Repositório Digital

A- A A+

O rap como expressão da cultura popular e da tomada de consciência : enfrentando a prisionização e a seletividade do sistema penal

.

O rap como expressão da cultura popular e da tomada de consciência : enfrentando a prisionização e a seletividade do sistema penal

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O rap como expressão da cultura popular e da tomada de consciência : enfrentando a prisionização e a seletividade do sistema penal
Autor Poncio, Gabriel Rodrigues
Orientador Wünsch, Dolores Sanches
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Curso de Serviço Social.
Assunto Políticas públicas
Prisão
Resumo O presente Trabalho de Conclusão de Curso consiste em um pré-requisito para a conclusão do Curso de Serviço Social visando a obtenção do título de Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Este trabalho tem como objetivo evidenciar como a cultura hip hop, com ênfase no rap, contribui para o enfrentamento da prisionização dos sujeitos que cumprem pena de privação de liberdade, conduzindo-os para a tomada de consciência e engajamento ético-político. É fruto de indagações advindas do estágio realizado na Penitenciária Feminina Madre Pelletier e busca respostas concretas para desvendar e resistir às expressões da questão social que permeiam a vida destes sujeitos marginalizados. O trabalho contextualiza, a realidade do sistema penitenciário e passa por conceitos chaves que permitem, aos envolvidos com a temática, perceberem este espaço dentro de uma ótica técnica, politica e comprometida com a transformação de tais instituições prisionais. Traduz a história do Hip Hop e a relação do rap com o sistema prisional, além de fazer referência ao projeto MC’s para a Paz que é realizado pela Superintendência de Serviços Penitenciários do Rio Grande do Sul. A partir da análise de conteúdo de três músicas de rap percorrerá sobre os limites e possibilidades que o mesmo pode oferecer aos sujeitos encarcerados. Relata a realidade institucional e problematiza sobre o trabalho do Serviço Social no sistema prisional. Revela o rap como cultura popular e a necessidade de o Serviço Social reconhecer, somar esforços e abrir espaços para que a cultura popular se faça presente em seus ambientes de intervenção e na construção de um novo projeto societário. Encerra visualizando que “a revolução não será televisionada, ela será cantada” como forma de apontar perspectivas e traduzir a realidade apresentada nesse estudo.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/134404
Arquivos Descrição Formato
000985826.pdf (504.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.