Repositório Digital

A- A A+

A experiência da guarda compartilhada em famílias separadas : estudos de casos múltiplos

.

A experiência da guarda compartilhada em famílias separadas : estudos de casos múltiplos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A experiência da guarda compartilhada em famílias separadas : estudos de casos múltiplos
Autor Resmini, Gabriela de Faria
Orientador Frizzo, Giana Bitencourt
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Curso de Psicologia.
Assunto Custódia da criança
Divórcio
Família
Parentalidade
Relações pais-filho
Resumo As famílias contemporâneas apresentam-se em diversas configurações e o aumento das taxas de divórcio contribui para essas mudanças. O divórcio modifica a família e requer adaptações de todos os membros, em especial em famílias com filhos menores de idade, nas quais os pais devem separar a conjugalidade da parentalidade. A guarda unilateral para a mãe é o arranjo mais frequente em famílias divorciadas brasileiras, sendo que existe um risco de afastamento paterno nesses casos. Em 2008, a Lei da Guarda Compartilhada instituiu no ordenamento jurídico brasileiro a modalidade, embora antes já houvesse decisões nesse sentido. A expectativa é que a guarda compartilhada possa permitir que pai e mãe dividam responsabilidades e deveres em relação aos filhos de forma mais equânime, evitando o afastamento do genitor não convivente, o que não significa divisão igual de tempo nos cuidados com os filhos. O presente estudo teve como objetivo explorar como a experiência com guarda compartilhada está sendo vivida nas famílias separadas através de um estudo qualitativo. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com cinco membros de três famílias diferentes, todas com guarda compartilhada. Duas famílias demonstraram estar contentes com a modalidade, ressaltando como principais vantagens a flexibilidade nas visitas e a possibilidade de maior participação paterna. Já em uma família, a guarda compartilhada foi estabelecida com alternância de residências, o que foi tido como negativo por pai e filha. O pai, insatisfeito com a guarda compartilhada, buscava a justiça para obter guarda unilateral. Nessa família foi verificado um alto grau de conflito entre os genitores e desacordo nas práticas parentais. Percebeu-se a necessidade de informação e apoio para as famílias que passam pelo processo de separação a fim de orientá-las e acompanhá-las nas difíceis e dolorosas mudanças que ocorrem na família pós-divórcio.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/135450
Arquivos Descrição Formato
000989039.pdf (546.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.