Repositório Digital

A- A A+

Efeitos da desidratação no desempenho cognitivo de atletas de futebol

.

Efeitos da desidratação no desempenho cognitivo de atletas de futebol

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeitos da desidratação no desempenho cognitivo de atletas de futebol
Autor Carvalho,Lenice Zarth
Orientador Meyer, Flavia
Data 2006
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano.
Assunto Atletas
Desidratação
Exercício físico
Futebol
[en] Cognitive performance
[en] Dehydration
[en] Exercise
[en] Reaction time
[en] Soccer
Resumo INTRODUÇÃO: A desidratação induzida pela combinação da restrição de líquidos junto com exercícios físicos no calor provoca queda no desempenho físico e cognitivo de atletas, principalmente, quando a desidratação atinge níveis iguais ou superiores a 2% da massa corporal. Esse processo prejudica a dissipação do calor para o meio ambiente, interferindo na termorregulação. O desempenho de jogadores de futebol é menor no segundo tempo de jogo quando comparado ao primeiro tempo, e isto pode ser devido a alterações metabólicas decorrentes da desidratação pelo exercício no calor. OBJETIVO: investigar o efeito da desidratação no tempo de reação (TR) de atletas submetidos a exercício intermitente. MÉTODOS: Dez jovens atletas de futebol (17±0,8 anos de idade) foram solicitados a realizar testes de TR durante exercício intermitente dentro de uma câmara ambiental com temperatura de 34ºC e URA de 50%. O protocolo incluiu sessões de exercícios na esteira ergométrica, simulando intensidades que ocorrem durante partidas de futebol, como caminhadas e corridas em diferentes velocidades, durante duas etapas de 45 minutos, com intervalo de 15 minutos. Durante o período de caminhada, foram realizados testes de TR. Em uma destas sessões os indivíduos foram reidratados com água e, na outra, os mesmos mantiveram-se desidratados. A ordem das sessões foi randomizada. O TR, a freqüência cardíaca e a taxa de percepção ao esforço foram avaliados periodicamente. RESULTADOS: Não houve diferença significativa no TR entre as sessões. Não houve diferença significativa no número de erros e na taxa de percepção ao esforço nos testes realizados. Foi encontrada diferença significativa entre as sessões com o aumento na freqüência cardíaca (maior na desidratada) dos indivíduos (p=0,005). CONCLUSÃO: Os jogadores de futebol não reduzem o TR quando desidratados por um exercício que simula uma partida de futebol.
Abstract INTRODUCTION: Exercise-induced dehydration combined with fluid restriction and warm environment may impair both physical and cognitive performance mainly when levels of dehydration are higher than 2% of body weight. This process affects heat dissipation to the surroundings, leading to an ineffective thermoregulation. Football players` performance is decreased at the second half of the match when compared to the first half. Such response may be due to a decrease on players` cognitive performance caused by exercise-induced dehydration. OBJECTIVE: To investigate the effect of dehydration on reaction time of football players submitted to intermittent exercise bouts. METHODS: Ten young football players (17±0.8 years old) performed tasks of reaction time during an intermittent exercise bout inside an environmental chamber with a temperature of 34°C and relative humidity of 50%. The protocol included bouts of exercise on a treadmill, simulating the intensities that occur throughout football match including walking and running in different speeds during two halves of 45 min, with a break of 15 min in between. Tasks of reaction time were performed during the walking moment. In one of these bouts, the players were rehydrated with plain water, whereas in the other bout the athletes remained dehydrated, bouts were randomized. Heart rate, auricular temperature, and rate of perceived exertion were continuously monitored. RESULTS: There was no difference in reaction time between bouts. There was no difference regarding the number of errors in the tasks performed, neither regarding the rate of perceived exertion. Heart rate were different between bouts, higher in dehydration trial, p=0.05. CONCLUSION: Football players showed no changes in reaction time even when dehydrated through an exercise bout simulating a football match.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/13804
Arquivos Descrição Formato
000655257.pdf (299.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.