Repositório Digital

A- A A+

Produção de carvão vegetal e agricultura de corte e queima como estratégias de meio de vida rurais sustentáveis em Biguaçu/SC

.

Produção de carvão vegetal e agricultura de corte e queima como estratégias de meio de vida rurais sustentáveis em Biguaçu/SC

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Produção de carvão vegetal e agricultura de corte e queima como estratégias de meio de vida rurais sustentáveis em Biguaçu/SC
Autor Luca, Fernando Vieira de
Orientador Kubo, Rumi Regina
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural.
Assunto Agricultura familiar
Biguaçu (SC)
Carvão
Desenvolvimento rural
Sustentabilidade
[en] Charcoal
[en] Family farming
[en] Rural livelihoods
[en] Slash and burn agriculture
Resumo Essa pesquisa foi desenvolvida no município de Biguaçu, litoral de Santa Catarina, especificamente na localidade de Três Riachos, e visou compreender o quão sustentáveis são as maneiras com que famílias de agricultores aí residentes conduzem suas vidas em meios rurais, que estão associados a duas práticas particularmente associadas: a agricultura de corte e queima e a produção de carvão. Esses agricultores familiares movimentaram historicamente um sistema social e ecológico do qual estiveram fortemente subsidiados por recursos florestais, um ativo particularmente importante para essas pessoas. De um ponto de vista multidimensional, ancorado pelo conceito de desenvolvimento como liberdade e da capacitação de pessoas em acessarem múltiplos recursos, ou ativos, nos propomos discutir possíveis respostas para as perguntas que seguem: possuem qualidade de vida essas pessoas? São sustentáveis seus meios de vida? Procuramos descrever as particularidades sociais e ecológicas do contexto de estudo através de dados coletados com etnografia e observação participante, confrontá-los com dados secundários e discutindo-os com bibliografias pertinentes. Para tal, levamos em consideração o acesso a cinco tipos de ativos relacionados, capital natural, capital humano, capital financeiro, capital social e capital físico e mais um associado, o capital cultural. Concluiu-se que as características particulares de cada ativo/capital que aumentam ou diminuam a sustentabilidade dessas pessoas são: para o capital natural: a possibilidade de utilização de recursos naturais advindos da própria propriedade da família e a capacidade de regeneração, ou renovação desses recursos naturais; para o capital humano, físico e financeiro: o trabalho excessivo e insalubridades relacionadas às suas atividades, a precariedade da infraestrutura e dos processos produtivos, a falta de conhecimentos para acessarem tecnologias e políticas públicas para melhorar essa infraestrutura; para o capital social: as relações de confiança e reciprocidade entre as pessoas das comunidades, a possibilidade de melhorias das relações de confiança com o público externo; no capital cultural: as características de cuidado dos agricultores que fazem com que eles estabeleçam relações de reciprocidade para com pessoas externas, seus clientes, sendo que para isso, depositam um esforço para que seus produtos sejam de boa qualidade. A busca de meios de vida sustentáveis é a maneira de se criar sistemas sócioecológicos resilientes. A sustentabilidade social e ambiental dessas famílias possuem potenciais positivos e negativos, e que certamente possuem desafios para que sejam reproduzíveis em sistemas sócioecológicos resilientes. A pesquisa contribuiu com o esforço de gerar dados para a compreensão dessa realidade complexa. A gestão de sistemas sociais e ecológicos deve levar em consideração um portfólio de ativos sociais, econômicos, ecológicos, humanos e culturais para que seja possível constituir sistemas sócio ecológicos resilientes.
Abstract This research was conducted in the city of Biguacu, Santa Catarina coast, specifically in the town of Três Riachos, and aimed to understand how sustainable are the ways in which families residing farmers lead their lives in rural areas, that are associated with two practices particularly associated with: a cut and burn agriculture and charcoal production. These farmers historically handled a social and ecological system of which were heavily subsidized by forest resources, a particularly important asset for these people. A multidimensional perspective, anchored by the concept of development as freedom and empowerment of people to access multiple resources, or assets, we propose to discuss possible answers to the following questions: have quality of life these people? Are sustainable livelihoods? We try to describe the social and ecological characteristics of the study context through data collected with ethnography and participant observation, confront them with secondary data and discussing them with relevant bibliographies. To this end, we consider access to five types of related assets, natural capital, human capital, financial capital, social capital and physical capital and another associate, the cultural capital. It was concluded that the particular characteristics of each asset / capital that increase or decrease the sustainability of these people are for natural capital: the possible use of natural resources from their own family property and regeneration capacity, or renewal of these resources natural; to the human, physical and financial capital: overwork and? insalubrity related to its activities, poor infrastructure and production processes, the lack of knowledge to access technologies and policies to improve the infrastructure; to social capital: trust relationships and reciprocity between people of the communities, the possibility of improvements in trust with the general public; the cultural capital: the care of characteristics of farmers who make them establish reciprocal relations to external people, your customers, and for that, deposit an effort to make its products are of good quality. The search for sustainable livelihoods is the way to create resilient ecological systems partner. The social and environmental sustainability of these families have positive and negative potentials, and they certainly have challenges that are playable on resilient ecological systems partner. The research contributed to the effort to generate data for the understanding of this complex reality. The management of social and ecological systems must take into account a portfolio of corporate assets, economic, ecological, human and cultural so that you can be resilient ecological systems partner.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/132975
Arquivos Descrição Formato
000981221.pdf (8.400Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.