Repositório Digital

A- A A+

Caracterização petrográfica do Kimberlito Rosário 06 da Província Kimberlítica de Rosário do Sul/RS

.

Caracterização petrográfica do Kimberlito Rosário 06 da Província Kimberlítica de Rosário do Sul/RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Caracterização petrográfica do Kimberlito Rosário 06 da Província Kimberlítica de Rosário do Sul/RS
Autor Adrião, Álden de Brito
Orientador Conceição, Rommulo Vieira
Lenz, Cristine
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Geociências. Curso de Geologia.
Assunto Petrologia
Rosário do Sul (RS)
[en] Kimberlite
[en] Perovskite
[en] Ultrapotassic
Resumo Na região de Rosário do Sul e arredores, intrusivo na borda sudeste da Bacia do Paraná, existe uma região afetada por uma antiga manifestação vulcânica conhecida como Província Kimberlítica de Rosário do Sul. Nela afloram diversos pequenos corpos vulcânicos agrupados em quatro cluster’s. O corpo estudado pertence ao cluster Rosário do Sul, próximo ao rio Ibicuí da Armada, tem aproximadamente 7m2 de rocha aflorante e encontra-se encaixado em uma drenagem. Este afloramento é especial pois a rocha é coesa pouco e alterada, o que é raro para este tipo litológico. O estudo e compreenção deste vulcanismo no Rio Grande do Sul se faz necessário para a contrução de modelos de evolução mantélica e crustal para esta região e de outras similares. O objetivo deste trabalho é caracterizar a rocha de forma detalhada e precisa. Para o estudo de caracterização petrológica deste corpo vulcânico foram necessárias saídas de campo para coleta de amostras e de informações in situ, inclusive um levantamento geofísico basico de magnetometria e gravimetrometria. Para petrografia de detalhe e a geoquímica de elementos maiores, foram realizadas análises usando técnicas como MEV-EDS, XRD e XRF, para melhor identificação dos constituintes. Apartir de dados de campo e literatura foi constatado que o corpo está alinhado com zonas de transcorrência antigas e profundas e.g. como o lineamento Ibaré e com falhas N-NE posteriores. Sabendo que kimberlitos geralmente aproveitam tais estruturas, por certo que estas rochas funcionam como delimitadores de terrenos e descontinuidades profundas. A rocha possui textura inequigranular com megacristais (>1cm) de olivina e xenólitos envoltos por uma matríz ígnea microlítica (<0,0625mm). A mineralogia é composta basicamente por fenocristais euédricos e subédricos de forsterita (serpentinizados), alguns destes cristais apresentam caracteristicas óticas anômalas, além de cristais de flogopita, perovskita, apatita e ilmenita. Em menores quantidades é encontrado diopsídio, magnesita, kalsilita, cromita, sulfetos e fases estranhas. Nas amostras menos alteradas é possível perceber que a matriz é levemente heterogênea com segregações magmáticas. A presença de componentes reabsorvidos (tardi-cristalinos) é marcante, resultado de uma mudança nos parâmetros de equilíbrio na formação desta rocha. Existem também lápilis de diversos tamanhos, estes interpretados como uma concentração de elementos voláteis cristalizados de forma circular e elíptica. O C.I. (Contamination Index) é relativamente baixo e o Mg# é relativamente alto. Os dados químicos de elementos maiores comprovam sua natureza ultrabásica, rica em K, Ca e Ti. A comparação com dados de rochas similares certificam sua classificação kimberlítica e sugerem forte semelhança com os kimberlitos tipo II da África do Sul.
Abstract Around the Rosário do Sul city, there is a region affected by an ancient volcanic activity known as Rosário do Sul Kimberlitic Province, geologically located on the southeast edge of the Paraná Basin. In this Province, there are many small volcanic outcrops grouped into four cluster’s. The outcrop studied belongs the Rosário do Sul cluster, near the Ibicuí da Armada river, it has 7m2 of rock exposure and is located together with a drainage. The rock found in this outcrop is in excellent conservation state, something unusual for this kind of rock. The study and comprehension of this type of volcanism in Rio Grande do Sul is necessary for the construction of mantelic and crustal evolution models for this region and others alike. The objective of this work is to do a detailed petrographic study of this volcanic outcrop, together with major elements geochemistry analysis. To study the petrological characterization of the volcanic body were required field trips to collect samples and information in situ, including a basic gravimetrometry and magnetometry geophysical mapping. The detailed petrography work and major elements geochemistry, was done with MEV-EDS, XRD and XRF analysis to better minerals identification. Using field data and literature was found that the body is aligned with areas of old deep shear zones like Ibaré shear zone and with N-NE later faults. Knowing that kimberlites often make use of these structures for granted that these rocks act as delimiters of terrains and deep discontinuities. The rock has inequigranular texture with olivine megacrysts (>1cm) and xenoliths surrounded by a fine microlithic igneous matrix (<0.0625mm). The mineralogy consists mainly of euhedral and subhedral phenocrysts of forsterite (serpentinized), some of these crystals exhibit anomalous optical characteristics, moreover crystals of phlogopite, perovskite, apatite and ilmenite. In smaller quantities is found diopside, magnesite, kalsilita, chromite, sulfide and some strange phases. In the less altered samples you can see that the matrix is slightly heterogeneous with magmatic segregations. The presence of absorbed components (late-crystalline) is marked, and is result of a change in the equilibrium parameters of the former rock. There are also several sizes of lápilli, they are interpreted as a concentration of volatile elements crystallized in a circular and elliptical. The C.I. (contamination index) is relatively low and the Mg # is relatively high. The chemical data of major elements show ultrabasic nature, rich in K, Ca and Ti. A comparison with data of similar rocks certify its kimberlitic classification and suggest a strong resemblance to the kimberlites type II of South África.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/131928
Arquivos Descrição Formato
000837805.pdf (4.525Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.