Repositório Digital

A- A A+

Três ensaios sobre intermediação financeira em modelos DSGE aplicados ao Brasil

.

Três ensaios sobre intermediação financeira em modelos DSGE aplicados ao Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Três ensaios sobre intermediação financeira em modelos DSGE aplicados ao Brasil
Autor Nunes, André Francisco Nunes de
Orientador Portugal, Marcelo Savino
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Economia.
Assunto Economia
[en] Bayesian econometrics
[en] Credit market
[en] DSGE
[en] Financial frictions
[en] Monetary policy
Resumo Esta tese é composta por três ensaios sobre a estimação bayesiana de modelos DSGE com fricções financeiras para o Brasil. O primeiro ensaio tem o objetivo de analisar como a incorporação de intermediários financeiros num modelo DSGE influenciam na análise do ciclo econômico, bem como uma política de crédito pode ser utilizada para mitigar os choques no mercado de crédito sobre a atividade. O governo brasileiro expandiu o crédito na economia através das instituições financeiras públicas tendo como custo o aumento da dívida pública. Para isso, foi estimado um modelo inspirado em Gertler e Karadi (2011) para avaliar o comportamento da economia brasileira sob a influência de uma política de crédito. Política de crédito mostrou-se efetiva para mitigar os efeitos recessivos de uma crise financeira que atinja a cotação dos ativos privados ou o patrimônio das instituições financeiras. Contudo, a política monetária tradicional se mostrou mais eficiente para a estabilização da inflação em momentos de normalidade. O segundo ensaio consiste na estimação de um modelo DSGE-VAR para a economia brasileira. A parte DSGE consiste em uma economia pequena, aberta e com fricções financeiras na linha de Gertler, Gilchrist e Natalucci (2007). A estimação do modelo indicou que flexibilização do espaço paramétrico possibilitado pelo modelo DSGE-VAR proporcionou ganhos em relação ao ajuste aos dados em relação a modelos alternativos. O exercício também obteve indicações de que os choques externos apresentam impactos significativos no patrimônio e no endividamento das firmas domésticas. Esse resultado fortalece a evidência de que um canal importante de transmissão dos movimentos da economia mundial para a o Brasil ocorre através das firmas. Por fim, no terceiro ensaio tem como foco a transmissão dos choques no spread de crédito bancário para as demais variáveis da economia e suas implicações para a condução da política monetária no brasil. Para isso, foi estimado um modelo DSGE com fricções financeiras para a economia brasileira. O modelo é baseado em Cúrdia e Woodford (2010), que propuseram uma extensão do modelo de Woodford (2003) para incorporar a existência de um diferencial entre a taxa de juros disponíveis aos poupadores e tomadores de empréstimos, que pode variar por razões tanto endógenas quanto exógenos. Nessa economia, a política monetária pode responder não somente às variações na taxa de inflação e hiato do produto através de uma regra simples, como também por meio de uma regra ajustada pelo spread de crédito da economia. Os resultados mostram que a inclusão do spread de crédito no modelo Novo Keynesiano não altera significativamente as conclusões dos modelos DSGE em respostas a perturbações exógenas tradicionais, como choques na taxa de juros, na produtividade da economia e no dispêndio público. Porém, nos eventos que ocasionam a deterioração da intermediação financeira, por meio de choques exógenos sobre o spread de crédito, o impacto sobre o ciclo econômico foi significativo e a adoção de uma regra de política monetária ajustada pelo spread pode conseguir estabilizar a economia mais rapidamente do que uma regra tradicional.
Abstract The present thesis is a collection of three essays on Bayesian estimation of DSGE models with financial frictions in the Brazilian economy. The first essay intends to investigate how the incorporation of financial intermediaries in a DSGE model influences the analysis of the economic cycle, as well as how the credit policy can be employed to mitigate the effects of shocks in the credit market on the economic activity. The Brazilian government expanded the credit in the economy through public financial institutions, which resulted in an increase of public debt. it estimated a model inspired by Gertler and Karadi (2011) to evaluate the performance of the Brazilian economy under the influence of a credit policy. Credit policy was effective to mitigate the recessionary effects of a financial crisis that affects the valuation of private assets and the net worth of financial institutions. However, the traditional monetary policy was more efficient for the stabilization of inflation in times of normality. The second essay consist of a DSGE-VAR model for the Brazilian economy. The DSGE model was estimated for a small, open economy with financial frictions, in line with Gertler, Gilchrist and Natalucci (2007). The results indicates that the estimation of DSGE-VAR provides an advantage for the data fitting in comparison to alternative models. In addition, the results indicate that external shocks have significant impacts in the equity and debt of domestic firms. This result strengthens (supports) the evidence that an important channel of transmission of the movements of the world economy for the Brazil takes place through productive sector. The third essay analyze the transmission of shocks in the banking credit spread for the other variables of the economy and its implications for the conduct of monetary policy in Brazil. We do so by estimating a DSGE model with financial frictions for the Brazilian economy. The model is based on Cúrdia and Woodford (2010), who proposed an extension of the model Woodford (2003) to incorporate the existence of a differential between the interest rates available to savers and borrowers, which can vary by both endogenous and exogenous reasons. In this model, monetary policy can respond not only to changes in the inflation rate and output gap through a simple rule, but also through a rule set by the credit spread of the economy. The results show that the inclusion of credit spread in the New Keynesian model does not significantly changes the conclusions of DSGE models in traditional responses to exogenous shocks, such as shocks in the interest rate, in the productivity of the economy and in public spending. However, in the events that cause the deterioration of financial intermediation through exogenous shocks on the credit spread, the impact on the business cycle was significant and the adoption of a monetary policy rule set by the spread can achieve a faster stabilization of the economy than a traditional rule.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/132999
Arquivos Descrição Formato
000982941.pdf (1.658Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.