Repositório Digital

A- A A+

Eficiência do óleo ácido e do óleo degomado de soja empregados em dietas de frangos de corte, suplementadas ou não com glicerol e lecitina

.

Eficiência do óleo ácido e do óleo degomado de soja empregados em dietas de frangos de corte, suplementadas ou não com glicerol e lecitina

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Eficiência do óleo ácido e do óleo degomado de soja empregados em dietas de frangos de corte, suplementadas ou não com glicerol e lecitina
Outro título Biological efficiency of the acidulated soybean soapstock and the soybean oil in broilers with or without supplementation of glycerol and lecithin
Autor Raber, Marcos Roberto
Orientador Ribeiro, Andrea Machado Leal
Data 2007
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Programa de Pós-Graduação em Zootecnia.
Assunto Frango de corte : Dieta
Nutricao animal
Produção animal
Resumo Foram realizados 4 experimentos (EXP). Nos EXP I, II e III foram testadas duas fontes de gordura (óleo degomado de soja-[ODS- e óleo ácido de soja -OAS] em quatro níveis de inclusão (2; 3; 4 e 5%) sobre o desempenho e o metabolismo de frangos de corte. Utilizou-se 384 pintos de corte machos Cobb 500, distribuídos em baterias metálicas, de 1 a 20 dias (EXP I) e 256 frangos, alojados em baterias de crescimento de 21 a 34 dias (EXP II). Dos 21 aos 34 dias foi realizado ainda um ensaio de metabolismo quando 40 frangos foram distribuídos individualmente em gaiolas metabólicas, recebendo os mesmos tratamentos do EXP II. Avaliou-se o desempenho, os coeficientes de metabolizabilidade da matéria seca (CMMS), da gordura bruta (CMGB) e da energia bruta (CMEB) das dietas, além de teores de triglicerídios e de colesterol sanguíneo ao 34º dia de idade. Com o aumento do nível de óleo na dieta observou-se maior peso final das aves (P<0,01) e melhor conversão alimentar (CA) (P<0,001). No EXP III, o aumento do nível de óleo proporcionou melhora no CMMS (P<0,01) e no CMGB (P<0,001), bem como maiores níveis sanguíneos de triglicerídios (P<0,001). Através de “slope ratio” avaliou-se a eficiência relativa (ER) entre os 2 óleos, baseada no desempenho (EXP I e II) ou no metabolismo (EXP III). O OAS mostrou ER de 93 e 90% nos EXP I e II, com base na CA e de 95%, com base na gordura metabolizável (EXP III), quando comparado ao ODS. No EXP IV, testou-se o efeito da suplementação de glicerol (GL) ou lecitina (LE) em 95 frangos de corte de 24 dias , submetidos a 3 níveis de ácido graxo livre (AGL) através da adição de ODS, OAS e 50:50%, e 2 níveis de inclusão de óleo (4 e 8%). Avaliou-se o desempenho e os CMMS, CMGB e CMEB da dieta pela ANOVA. A comparação entre os óleos e os suplementos foi feita pela técnica de “slope ratio”. Para ganho de peso (GP), peso final (PF) e conversão alimentar (CA) obteve-se os melhores valores com a inclusão de 8% de óleo (P<0,01). O desempenho não foi afetado (P>0,05) pelos níveis de AGL ou suplementos testados. No entanto houve interação (P<0,03) entre o nível de inclusão e o nível de AGL, para CR. Ao nível de 4%, as aves alimentadas com OAS tiveram menor CR. Com 8%, esta diferença não foi observada. Também houve interação (P<0,02) entre o nível de AGL e o suplemento. O glicerol aumentou o CMEB quando o ODS foi usado, mas não quando foi usado o OAS ou a mistura. Ao nível de 8%, o ODS proporcionou melhor CMEB, não tendo diferido da mistura. Dietas com 8% de óleo, independentemente do tipo e da suplementação, tiveram maior CMMS (P<0,06) e CMGB (P<0,01). Houve interação (P<0,01) entre o nível de AGL e o nível de inclusão de óleo para CMEB. Dietas com OAS ao nível de 4% foram superiores àquelas com ODS, não tendo diferido daquelas com a mistura. Através de “slope ratio”, observou-se que o uso de lecitina proporcionou um melhor aproveitamento da gordura bruta adicionada às dietas (P<0,01), independentemente do nível de AGL. Conclui-se que tanto o ODS como o OAS são fontes adequadas de gordura para frangos de corte e que a suplementação de lecitina pode melhorar o aproveitamento da gordura bruta adicionada à dieta.
Abstract Four experiments (EXP) were made: in EX I, II and III were tested 2 soucers of fat (acidulated soybean soapstock [ASS]- and soybean oil [SO]) in 4 levels of inclusion (2; 3; 4 and 5%) on the performance and metabolism of broilers. Three hundred and eighty four malle Cobb chicks were distributed into metallic batteries, from 1 to 20 days (EXP I) and 256 broilers in grower batteries from 21 to 34 days (EXP II). From 21 at 34 days a metabolism trial was made with 40 chickens distributed individually into metabolic cages, receiving the same treatments as EXP II. Performance, diet metabolizability coefficient of dry matter (MCDM), of crude fat (MCCF) and of crude energy (MCCE) , and also the contents of triglycerides and blood serum cholesterol on the 34th day were evaluated. Increasing oil level in the diet higher body weight (P<0.01) and better feed conversion (FC) (P<0.001) were observed. In EXP III, birds receiving ASS presented better MCDM (P<0.001). The increase in oil level improved MCDM (P<0.01) and MCCF (P<0.001) of the diets. Greater levels of triglycerides were noticed in the blood serum of birds receaving higher levels of oil in diet (P<0.001). Relative efficiency (RE), through out slope ratio technique, compared by performance (EXP I e II) and by fat metabolism (EXP III) ,between the two oils, were calculated. The ASS showed RE of 93 and 90% in EXP I and II, based on FC and of 95% based on metabolizable fat (EXP III), compared to SO In EXP IV, the effect of glycerol (GL) supplementation or lecithin (LE) were tested in 95 broilers,24 daysold, submitted to 3 types of oil (SO, ASS and 50:50%) and 2 levels of inclusion (4 and 8%). Birds performance, MCDM, MCCF and MCCE were evaluated by ANOVA and the comparison among oils and supplements were done by slope ratio technique. The best values for weight gain (WG), body weight (BW) and feed conversion (FC) were obtained by he inclusion of 8% of oil (P<0.01). The performance was not affected (P>0.05) by oil types or supplements tested. However there was interaction for feed intake(P<0.03) between inclusion levels and oil type: birds with 4% ASS ate less feed; with 8% this difference was not observed. Diets with 8% of oil, independently of oil type and supplementation had high MCDM (P<0.06) and MCCF (P<0.01). There was interaction (P<0.01) between type of oil and level of inclusion for MCCE: 4% ASS diets showed higher MCDE than 4% SO diets, without differ from the diet mixed. Diets with 8% SO had higher MCCE, but similar to the diet mixed. There was also interaction (P<0.02) between type of oil and supplements: the glycerol increased MCCE when SO was used but not when ASS or the mixture were used.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/13758
Arquivos Descrição Formato
000644946.pdf (653.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.