Repositório Digital

A- A A+

Universidade pública e sujeito político : olhares dos estudantes engajados em movimentos sociais

.

Universidade pública e sujeito político : olhares dos estudantes engajados em movimentos sociais

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Universidade pública e sujeito político : olhares dos estudantes engajados em movimentos sociais
Autor Gruginskie, Claudete Lampert
Orientador Genro, Maria Elly Herz
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Estudante
Identidade política
Movimentos sociais
Sujeito
Universidade pública
[en] Political subject
[en] Public university
[en] Social movements
[es] Movimientos sociales
[es] Sujeto político
[es] Universidad pública
Resumo Esta dissertação tem por objetivo explicitar os olhares de universidade pública que emergem na perspectiva dos estudantes universitários engajados em movimentos sociais (MS), bem como as experiências marcantes na universidade para a potencialização dos sujeitos políticos. Com este estudo, buscamos reconhecer e visibilizar grupos e ações que se colocam na perspectiva de uma sociedade mais justa e humana, reconhecendo o possível espaço de transformação social produzido a partir das inter-relações desses estudantes com a universidade. Partimos do pressuposto que as percepções trazidas por esses estudantes sobre a realidade, considerando suas experiências nos movimentos sociais, traduzidas e apropriadas pela universidade, podem contribuir na construção de conhecimento contra-hegemônico. Para tanto, destacamos a universidade como espaço político e as representações, experiências e práticas dos sujeitos que contribuem no fortalecimento de uma universidade pública comprometida com a formação humanista, inclusiva, democrática. Conduzimos a pesquisa de acordo com uma abordagem qualitativa fundamentada em Maria Cecília de Souza Minayo. Para compor o material empírico, utilizamos a técnica de entrevista semiestruturada com estudantes universitários ligados aos movimentos sociais negro, de mulheres, indígena e LGBT. Analisamos os dados obtidos com base no Método de Interpretação de Sentidos proposto por Romeu Gomes. Estruturamos a discussão a partir de três eixos temáticos, que correspondem às categorias básicas da pesquisa: sujeito político; movimento social; e universidade pública. Em cada um dos eixos, articulamos o material empírico às contribuições teóricas de autores como Boaventura de Sousa Santos, Hannah Arendt, Maria da Glória Gohn, Nancy Fraser e Chantal Mouffe . Como resultados, é possível afirmar que, segundo os olhares dos sujeitos, a universidade se constitui em espaço de potencialização da formação política, desenvolvida também em outros âmbitos, pela sua capacidade de aprofundamento do conhecimento teórico, base da formação acadêmica. Esse processo, por sua vez, também se beneficia das experiências de participações, reflexões, debates e ações políticas articuladas no movimento social. Ainda, a universidade, para além do trabalho teórico do conhecimento, constitui-se ela própria como espaço de ação política. Portanto, os olhares e experiências desses estudantes, aliados ao conhecimento teórico e experiências acadêmicas potencializam a constituição do sujeito político, desde que sejam rompidos os espaços de resistências e invisibilidades, historicamente arraigados em suas estruturas. A universidade tem a possibilidade de fortalecer identidades ou desconstituí-las. As fragilidades da universidade pública se revelam através do acesso ainda restrito, formação marcadamente eurocêntrica e resistências em contrapor-se a paradigmas hegemônicos . As potencialidades se apresentam nas ações de alguns sujeitos e grupos que se propõem a diálogos e ações em uma perspectiva contra-hegemônica de sociedade, assim como em novas políticas que acenam para uma democratização do acesso e diálogos com a diversidade. Dentre os desafios destacamos a democratização plena do acesso buscando tornar a universidade pública e popular, a adequação de currículos a uma perspectiva de conhecimento-emancipação e fortalecimento dos diálogos entre a universidade e o MS. A possibilidade de transformação da realidade resulta da construção de uma consciência social e política emergente no processo de formação do sujeito político. Os estudantes ligados aos movimentos sociais presentes na universidade pública se constituem em uma referência do próprio movimento, trazendo suas questões históricas e lutas cotidianas. Acreditamos que destacar os olhares e percepções destes estudantes contribui para a construção de uma universidade pública na perspectiva contra-hegemônica.
Resumen Esta disertación tiene por objetivo explicitar las miradas acerca de la universidad pública que emergen en la perspectiva de los estudiantes universitarios engajados en movimientos sociales, así como las experiencias significativas en la universidad para la potencialización dos sujetos políticos. Con este estudio, buscamos reconocer y visibilizar grupos y acciones que se colocan en la perspectiva de una sociedad más justa y humana, reconociendo el posible espacio de transformación social producido a partir de las interrelaciones de eses estudiantes con la universidad. Presuponemos que las percepciones traídas por eses estudiantes acerca de la realidad, considerando sus experiencias en los movimientos sociales, traducidas y apropiadas por la universidad, pueden contribuir en la construcción de conocimiento contra-hegemónico. Para tanto, destacamos la universidad como espacio político y las representaciones, experiencias y prácticas de los sujetos que contribuyen en el fortalecimiento de una universidad pública comprometida con la formación humanista, inclusiva, democrática. Conducimos la investigación en acuerdo con un abordaje cualitativo fundamentado en Maria Cecília de Souza Minayo. Para componer el material empírico, utilizamos la técnica de entrevista semiestructurada con estudiantes universitarios conectados a los movimientos sociales negro, de mujeres, indígena y LGBT. Analizamos los datos obtenidos en base al Método de Interpretación de Sentidos propuesto por Romeu Gomes Estructuramos la discusión a partir de tres ejes temáticos, que corresponden a las categorías básicas de la investigación: sujeto político; movimiento social; y universidad pública. En cada uno