Repositório Digital

A- A A+

Boas práticas no trabalho de parto e parto

.

Boas práticas no trabalho de parto e parto

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Boas práticas no trabalho de parto e parto
Autor Cabreira, Gabrielle Grassi
Orientador Moretto, Virgínia Leismann
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Parto
Parto normal
Trabalho de parto
Resumo Durante a gestação, a mulher, espera ansiosamente para o dia do nascimento do seu filho. Neste período, a gestante passa por pensamentos de felicidade, medos e insegurança, cria expectativas de como vai ser a vida que esta sendo concebida, e como vai ser sua própria vida. Um pensamento da parturiente e sua família é sobre o momento do parto, que gera inseguranças a respeito de como vai ser e como vai acontecer, devido geralmente ser um momento desconhecido. A Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1996, publicou um guia de atenção ao parto, visando à segurança da mulher e do bebê, fisiológica e psicológica, que recomenda diferentes práticas para o parto e nascimento. O objetivo desta revisão integrativa foi conhecer as boas práticas durante o trabalho de parto e parto descritas nas publicações científicas, conforme o método de Cooper, foram usados os descritores: parto, trabalho de parto e parto normal. Foram estudados 35 artigos, publicados entre os anos de 1996 e 2015, extraídos das bases de dados: LILACS, SCIELO e BDENF. As práticas estudadas, segundo os artigos publicados, foram: a presença do acompanhante (50%, 19 artigos), oferta de líquidos e dieta livre (15,8%, 6 artigos), mudança de posição (13,16%, 5 artigos), métodos não invasivos e não farmacológicos para alívio da dor (55,26%, 21 artigos), uso do partograma (13,16%, 5 artigos), contato pele a pele (18,42%, 7 artigos), presença de profissional de saúde e informações desejadas (13,16%, 5 artigos), uso de ocitocina pós-parto (7,89%, 3 artigos), privacidade e intimidade (2,63%, 1 artigo). As práticas recomendadas pela OMS estão sendo usadas de forma gradual e progressiva, com necessidade de aperfeiçoamento da equipe de saúde, porém estão sendo empregadas com maior frequência e estudadas para efetivar a mudança de modelo na atenção ao parto.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/135468
Arquivos Descrição Formato
000987125.pdf (618.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.