Repositório Digital

A- A A+

Estado de saúde bucal : auto-percepção de saúde bucal e obesidade em uma população de idosos do sul do Brasil

.

Estado de saúde bucal : auto-percepção de saúde bucal e obesidade em uma população de idosos do sul do Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estado de saúde bucal : auto-percepção de saúde bucal e obesidade em uma população de idosos do sul do Brasil
Autor Hilgert, Juliana Balbinot
Orientador Bozzetti, Mary Clarisse
Co-orientador Sousa, Maria da Luz R. de
Data 2008
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Epidemiologia
Idoso
Obesidade
Saúde bucal
Resumo No Brasil, o estado de saúde bucal dos idosos tem sido descrito como precário e caracterizado por perda dental extensa ou completa. Este quadro de precariedade tem repercussões importantes, incluindo efeitos sobre a percepção da saúde e da função bucal. Além disso, estudos recentes indicam que a inter-relação entre saúde bucal e saúde geral é especialmente pronunciada entre idosos. Assim, uma saúde bucal precária em idosos pode aumentar os riscos para saúde geral e/ou resultar em decréscimos na percepção e na satisfação com a saúde, bem como na capacidade de comer e mastigar e na percepção destas. Por este motivo, o objetivo deste estudo foi investigar as relações entre estado de saúde bucal, auto-percepção da saúde e da função bucal e obesidade em idosos independentes do município de Carlos Barbosa, Rio Grande do Sul. Foram realizados dois estudos transversais, por meio de uma amostra aleatória simples de 872 pessoas com 60 anos de idade ou mais. Os idosos foram avaliados por meio de um questionário estruturado, contendo questões sobre dados sócio-econômicos, comportamentais, de auto-percepção de saúde bucal e história médica. Além disso, foram realizados exames bucais que avaliaram o número de dentes, o uso de próteses dentais e o MPS (escore de placa e mucosa). Peso e altura foram medidos e utilizados para gerar dados sobre índice de massa corporal (IMC). Um dos objetivos específicos foi investigar se a perda dental e o edentulismo não reabilitado com prótese dental estavam associados com obesidade entre idosos do sul do Brasil. A análise de regressão logística multivariada foi utilizada para modelar a relação entre número de dentes e uso de prótese dental com obesidade, ajustando para confundidores. A prevalência de obesos na população estudada foi de 27%. A maior parte dos participantes era de mulheres e da raça branca. Somente 24% dos idosos possuíam 8 dentes ou mais e 50.2% eram desdentados totais. A análise de regressão logística multivariada mostrou que indivíduos desdentados totais que usavam apenas uma prótese total (OR=2,34, IC95% 1,18 a 4,27) e indivíduos com entre 1 a 8 dentes naturais que não utilizavam ou utilizavam apenas uma prótese dental (OR=2,96, IC95% 1,68 a 5,19) apresentaram maior chance de serem obesos, quando comparados com indivíduos com 8 dentes ou mais. Os resultados mostram que um estado de saúde bucal precário, representado pela presença de poucos dentes naturais e ausência de reabilitação bucal, esteve associado com obesidade em idosos independentes do sul do Brasil. Já, o segundo objetivo específico foi investigar o papel de variáveis sócio-demográficas e de saúde bucal comprometida como variáveis explicativas de percepção de saúde bucal precária e função mastigatória numa população de idosos do Sul do Brasil. Foi realizada análise de regressão logística para modelar a relação entre determinantes primários de saúde bucal e comportamento de saúde bucal com precária percepção de saúde bucal e função mastigatória. Percepção de dificuldade mastigatória [OR=11,01 (IC95%: 4,48 a 23,08)], MPS [aceitável: OR=5,97 (IC95%: 2,00 a 17,87)] e consumo de medicamentos de uso contínuo [OR=3,63 (IC95%: 1,49 a 8,83)] mostraram-se associados com percepção de uma saúde bucal precária. Percepção de dificuldade mastigatória mostrou-se independentemente associada com localização geográfica da residência [urbana: OR=2,40 (IC95%: 1,19 a 4,83)] e estado de saúde bucal [edêntulos usuário de prótese total superior: OR=4,03 (IC95%: 1,14 a 14,16)]. As características pessoais mostraram um papel importante na percepção de precária saúde bucal e de dificuldades na função mastigatória em idosos independentes. Além disso, consumo de medicamentos de uso contínuo mostrou-se associado com percepção de precária saúde bucal. Os resultados destes estudos, em conjunto, apontam que características pessoais, entre elas, estado bucal de idosos independentes com extensa perda dental, estão relacionados com auto-percepção de saúde bucal e de função mastigatória, bem como relacionados com estado nutricional representado pela obesidade.
Abstract In Brazil, the oral health of older person has been described as poor and characterized by extensive tooth loss. The repercussions of this poor oral status include effects on perceived oral health and function. Furthermore, recent evidence indicates that the interrelationship between oral health and general health is particularly pronounced among older people. Thus, poor oral health may increase the risks to general health and lead to impairments in the perception and satisfaction with oral health, as well as in the perception of oral function, including mastication. The aim of this thesis was to investigate the relationships between tooth loss, self-perceived oral health and function and obesity in independent-living older persons from Carlos Barbosa, Brazil. In this cross-sectional study, a random sample of 872 South-Brazilians aged 60 years or more was evaluated using a structured questionnaire to assess socio-demographic data, oral health behavior, health data, and perception of oral health and masticatory function. Oral examinations assessing the number of teeth, use of prostheses and the mucosal-plaque score (MPS) were performed. Height and weight were assessed and used to generate BMI data. To answer our first objective, multivariate logistic regression was used to model the relationship between number of teeth and use of dental prostheses with obesity adjusting for confounders. The prevalence of obesity in the studied population was 27%. The majority of the participants were women and Caucasians. Only 24% of the participants had 8 or more teeth, while 50.2% were completely edentulous. The multivariate logistic regression revealed that edentulous wearing only upper dentures (OR=2.34, 95%CI 1.18 to 4.27) and dentate participants with 1-to-8 teeth wearing 0-to-1 prosthesis (OR=2.96, 95%CI 1.68 to 5.19) were more likely to be obese. The results showed that a poorer oral status, represented by having fewer teeth that were not replaced by dental prostheses, was associated with obesity in Southern Brazil older people, suggesting a close relationship between poor oral status and systemic conditions that may have important clinical implications. The second objective was to investigate the role of socio-economic variables and compromised oral health as explanatory variables of poor perceived oral health and masticatory function in a population of older persons from South-Brazil. Multivariate logistic regressions were used to model the relationship between primary determinants of oral health and oral health behavior with poor perceived oral health and masticatory function. Perceived difficulty for chewing [OR=11.01 (95%CI: 4.48 to 23.08)], MPS [acceptable: OR=5.97 (95%CI: 2.00 to 17.87)] and medication intake [OR=3.63 (95%CI: 1.49 to 8.83)] were associated with poor perceived oral health. Poor perceived masticatory function was independently associated with geographic localization of residence [urban: OR=2.40 (95%CI: 1.19 to 4.83)] and oral status [edentulous wearing upper dentures only: OR=4.03 (95%CI: 1.14 to 14.16)]. Personal characteristics played an important role in the perceptions of poor oral health and masticatory function in independent-living older persons. Furthermore, medication intake was associated with poor perceived oral health. The results of this thesis indicate that personal characteristics, mainly poor oral status, were related with the perception of poor oral health and function, and with nutrition status, as represented by obesity.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/13533
Arquivos Descrição Formato
000651442.pdf (1.349Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.