in order to comprehend, at least, three issues. First, in which ways Althusser resize the marxist studies with his study on the State Ideological Apparatus. Second, how his material concept of ideology is built. Third, how his interpellation thesis starts a concept of ideological subject in France. On this base, we move on to the reflection on how Michel Pêcheux (2009) develops a discourse theory that investigates language and discourse under a materialistic perspective and comprehend the subject and the ideology as constitutive of meaning. Therefore, we will proceed to read Semântica e Discurso (2009) and other texts from Por uma análise automática do discurso (2010), organized by Françoise Gadet e Tony Hak, considering these studies are the base for a comprehension of the work and thought of Michel Pêcheux on which is concerned to the relations between language, ideology and subjectivity.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/131722
Arquivos Descrição Formato
000979259.pdf (952.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.