Repositório Digital

A- A A+

Diatomáceas(Bacillariophyta dos rios formadores do Delta do Jacuí, Rio Grande do Sul:composição florística e variação sazonal

.

Diatomáceas(Bacillariophyta dos rios formadores do Delta do Jacuí, Rio Grande do Sul:composição florística e variação sazonal

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Diatomáceas(Bacillariophyta dos rios formadores do Delta do Jacuí, Rio Grande do Sul:composição florística e variação sazonal
Autor Laux, Marcele
Orientador Torgan, Lezilda Carvalho
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Programa de Pós-Graduação em Botânica.
Assunto Taxonomia vegetal : Algas : Teses : Brasil Rio Grande do Sul
Resumo Nesta dissertação buscamos abordar dois aspectos pouco usuais, a análise de diatomáceas com plastídeos e sua aplicação no estudo da comunidade no plâncton de sistemas lóticos. Os rios Gravataí, Sinos, Caí e Jacuí têm importância ambiental e social, uma vez que, junto com seus afluentes, drenam grande parte da rede hidrográfica do Estado. Enquanto sustentam a população com o abastecimento de água, suportam seus rejeitos, o que faz deles grandes “guerreiros” - fortes e vulneráveis em uma sociedade de desenvolvimento ainda pouco sustentável. As diatomáceas são peças chaves no diagnóstico e monitoramento ambiental em diversos países. Suas sensibilidades as tornam raras, mas suas tolerâncias as tornam porta vozes do impacto ambiental da nossa civilização. Podem permanecer no ambiente como resquício de condições passadas e podem ser determinantes das condições atuais. Para esta última interpretação, procuramos algo que pudesse garantir seu potencial bioindicador: os plastídeos. Normalmente negligenciados, completamente excluídos pelas técnicas de oxidação, neste trabalho passaram a ser protagonistas. Acreditamos que eles possam nos mostrar o que as valvas vazias de diatomáceas já tentavam nos dizer A partir do estudo da composição taxonômica da comunidade de diatomáceas com plastídeos íntegros, partimos para a análise ecológica dos dados, buscando inferir padrões da composição relativos às particularidades ambientais de cada rio. Apresentamos aqui as respostas dessa comunidade às variáveis ambientais impostas pela geografia, pelo clima e por nós. O estudo das diatomáceas na foz dos rios formadores do Delta do Jacuí só foi possível devido ao apoio do Departamento Municipal de Águas e Esgotos de Porto Alegre (DMAE), que realizou as coletas e forneceu os dados físicos e químicos necessários para este estudo.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/139176
Arquivos Descrição Formato
000788701.pdf (13.12Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.