Repositório Digital

A- A A+

A comunicação afetiva no cinema de Ingmar Bergman

.

A comunicação afetiva no cinema de Ingmar Bergman

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A comunicação afetiva no cinema de Ingmar Bergman
Autor Cunha, João Fabricio Flores da
Orientador Silva, Alexandre Rocha da
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação. Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação.
Assunto Bergman, Ingmar 1918-. Crítica e interpretação
Comunicação afetiva
Crítica cinematográfica
[en] Affection-image
[en] Communication
[en] Faciality
[en] Film
Resumo Esta dissertação se propõe a investigar a comunicação a partir da obra cinematográfica do diretor sueco Ingmar Bergman (1918-2007). Em oposição a uma ideia corrente na literatura sobre esse cineasta, a de que seus filmes seriam uma expressão da incomunicabilidade, buscamos caracterizar a partir deles uma comunicação de caráter afetivo, que está relacionada ao uso por parte do diretor do rosto em primeiro plano. Nossa fundamentação teórica tem como centro os conceitos de imagem-afecção, de Gilles Deleuze (1985; 2011), e de rostidade, de Deleuze e Félix Guattari (2012). Realizamos nossas análises com base em 16 filmes de Bergman, a partir de um procedimento de desmonte e arranjo, que deram a ver o que compreendemos como figuras da comunicação afetiva em Bergman: mãos, relógios, óculos, máscaras, espelhos, estátuas e multidão. As análises permitiram identificar os parâmetros dessa comunicação afetiva.
Abstract This dissertation aims to investigate communication in the cinematographic work of Swedish director Ingmar Bergman (1918-2007). In contrast to a recurrent idea in the literature about this filmmaker – that his movies are an expression of incommunicability –, we look to characterize a form of communication that is affective and related to the use by the director of the face in close-up. Our theoretical foundation has at its center the concepts of affection-image, by Gilles Deleuze (1985; 2011), and that of faciality, by Deleuze and Félix Guattari (2012). We did our analyses of 16 Bergman movies based on a break and rearrange procedure, which led to what we see as figures of the affective communication in Bergman: hands, clocks, glasses, masks, mirrors, statues and the multitude. The analyses have permitted us to identify the parameters of that affective communication.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/134836
Arquivos Descrição Formato
000987911.pdf (9.244Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.