Repositório Digital

A- A A+

Coping e efeitos do trabalho em turnos na saúde dos profissionais de enfermagem em um hospital universitário

.

Coping e efeitos do trabalho em turnos na saúde dos profissionais de enfermagem em um hospital universitário

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Coping e efeitos do trabalho em turnos na saúde dos profissionais de enfermagem em um hospital universitário
Outro título Coping and the effects of shifting work on the health of nurses at a teaching hospital
Outro título Coping y los efectos del trabajo por turnos en la salud de enfermeros en un hospital universitario
Autor Antoniolli, Liliana
Orientador Souza, Sônia Beatriz Cócaro de
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Adaptação psicológica
Equipe de enfermagem
Trabalho em turnos
[en] Adaptation psychological
[en] Coping
[en] Nursing team
[en] Shift work
[es] Adaptación psicológica
[es] Grupo de enfermería
[es] Trabajo por turnos
Resumo Trata-se de um estudo de abordagem quantitativa transversal, que objetivou verificar a relação entre o coping e efeitos do trabalho em turnos sobre a saúde dos profissionais de enfermagem em um hospital universitário de Porto Alegre. Tendo sido desenvolvido nas unidades de internação abertas da referida instituição. Para avaliação do coping foi utilizado o instrumento Coping com o Trabalho por Turnos; e para avaliação dos efeitos do trabalho em turnos foram aferidas as variáveis: alterações cognitivas, qualidade do sono, estresse, relato de alterações no hábito alimentar, alterações gástricas e percepção de diferença na saúde após início do trabalho em regime de turnos. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da instituição, respeitando os preceitos éticos. Os dados foram organizados e analisados no programa estatístico SPSS, 18.0. A amostra do estudo foi de 124 profissionais, sendo 48 (39%) enfermeiros e 76 (61%) técnicos e/ou auxiliares de enfermagem. Obteve-se associações estatisticamente significativas entre o coping e efeitos do trabalho em turnos na saúde dos profissionais de enfermagem, tendo sido observado associação estatisticamente significativa entre domínios do questionário de coping: sono (p=0,001) e saúde (p=0,003), e coping total (p=0,003) com efeitos do trabalho em turnos. Ressalta-se que dos profissionais entrevistados, 45 (37%) apresentavam efeitos do trabalho em turnos na saúde. Os resultados sugerem que o uso consciente de estratégias de coping pode evitar efeitos negativos e danosos deste regime de trabalho ao bem-estar psíquico e físico dos enfermeiros e técnicos/auxiliares de enfermagem. Desta forma, o reforço das estratégias de coping centrado na saúde em profissionais de enfermagem pode contribuir para a melhor adaptação ao trabalho em turnos.
Abstract It is a quantitative and transversal study, which aimed to verify the relation between coping and the effects of shift working on nursing professionals’ health at a teaching hospital in Porto Alegre. Also, it was developed in open inpatient units at the institution. The instrument Coping with Shifting Work was used to evaluate the coping; and for the evaluation of shifting work effects the following variables were assessed: cognitive variations, sleep quality, stress, eating habits changes reported, gastric variations and perception of differences in health after the beginning of the shifting work modality. The study was approved by the Research Ethics Committee from the institution, which respected the ethic precepts. Data was organized and analyzed in the statistical program SPSS, 18.0. The sample of study was 124 professionals, from which 48 (39%) were nurses and 76 (61%) were technicians and/or assistants of nursing. Significant statistics associations were obtained between coping and the effects of shifting work on the health of nursing professionals, mainly among domains of coping questionnaire: sleep (p=0,001) and health (p=0,003), and total coping (p=0,003), with effects due to shifting work. From the interviewed professionals, it is important to stand out that 45 (37%) presented shifting work effects on their health. The results implies that the conscious use of coping strategies may prevent negative and detrimental effects of this modality of work on nursing technician/assistants and nurses’ physical and psychological well-being. Thus, the intensification of coping strategies focused on the nursing professional’s health may contribute to improve the adaptation to shifting work.
Resumen De esta manera, el refuerzo de estrategias de coping centrado en la salud en profesionales de enfermería puede contribuir para la mejor adaptación al trabajo por turnos. Se trata de un estudio de abordaje cuantitativa transversal, que objetivo verificar la relación entre coping y los efectos del trabajo por turnos sobre la salud de los profesionales de enfermería en un hospital universitario de Porto Alegre. Más allá, fue desarrollado en las unidades de internación abiertas de la referida institución. Para la evaluación del coping fue utilizado el instrumento Coping con el Trabajo por Turnos; y para la evaluación de los efectos de trabajo por turnos fueron comprobadas las variables: alteraciones cognitivas, calidad de sueño, estrese, relato de alteraciones en el hábito alimentar, alteraciones gástricas y percepción de diferencia en la salud después del empezó del trabajo por turnos. El estudio fue comprobado por lo Comité de Ética y Pesquisa de la institución, respectando los preceptos éticos. Los datos fueron organizados y analizados en el programa estadístico SPSS, 18.0. La muestra de estudio fue 124 profesionales, siendo 48 (39%) enfermeros y 76 (61%) técnicos y/o auxiliares de enfermería. Se obtuve asociaciones estadísticamente significativas entre el coping e efectos del trabajo por turnos en la salud de profesionales de enfermería, teniendo sido observada asociación estadísticamente significativamente entre dominios del cuestionario de coping: sueño (p=0,001) y salud (p=0,003), y coping total (p=0,003) con efectos del trabajo por turnos. Se resalta que de los profesionales entrevistados, 45 (37%) presentaban efectos de trabajo por turnos en la salud. Los resultados sugieren que el uso consiente de estrategias de coping puede evitar efectos negativos y dañosos de este régimen de trabajo al bien-estar psíquico y físico de enfermeros y técnicos/auxiliares de enfermería.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/133118
Arquivos Descrição Formato
000985414.pdf (1.329Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.