de los ejes, articulamos el material empírico a las contribuciones teóricas de autores como Boaventura de Sousa Santos, Hannah Arendt, Maria da Glória Gohn, Nancy Fraser e Chantal Mouffe. Como resultados, es posible afirmar que, según las miradas de los sujetos, la universidad se constituye en espacio de potencialización de la formación política, desarrollada también en otros ámbitos, por su capacidad de ahondamiento del conocimiento teórico, base da formación académica. Ese proceso, por su turno, también se beneficia de las experiencias de participaciones, reflexiones, debates y acciones políticas articuladas en el movimiento social. Aún, la universidad, más allá del trabajo teórico del conocimiento, constituyese ella misma como espacio de acción política. Por lo tanto, las miradas y experiencias de eses estudiantes, aliados al conocimiento teórico y experiencias académicas potencializan la constitución del sujeto político, desde que sean rompidos los espacios de resistencias e invisibilidades, históricamente arraigados en sus estructuras. La universidad tiene la posibilidad de fortalecer identidades o desconstituirlas . Las fragilidades de la universidad pública se revelan a través del acceso todavía restricto, de la formación marcadamente eurocéntrica y de resistencias en contraponerse a paradigmas hegemónicos. Las potencialidades se presentan en las acciones de algunos sujetos y grupos que se proponen a diálogos y acciones en una perspectiva contra-hegemónica de sociedad, así como en nuevas políticas que se ponen hacia una democratización del acceso y diálogos con la diversidad. Entre los desafíos destacamos la democratización plena del acceso buscando tornar la universidad pública y popular, la adecuación de currículos a una perspectiva de conocimiento-emancipación y fortalecimiento de los diálogos entre la universidad y el MS. La posibilidad de transformación de la realidad resulta de la construcción de una conciencia social y política emergente en el proceso de formación del sujeto político. Los estudiantes conectados a los movimientos sociales presentes en la universidad pública se constituyen en una referencia del propio movimiento, trayendo sus cuestiones históricas y luchas cotidianas. Acreditamos que destacar las miradas y percepciones de estos estudiantes contribuye para la construcción de una universidad pública en la perspectiva contra-hegemónica.
Abstract This thesis aims to explain the views on public university that emerge from the perspective of university students engaged in social movements as well as the remarkable experiences in the university for the potentiation of political subjects. With this study, we seek to recognize and to bring visibility to groups and actions with the prospect of a more just and humane society, recognizing the possible social space of change produced from the inter-relationships between these students and the university. It assumes that perceptions brought by these students about reality, considering their experiences in social movements, translated and appropriated by university, can contribute to build counter-hegemonic knowledge. In order to do so, we highlight the university as a political force and the representations, experiences and practices of the subjects that contribute in the strengthening of a public university committed to democratic, inclusive, humanistic education. We conduct the search according to a qualitative approach based on Maria Cecilia de Souza Minayo. To compose the empirical material, we used semi-structured interview technique with universities students connected to four social movements: black, women’s, indigenous and LGBT. We analyzed the data obtained following the method of interpretation of meanings proposed by Romeo Gomes. We structured the discussion from three axes which correspond to the basic categories of this research: political subject; social movement; and public university . In each axis, we articulated the empirical material to theoretical contributions of authors such as Boaventura de Sousa Santos, Hannah Arendt, Maria da Glória Gohn, Nancy Fraser and Chantal Mouffe. As a result, we can say that, according to the views of the subjects, the university constitutes a space of potentiation of the political education also developed in other areas by strengthening their ability to deepen their theoretical knowledge, the basis of academic training. This process, in its turn, also benefits from the experiences of participation, reflections, debates and political actions articulated inside social movements. Besides, the university, beyond its theoretical work, is itself a space of political action. Thus, the views and experiences of these students, together with the theoretical knowledge and academic experiences, empower the constitution of the political subject, provided they break resistances and invisibilities historically rooted in the academic structures The university has the possibility of strengthening identities or deconstructing them. The weaknesses of the public university lie at the still restricted access, distinctly eurocentric training and resistance to counter hegemonic paradigms. The potentialities are present in the actions of some individuals and groups that propose dialogues and actions in a counter-hegemonic perspective of society, as well as new politics that democratize access and dialogue with diversity. Among the challenges, we highlight the full democratization of access, seeking to make the university public and popular university; the adjustment of curricula to a perspective of knowledge-emancipation; and the strengthening of the dialogue between the university and the MS. The possibility of changing reality results from the construction of social consciousness and emerging politics in the education of the political subject. Students linked to social movements present in the public university become references of the very movement, bringing its historical issues and daily struggles. We believe that to highlight the views and perceptions of these students contributes to the construction of a public university in the counter-hegemonic perspective.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/134799
Arquivos Descrição Formato
000987757.pdf (2.914Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.