Repositório Digital

A- A A+

Representações de corpo por estudantes do ensino médio de uma escola pública de Porto Alegre

.

Representações de corpo por estudantes do ensino médio de uma escola pública de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Representações de corpo por estudantes do ensino médio de uma escola pública de Porto Alegre
Autor Zardo, Gabriela Fátima
Orientador Wittizorecki, Elisandro Schultz
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Adolescente
Educação física escolar
Resumo O presente estudo teve como objetivo compreender as representações que estudantes de Ensino Médio do sexo feminino de uma escola pública de Porto Alegre/RS constroem acerca do corpo, quais práticas escolares impactam nessas representações, bem como que cuidados tais estudantes têm privilegiado com relação ao mesmo. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa qualitativa de natureza descritiva, na qual levantei informações a partir de um grupo de discussão e de observações das aulas de Educação Física em uma turma de terceiro ano do ensino médio, composto por meninas. O trabalho de campo foi realizado durante o segundo semestre de 2015 e as informações obtidas foram processadas por meio da análise de conteúdo. Foi possível compreender que as representações de corpo apresentadas pelas jovens se mostraram heterogêneas e não lineares, pois nem todas as jovens partilham do mesmo pensamento. Do mesmo modo, é possível destacar como cada menina manifesta, a partir da sua subjetividade, características singulares e com isso fica difícil de construir um parâmetro absoluto de como elas compreendem o corpo. As estudantes até podem partilhar de alguns cuidados em comum, mas não podemos afirmar que todas pensam e agem da mesma forma, já que cada uma tem uma forma particular de dar significado, experimentar e descobrir o seu corpo. Vale ressaltar que todas as adolescentes deste estudo estabelecem algum tipo de cuidado com o corpo, embora não estejam necessariamente ligados a uma supervalorização do mesmo. Além disso, parece que as demandas da adolescência, que carrega consigo certa transitoriedade da infância para o mundo adulto, exercem influência também na forma como as jovens cuidam do corpo, já que seus discursos são múltiplos e por vezes ambíguos no sentido de que ainda estão se afirmando e vivenciando diversas formas de cuidados nessa relação com o próprio corpo. As jovens parecem estar muito mais preocupadas com relação aos seus estudos, devido a estarem se preparando para seguirem uma carreira, realizar vestibular, concursos, se preparar para o mercado de trabalho, constituindo-se em demandas que mais tomam seu tempo e energia, que a busca por um suposto corpo ideal. A partir dos relatos das estudantes, é possível destacar também que a temática corpo se mostra invisibilizada na escola, apesar de ser um tema que está muito presente na vida destas jovens. No que diz respeito as aulas de Educação Física, as jovens narram que estas voltam-se especialmente para a atividade física. Dessa forma, o olhar para o corpo, bem como diálogos sobre esse tema, não se faz presente nas aulas de Educação Física desta escola.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/133202
Arquivos Descrição Formato
000983866.pdf (408.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.