Repositório Digital

A- A A+

Capacidade funcional e qualidade de vida de indivíduos idosos de Porto Alegre

.

Capacidade funcional e qualidade de vida de indivíduos idosos de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Capacidade funcional e qualidade de vida de indivíduos idosos de Porto Alegre
Autor Caneppele, Maria Cristina Garcia de Lima
Orientador Fuchs, Sandra Cristina Pereira Costa
Data 2007
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Atividade motora
Atividades cotidianas
Epidemiologia
Idoso
Porto Alegre (RS)
Qualidade de vida
[en] Activity of daily living (ADL)
[en] Functional capacity
[en] Instrumental activity of daily living (IADL)
[en] Quality of life
[en] The elderly
Resumo Fundamento: O crescimento da população idosa é um fenômeno mundial. O envelhecimento aumenta o risco para a ocorrência de doenças crônicas que resultam em graus variáveis de perda da independência funcional. A elevação da idade também pode acarretar a redução da independência funcional, tornando os idosos dependentes para a realização de atividades da vida diária (AVDs) e atividades instrumentais da vida diária (AIVDs). Objetivos: O objetivo desse estudo foi avaliar a capacidade funcional, determinando a prevalência de independência funcional e as características associadas em indivíduos idosos, em uma amostra representativa de Porto Alegre, RS, bem como identificar sua associação com qualidade de vida. Essa pesquisa é um dos braços do estudo da Síndrome de Obesidade e Fatores de Risco – SOFT. Participantes e Métodos: Nesse estudo transversal, de base populacional, de indivíduos idosos com 60 e 90 anos, selecionados através de amostragem por estágios múltiplos de conglomerados, em 106 dos 2157 setores censitários de Porto Alegre. Em entrevistas domiciliares aplicou-se um questionário padronizado, para investigar características socioeconômicas, demográficas, hábitos de vida, fatores de risco para doença cardiovascular, além do índice de independência nas atividades de vida diária, desenvolvido por Katz, em1969, e a escala de independência nas atividades instrumentais da vida diária, criado por Lawton e Brody, em 1983, assim como o questionário de qualidade de vida Short Form-12 (Ware,1994). Utilizou-se o módulo Complex Samples, do SPSS, para as análises dos dados, a fim de ajustar para o efeito da amostragem. Testaram-se diferenças entre proporções utilizando-se o teste do quiquadrado de Pearson, ao analisarem-se as prevalências; análise de variância ou co-variância para compararem-se médias, e análise de regressão logística múltipla, para cálculo da odds ratio e intervalo de confiança de 95%. As análises foram para um nível de significância de 5%. Resultados: A média de idade foi semelhante entre homens e mulheres idosos, e a distribuição de idade e sexo foi similar à do censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Além de maior escolaridade (8,8 vs. 6,6 anos), os homens referiram estar casados mais freqüentemente (75,7%) do que as mulheres (31,9%), as quais eram predominantemente viúvas ou separadas e residiam sozinhas em maior proporção. Com exceção de cor da pele e de residir sozinho, as demais características associaram-se significativamente com a idade. Identificou-se uma relação inversa entre idade e escolaridade e com o estar casado ou residir com companheiro, e uma associação direta com aposentadoria, separação ou viuvez e o uso de dispositivos para andar. Associação direta e independente de idade e sexo foi observada entre escolaridade e independência para realizar as atividades instrumentais, mas não para as atividades da vida diária. A prática de atividade física regular foi preditora de independência funcional nas AVDs e nas AIVDs. Esse estudo verificou tendência a maior independência entre os homens para o total de domínios das AVDs (94% vs. 89%; p=0,09), assim como das AIVDs (94% vs. 88%; p=0,04). Nos homens, observou-se a redução da independência funcional para realizar a maior parte das AVDs e AIVDs com o avançar da idade. Entre as mulheres, destaca-se, a redução da independência funcional com a idade em todas as atividades, exceto usar o telefone. O sexo masculino esteve associado, independentemente da idade, a maiores escores dos componentes físico e mental da qualidade de vida. A idade associou-se inversamente com o componente físico, enquanto a escolaridade o fez de maneira direta. Entretanto, nenhuma dessas características mostrou relação com o componente mental. Ser ativo fisicamente e possuir menor número de condições crônicas se associaram tanto ao escore do componente físico quanto mental, de maneira fortemente significativa. Conclusão: Os indivíduos idosos investigados no Estudo SOFT, representam a população idosa de Porto Alegre. As diferenças entre homens e mulheres idosos incluem características socioeconômicas, hábitos de vida e independência funcional. Os homens apresentam maior qualidade de vida do que as mulheres, independentemente da idade.
Abstract Background: The growth of the elderly population is a worldwide phenomenon. The elderly have chronic diseases that lead to various degrees of incapacity, which increases with age and makes them dependent in their activities of the daily living (ADLs), and in the instrumental activities of the daily living (IADLs). Objectives: the objective of the present study was to assess the functional capacity, verifing the prevalence of functional independence in a representative sample from southern Brazil, as well as to identify its association with life quality. The present research is one of the subprojects of the study of Syndrome of Obesity and Risk Fators (SOFT). Participants and methods: This cross-sectional population-based study of elderly individuals, aged 60 to 90 years old, was selected through a multistage probability sample including participants from 106, out of 2157, census sectors of Porto Alegre. A standard questionnaire was applied in the household in order to investigate socioeconomic and demographic characteristics, life habits, risk factors for cardiovascular disease, as well as the Index of Independence in the activities of the daily living, developed by Katz (1969) and the Instrumental Activities of Daily Living Scale created by Lawton and Brody (1983). The questionnaire Short Form-12 of quality of life (Ware, 1996) was also administered. Complex Samples module of SPSS was used for data analysis in order to take into account the design effect. The differences between proportions were tested by Pearson’s chi-square test; the variance and covariance analyses were used to compare the averages and the multiple logistic regression analysis to calculate the odds ratio and 95% confidence interval. Results: the age average was similar between elderly man and women, and the sex and age distribution was similar to the one of the census of the Brazilian Institute of Geography and Statistics. Besides higher scholarity (8,8 vs. 6,6 years), men referred to being married more frequently (75,7%) than women (31,9%), which were mainly widows or were separated and residing alone more often than men. Except for the color of the skin and the fact of residing alone or not, all the researched characteristics were significantly associated with age. An inverse relationship between age and scholarity and between age and being married or residing with a companion was identified, as well as a direct relationship between age and being retired, being separated or a widow, and needing a walking assistance device. Also, it was observed a direct relationship, regardless of age and sex, between scholarity and independence to perform instrumental activities of the daily living, not however, to the activities of daily living. The practice of regular physical activity was a predicting factor for functional independence in both ADLs and IADLs. This study verified a larger tendency for independence among men for the total of the ADLs (94% vs. 89% for women; p=0,09) and IADLs(94% vs. 88% for women; p=0,04) domains. The reduction of functional independence with age among men was observed in most of the ADLs and IADLs. Among women there was a reduction of functional independence in every activity, except the use of the telephone. The masculine sex was associated, regardless of age, to higher scores on the physical and mental components of quality of life. Age associated inversely with the physical component, while scholarity made it directly, but none of those characteristics showed any relationship with the mental component. Being physically active and possessing a lower number of chronic diseases associated significantly with both mental and physical scores. Conclusion: the elderly individuals investigated in the SOFT study are representative of the elderly population of Porto Alegre. The differences between elderly man and women include: socio-economical characteristics, life habits and functional independence. Men present a higher quality of life than women regardless of age.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/13580
Arquivos Descrição Formato
000645231.pdf (1.063Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.