Repositório Digital

A- A A+

Situação de saúde de mães e crianças em um município da periferia de Luanda, Angola, e a potencial contribuição dos agentes comunitários de saúde

.

Situação de saúde de mães e crianças em um município da periferia de Luanda, Angola, e a potencial contribuição dos agentes comunitários de saúde

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Situação de saúde de mães e crianças em um município da periferia de Luanda, Angola, e a potencial contribuição dos agentes comunitários de saúde
Autor Humbwavali, João Baptista
Orientador Duncan, Bruce Bartholow
Data 2011
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Atenção primária à saúde
Auxiliares de saúde comunitária
Luanda (Angola)
Saúde da criança
Saúde materna
Serviços de saúde comunitária
[en] Angola
[en] Child‟s Health
[en] Community Health Worker
[en] Maternal Health
[en] Primary Health Care
Resumo Introdução: Angola se encontra em fase de construção do seu sistema de saúde, que foi amplamente destruído por décadas de guerra. Porém, os dados disponíveis são pouco confiáveis para subsidiar o planejamento de intervenções como o Programa de Agentes Comunitários de Saúde, que começou a ser implantado na periferia da capital Luanda em 2007. O objetivo do presente estudo é descrever a situação de saúde de mães e crianças e a sua utilização dos serviços de saúde, bem como fatores socioeconômicos correlacionados. Métodos: Estudo de prevalência, incluindo crianças menores de dois anos de idade e suas mães. Foram selecionados quatro bairros em duas comunas do município de Cacuaco. Os domicílios foram selecionados seguindo um método sistemático com início aleatório. Foram realizadas entrevistas com as mães, bem como aferições do peso e comprimento das crianças. A análise foi descritiva, baseada em medidas de frequência. A significância estatística da associação de escolaridade e situação econômica com alguns desfechos selecionados foi avaliada por meio do teste do qui-quadrado. Resultados: No período entre 18/08 e 24/09/2010, foram entrevistadas 749 mães, com média de idade de 26 anos. As perdas e recusas foram de 95 (13%) e 10 (1,3%) respectivamente. Cada mãe tinha, em média, três filhos. Destas, 720 (98,5%; IC 95% 98% - 99%) referiram ter feito consulta pré-natal, 373 (51,7%; IC 95% 47% – 56%), tinham consigo o cartão da gestante, 257 (76,7%; IC 95% 72% – 81%) iniciaram as consultas de pré-natal antes das 20 semanas e 222 (60,3%; IC 95% 55% – 65%) realizaram quatro ou mais consultas. Dentre as mães, 520 (69,5%; IC 95% 69% – 96%) realizaram o parto no serviço de saúde, 602 (81,1%; IC 95% 78% – 84%) possuíam o cartão de saúde da criança e 51 (19,0%; IC 95% 16% – 23%) amamentaram exclusivamente até ao sexto mês. A análise bivariável mostrou que a escolaridade da mãe, mais do que a situação econômica, esteve associada a quase todos os desfechos testados, incluindo número de consultas de pré-natal e a proporção de partos assistidos nos serviços de saúde. Conclusões: Percebe-se a alta prevalência de mães que referiram ter feito acompanhamento pré-natal, tendo iniciado o mesmo antes das 20 semanas de gestação, 11 e um número médio de consultas satisfatório, contrastando com uma proporção ainda alta de partos domiciliares e uma prevalência baixa de amamentação exclusiva. A posse do cartão de saúde, principalmente o infantil foi bastante comum, o que parece ser um avanço importante na melhoria do acompanhamento das crianças. Os dados encontrados no presente estudo, quando comparados a dados de outras fontes, indicam, apesar de suas limitações, progresso no município de Cacuaco. Isso pode estar relacionado a diversos fatores, dentre eles o processo de mudanças advindo da política de Revitalização dos Serviços Municipais de Saúde. Esses achados podem servir para o planejamento de saúde local bem como uma linha de base para avaliar futuras intervenções. Além disso, apoiados na evidência sobre a efetividade do agente comunitário de saúde em situações semelhantes, sugerem campo fértil para a introdução de um sistema de atenção primária com forte atuação do agente comunitário de saúde em Angola.
Abstract Introduction: Angola is currently facing the challenge of building its health system, which was largely destroyed by decades of war. However, available data are not reliable enough to base the planning of interventions, such as the Community Health Workers Program, which started to be implemented in the suburban area of Luanda in 2007. The objective of this study is to describe the health status of mothers and children and their utilization of health services in one municipality in the suburban area of Luanda, as well to investigate socioeconomic correlates of these factors. Methods: Cross-sectional study, including children under 2 years of age and their mothers. Four neighborhoods were selected in the municipality of Cacuaco. Households were selected according to a systematic method with random start. Mothers were interviewed, and children were weighed and measured. Descriptive analysis was performed based on frequency estimates. The statistical significance of the association of educational level and economic situation with selected outcomes was evaluated with the chi-square test. Results: Over the period of 18/08 to 24/09/2010, 749 mothers, of mean age 26 years, were interviewed. Losses and refusals were 95 (13%) and 10 (1.3%) respectively. Mothers had, on average, 3 children; 720 (98.5%; IC 95% 98% - 99%) informed having attended antenatal visits, 373 (51.7%; IC 95% 47% – 56%) could present their health cards, 257 (76.7%; IC 95% 72% – 81%) initiated antenatal care before 20 weeks of pregnancy, and 222 (60.3%; IC 95% 55% – 65%) attended to four or more visits. Further, 520 mothers (69.5%; IC 95% 69% – 96%) delivered in a health facility, 602 (81.1%; IC 95% 78% – 84%) had their child‟s health card in their possession; and 51 (19.0%; IC 95% 16% – 23%) exclusively breastfed until six months. Mother‟s educational attainment, more so than her economic situation, was associated with almost all outcomes tested, including the number of antenatal visits and proportion of deliveries performed in a health facility. Conclusions: The high prevalence of mothers informing having attended antenatal care is notable, as well as the early initiation of antenatal care and the satisfactory number of visits (four or more). In contrast, the proportion of deliveries performed at home was high, and the prevalence of exclusive breastfeeding low. Possessing health cards, especially the child‟s, an important step toward the improvement of child health followup, was very common. These data, when compared with those of other sources, show 13 important progress in Cacuaco. This is likely due to many factors, including changes resulting from the policy of Revitalization of Municipal Health Services. These findings can support local health planning, as well as can serve as a baseline to assess future interventions. Moreover, based on the evidence of the effectiveness of community health workers in similar situations, they suggest a fertile field for the introduction of a primary health care system with a strong presence of community health workers in Angola.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/139191
Arquivos Descrição Formato
000819631.pdf (5.482Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.