Repositório Digital

A- A A+

Efeitos de dois tipos de treinamento físico de baixo impacto sobre o tempo de tela em adolescentes com excesso de peso

.

Efeitos de dois tipos de treinamento físico de baixo impacto sobre o tempo de tela em adolescentes com excesso de peso

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeitos de dois tipos de treinamento físico de baixo impacto sobre o tempo de tela em adolescentes com excesso de peso
Autor Magalhães, Rafael de Lima
Orientador Kruel, Luiz Fernando Martins
Co-orientador Santos, Natália Soares dos
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Adolescente
Hidroginastica
Obesidade
[en] Adolescents
[en] Hidrogimnastic
[en] Jump
[en] Obesity
[en] Screen time
Resumo A obesidade é considerada um problema de saúde pública ao redor do mundo, tanto em países desenvolvidos como nos países em desenvolvimento, e seu crescimento tem sido caracterizado como uma pandemia. Estudos no Brasil confirmam essa tendência, com prevalência crescente também entre crianças e adolescentes, o que chama a atenção, visto que obesidade adquirida nessa fase tende a perdurar até a vida adulta. Maior problema do que a obesidade em si, são as doenças crônicas não transmissíveis a ela associadas, que já aparecem em idades precoces. Estudos demonstram que a infância é considerada um período da vida de estruturação, no qual os padrões de dieta e de estilo de vida são formados e fixados e, quando inadequados, podem levar a complicações cardiovasculares, endócrinas e ainda ao baixo desempenho escolar. O estilo de vida moderno, que acaba estimulando o sedentarismo, sobretudo pelo aumento do tempo de televisão, computador, celular e videogame, contribui para o aumento na prevalência da doença na adolescência. No entanto, diminuir o sedentarismo, sobretudo reduzindo o tempo em frente às telas, pode levar também à diminuição do índice de massa corporal. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi verificar a eficiência de dois tipos de treino de baixo impacto sobre o tempo de tela em adolescentes com excesso de peso. Trata-se de um ensaio clínico randomizado, com 67 adolescentes com excesso de peso, que foram recrutados por meio de mídia impressa. Todos participantes assinaram termo de assentimento assim como seus pais ou responsáveis legais o termo de consentimento livre e esclarecido. Os adolescentes foram alocados em três grupos: grupo controle (GC); grupo hidroginástica (GH); e grupo jump (GJ). Os três grupos tiveram uma sessão semanal de orientação nutricional, e o GH e GJ também treinaram por 12 semanas com três sessões semanais variando entre 24 e 32 minutos de parte principal, conforme fase da periodização do treinamento, com aulas de hidroginástica e jump, respectivamente. Foram realizadas avaliações antropométricas, além de avaliação do tempo de tela por meio de questionário criado para o presente estudo, com base em instrumentos utilizados na literatura, a fim de identificar a quantidade de horas que os adolescentes passavam em frente de uma tela – televisão, computador, videogame e celular. A aplicação do questionário foi realizada pré e pós-período de treinamento, assim como as avaliações antropométricas. Para a análise dos dados de tempo de tela as comparações entre os grupos e os tempos, além da interação grupo*tempo, foram utilizadas Equações de Estimativa Generalizadas – GEE e para localizar as diferenças foi usado o post hoc de Bonferroni, adotando α=0,05. Os resultados demonstraram que não houve diferença no tempo de tela entre os grupos, pré e pós-intervenção, nem entre os tempos para os três grupos, embora tenha havido redução no IMC nos grupos de exercícios do período pré para o pós-treinamento. Sendo assim, a intervenção proposta no presente estudo não foi eficiente no que tange à redução do tempo de tela nos adolescentes com excesso de peso, independente do grupo ao qual foram alocados.
Abstract Obesity is a public health problem around the world, both in developed countries and in developing countries, and its growth has been characterized as a pandemic. Studies in Brazil confirm this trend, with increasing prevalence also among children and adolescents, which draws attention, since obesity acquired during this phase tends to persist into adulthood. Bigger problem than obesity itself, are non-communicable chronic diseases associated with it, that already appear at early ages. Studies show that childhood is considered a period structuring of life, in which dietary patterns and lifestyle are formed and fixed, and when inadequate, can lead to cardiovascular, endocrine, and also to poor school performance complications. The modern lifestyle, which ends up encouraging sedentary lifestyle, especially by increased television time, computer, mobile and video games, contributes to the increase in the prevalence of the disease in adolescence. However, decrease sedentary lifestyle, especially reducing the time in front of screens, can also lead to decreased body mass index. Thus, the aim of this study was to assess the effectiveness of two types of training low impact on the screen time among adolescents overweight. This is a randomized clinical trial with 67 overweight adolescents, who were recruited through print media. All participants signed a consent term as well as their parents or guardians the consent form and clear. The adolescents were divided into three groups: control group (CG); water aerobics group (GH); and jump group (GJ). The three groups had a weekly session of nutritional guidance, and GH and GJ also trained for 12 weeks with three weekly sessions ranging between 24 and 32 minutes main part, as phase of periodization training with aerobics classes and jump, respectively. Anthropometric evaluations were carried out, and evaluation of screen time using a questionnaire created for this study, based on instruments used in the literature in order to identify the amount of time that teenagers spent in front of a screen - TV, computer, video game and mobile. The questionnaire was carried out before and after the training period, as well as anthropometric measurements. For the analysis of screen time data comparisons between groups and times, as well as interaction group * time, they were used Estimating Equations Generalized - GHG and to locate the differences was used post hoc Bonferroni, adopting α = 0 05. The results showed no difference in screen time between groups, pre- and post-intervention, or between the times for the three groups, although there was a reduction in BMI in the exercise groups of the period, pre and post-training. Thus, the proposed intervention in this study was not efficient when it comes to reducing screen time among adolescents overweight, regardless of the group that has been allocated.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/133524
Arquivos Descrição Formato
000984026.pdf (825.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.