Repositório Digital

A- A A+

Vida independente, ainda que modesta : dependentes, trabalhadores rurais e pequenos produtores na fronteira meridional do Brasil (C. 1884 - C. 1920)

.

Vida independente, ainda que modesta : dependentes, trabalhadores rurais e pequenos produtores na fronteira meridional do Brasil (C. 1884 - C. 1920)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Vida independente, ainda que modesta : dependentes, trabalhadores rurais e pequenos produtores na fronteira meridional do Brasil (C. 1884 - C. 1920)
Autor Leipnitz, Guinter Tlaija
Orientador Osório, Helen
Data 2016
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História.
Assunto Brasil
Campesinato
Fronteira
Trabalhadores rurais
[en] Border
[en] Peasantry
[en] Relations of dependency
[en] Río de la Plata region
[en] Rural history
[en] Rural workers
Resumo Esta tese tem como objeto central o universo de pequenos produtores e trabalhadores rurais de Uruguaiana – fronteira do Brasil meridional com a província argentina de Corrientes e o norte uruguaio - no período pós-escravidão (1884-1920). A questão principal que procuramos responder é como, neste contexto de transformação, buscavam estes sujeitos readequar-se na economia local, considerando-se as possibilidades de manutenção de suas margens de autonomia. Especialmente a partir da análise de processos-crime, procuramos identificá-los na dinâmica da Campanha riograndense, estabelecendo seu perfil sociodemográfico, comparativamente a outros sujeitos, e de que maneira se inseriram nas relações sociais locais, mediadas por vínculos de dependência. Dentro deste universo, enfocamos os jornaleiros e agregados, buscando compreendê-los sob a perspectiva da lógica familiar camponesa. O fim da escravidão não provocou o desaparecimento de relações de dependência na região, mas sua readequação, e a ressignificação das condições de “proprietário” e “dependente” no espectro dos níveis de autonomia. O cerceamento de formas mais precárias de acesso à terra – generalizadas na Campanha até meados do século XIX – foi um aspecto central nesse processo, sobre o qual incidiram, na virada para o XX, a intensa circulação de pessoas, especialmente trabalhadores, através da fronteira, bem como a atuação das autoridades a partir da regulação normativa das condutas sociais. Os sujeitos expropriados por este processo procuravam agir diante de tal cenário cambiante, e suas possibilidades de resistência davam-se dentro dos marcos da mobilização de práticas costumeiras e das relações de dependência em seu favor.
Abstract The core purpose of this thesis is to investigate the universe of small producers and rural workers of Uruguaiana – Southern Brazil border with the Argentinian province of Corrientes and the northern Uruguay – in the post-slavery era (1884-1920). The main question we intend to answer is how, in this changing context, these agents seek to fit in the local economy regarding the possibilities of keeping their margins of autonomy. Mainly through the analysis of criminal cases, we intend to identify these small producers and rural workers in the dynamics of the Campanha rio-grandense, by setting their sociodemographic profile in comparison with other agents. Also, we intend to understand how they put themselves in the local social relations mediated by bonds of dependency. Within this universe of analysis, we focused on jornaleiros (day-laborers) and agregados (landless producers), which are understood under the perspective of the peasant logic. The end of slavery did not produce the disappearing of relations of dependency in the region, but its rearrangement and the resignification of conditions such as “proprietary” and “dependent” in the range of autonomy levels. The retrenchment of the most precarious modes of access to land – which were disseminated in the Campanha until the midterms of the nineteenth century – was a core factor in this process, on which incurred, in the turn of the twentieth century, the intense circulation of people through the border, especially workers, as well as the acting of local authorities through the normative regulation of social conducts. The agents expropriated by this process seek to act towards this changing context, and their chances of resistance took place within the boundaries of the handling of customary practices and the relations of dependency in their favor.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/134345
Arquivos Descrição Formato
000985815.pdf (3.252Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.