Repositório Digital

A- A A+

Alice na biblioteca mágica : uma leitura sobre o diagnóstico e a escolarização de crianças com autismo e psicose infantil

.

Alice na biblioteca mágica : uma leitura sobre o diagnóstico e a escolarização de crianças com autismo e psicose infantil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Alice na biblioteca mágica : uma leitura sobre o diagnóstico e a escolarização de crianças com autismo e psicose infantil
Outro título Alice in the magic library : a reading on diagnosis and schooling for children with autism and infant psychosis
Outro título Alice en la biblioteca mágica : una lectura sobre el diagnóstico y la escolarización de niños con autismo y psicosis infantil
Autor Vasques, Carla Karnoppi
Orientador Baptista, Cláudio Roberto
Data 2008
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Autismo
Criança
Criança psicótica
Educação
Escolarização
Filosofia
Hermenêutica
Psicanálise
[en] Autism
[en] Diagnosis
[en] Infant psychosis
[en] Philosophical hermeneutics
[en] Psychoanalysis
[en] Schooling
[en] Special education
[es] Autismo
[es] Diagnóstico
[es] Educación especial
[es] Escolarización
[es] Hermenéutica filosófica
[es] Psicoanálisis
[es] Psicosis infantil
Resumo Na construção de processos inclusivos encontram-se obstáculos relativos aos supostos limites e possibilidades de escolarização de crianças e adolescentes com autismo e psicose infantil. Em conseqüência de sua estruturação psíquica singular, estes sujeitos apresentam comportamentos estereotipados, falas descontextualizadas, escritas e leituras presas na literalidade ou com sentido errante. Tais diferenças são, constantemente, percebidas como impedimentos para a educação escolar, justificando-se, assim, a ausência de escolarização ou o encaminhamento para espaços reeducativos, com vistas à adaptação comportamental. Pretende-se contribuir para a construção de um novo olhar sobre esses sujeitos e suas possibilidades subjetivas e educacionais. Para tanto, optou-se por analisar o conhecimento acadêmico-científico, dissertações e teses, produzido nos programas de pósgraduação brasileiros, de 1978 a 2006. Foram identificadas 264 pesquisas. Um primeiro gesto de leitura mapeou as diversas áreas envolvidas e a singularidade do debate instituído. Pode-se dizer que a principal pergunta é pelo diagnóstico e a etiologia, modo pelo qual se formaliza a questão sobre quem são esses sujeitos e de onde derivam as múltiplas propostas terapêuticas e educacionais. Como lentes teóricas têm-se as proposições da educação inclusiva em diálogo com a psicanálise freudo-lacaniana e a hermenêutica filosófica. A presente tese narra a construção de um percurso investigativo, do inventário enciclopédico à invenção de uma leitura. Parte-se da premissa de que existe uma centralidade do diagnóstico na condução dos percursos educacionais de crianças com autismo e psicose infantil. Freqüentemente, o diagnóstico é identificado com o ato de desvelar e/ou decodificar. Defende-se que a relação diagnóstico-escolarização implica a construção de uma leitura, a invenção de possibilidades. Não sendo possível determinar a veracidade das diferentes teorias, o processo de escolarização inclui um não-saber constitutivo. Como não há um percurso pré-estabelecido, garantido e antecipado pelo diagnóstico, o professor e a escola responsabilizam-se por suas escolhas, visando à experiência escolar de seu aluno. Daí a base de sua conduta ser ética, em lugar de um método ou técnica. Do impossível de saber ao contingencial do ser constroem-se as possibilidades de escolarização.
Abstract In the development of inclusive processes there are obstacles related to the supposed limits and possibilities of schooling for children and adolescents with autism and infant psychosis. As a consequence to their unique psyche structuring, those subjects present stereotyped behaviors, disrupted speech, writing and reading grounded on literalism or on errant meanings. Such differences are often perceived as impediments for schooling. Thus, attendance of spaces for the purpose of behavioral adaptation to the detriment of schools is by that means justified. This research is intended to contribute to the construction of a new view on and about those subjects as well as their subjective and educational possibilities. To achieve such aim, scientific and academic knowledge contributed by theses and dissertations produced within Brazilian post-graduate programs from 1978 to 2006 were analyzed. 264 researches were identified. In a first approach to content, the diverse areas involved and the uniqueness of the debate have been mapped out. The main question regards the diagnosis and the etiology, the way by which the matter of who those subjects are and where the multiple therapeutic and educational propositions stem from. Theoretical background builds on the propositions of inclusive education in dialogue with freudian-lacanian psychoanalysis and philosophical hermeneutics. The present thesis narrates the construction of an investigative trajectory, from an encyclopedic inventory to the invention of reading. It is taken as the founding premise that there is centrality on the diagnosis for the conduction of educational paths for children with autism and infant psychosis. The diagnosis is often identified as an act of unveiling and/or decoding. It is defended that the relationship between diagnosis and schooling implies the construction of a reading, an invention of possibilities. As it is not possible to determine the veracity of different theories, schooling processes includes an constitutive unknowing. As there is no path pre-established, guaranteed and anticipated by the diagnosis, teachers and schools are held responsible for their choices in order to build students’ school experience. Thus, the basis of its conduct is based on ethics instead of a method or technique. From the impossible to be known to the contingence of being the schooling possibilities are built up.
Resumen En la construcción de procesos inclusivos se encuentran obstáculos relativos a los supuestos límites y posibilidades de escolarización de niños y adolescentes con autismo y psicosis infantil. En consecuencia de su estructuración psíquica singular, estos sujetos presentan comportamientos estereotipados, hablas descontextualizadas, escritas y lecturas atadas en la literalidad o con sentido errante. Tales diferencias son, constantemente, percibidas como impedimentos para la educación escolar, justificándose, así, la ausencia de escolarización o el encaminamiento para espacios reeducativos, con vistas a la adaptación comportamental. Se pretende contribuir para la construcción de una nueva mirada sobre esos sujetos y sus posibilidades subjetivas y educacionales. Para tanto, se optó por analizar el conocimiento académico-científico, disertación y tesis, producido en los programas de posgrado brasileros, de 1978 a 2006. Fueron identificadas 264 pesquisas. Un primero gesto de lectura mapeó las diversas áreas involucradas y la singularidad del debate instituido. Se puede decir que la principal pregunta es por el diagnóstico y la etiología, modo por el cual se formaliza la cuestión sobre quién son esos sujetos y de dónde derivan las múltiples propuestas terapéuticas y educacionales. Como lentes teóricas se tiene las proposiciones de la educación inclusiva en diálogo con el psicoanálisis freudo-lacaniano y la hermenéutica filosófica. La presente tesis narra la construcción de un recorrido investigativo, del inventario enciclopédico a la invención de una lectura. Se basa en la premisa de que existe una centralidad del diagnóstico en la conducción de los recorridos educacionales de niños con autismo y psicosis infantil. A menudo, el diagnóstico es identificado con el acto de aclarar y/o decodificar. Se defiende que la relación diagnóstico-escolarización implica la construcción de una lectura, la invención de posibilidades. No siendo posible determinar la veracidad de las diferentes teorías, el proceso de escolarización incluye un no-saber constitutivo. Como no hay un recorrido pre-establecido, garantizado y adelantado por el diagnóstico, el profesor y la escuela se responsabilizan por sus elecciones, visando a la experiencia escolar de su alumno. Por eso la base de su conducta ser ética, en lugar de un método o técnica. Del imposible de saber al contingencial del ser se construyen las posibilidades de escolarización.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/13480
Arquivos Descrição Formato
000648867.pdf (1.329Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.