Repositório Digital

A- A A+

Monumentos de papel : a poética da morte nos necrológios de Manoel de Araújo Porto-Alegre (1839-1857)

.

Monumentos de papel : a poética da morte nos necrológios de Manoel de Araújo Porto-Alegre (1839-1857)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Monumentos de papel : a poética da morte nos necrológios de Manoel de Araújo Porto-Alegre (1839-1857)
Autor Costa, Lucas La Bella
Orientador Cezar, Temistocles Americo Correa
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História.
Assunto Brasil
Historiografia
Império
Porto-Alegre, Manuel de Araujo 1806-1879
Resumo O presente trabalho aborda as relações entre novas práticas funerárias que começam a surgir no Brasil Imperial e a preocupação memorialística da escrita. A escrita historiográfica e necrológica de Manuel de Araújo Porto-Alegre, presente nos texto publicados na Revista do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro entre 1839 e 1857, procuravam responder as inquietudes causadas pela finitude humana, numa tentativa de oferecer tranquilização perante a morte dos outros. Homenageando cidadãos ilustres, beneméritos da Nação e patronos da independência, o autor estudado buscava construir um panteão brasileiro, erigindo seus monumentos na palavra, afirmando o conhecimento histórico e letrado como forma mais legítima e verdadeira de salvaguardar a memória, bem como a vida daqueles considerados como grandes homens. Não bastava encomendar a alma aos céus: com o surgimento das necrópoles cemiteriais e a crescente monumentalidade dos túmulos, resguardar a memória de ilustres falecidos tornava-se uma necessidade evidente e incontornável, fazendo parte da agenda mortuária e cívica.
Abstract This work discusses the relationship between new funerary practices that are beginning to emerge in Imperial Brazil and the memorialistic concerns of writing. The historiographical and obituary writing of Manuel de Araújo Porto-Alegre, present in the texts published in the journal of the Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro between 1839 and 1857, tried to answer the concerns caused by human finitude in an attempt to offer reassurance before the death of others. Honoring distinguished citizens, benefactors of the Nation and patrons of independence, the author studied sought to build a Brazilian pantheon, erecting their monuments in the word, affirming the historical and literary knowledge as more legitimate and true way to safeguard memory and the lives of those considered as great men. It was not enough to order the soul to the heavens, with the emergence of cemeterial necropolis and the increasing of the monumentality of the tombs, safeguard the memory of deceased illustrious became an obvious and unavoidable necessity, part of the mortuary and civic agenda.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/134366
Arquivos Descrição Formato
000987881.pdf (734.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.