Repositório Digital

A- A A+

Resposta secretória de peptídeo YY 3-36 após Sobrecarga oral aguda de fonte de ácidos graxos monoinsaturados e fonte de ácidos graxos saturados em ratos wistar

.

Resposta secretória de peptídeo YY 3-36 após Sobrecarga oral aguda de fonte de ácidos graxos monoinsaturados e fonte de ácidos graxos saturados em ratos wistar

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Resposta secretória de peptídeo YY 3-36 após Sobrecarga oral aguda de fonte de ácidos graxos monoinsaturados e fonte de ácidos graxos saturados em ratos wistar
Autor Batista, Bruna Aparecida Melo
Orientador Bertoluci, Marcello Casaccia
Co-orientador Dall'Alba, Valesca
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Ácidos graxos
Ácidos graxos monoinsaturados
Apetite
Macronutrientes
Peptídeo YY
[en] Appetite
[en] Macronutrients
[en] Monounsaturated fatty acids
[en] Peptide YY
[en] Saturated fatty acids
Resumo INTRODUÇÃO: Peptídeos secretados pelo trato gastrointestinal tem sido objeto de grande interesse para a compreensão dos mecanismos regulatórios da fome e saciedade. Dentre tais peptídeos, o peptídeo YY (PYY) tem sido alvo de muitas pesquisas por ser importante modulador do apetite. O PYY é secretado pelas células L intestinais e circula sob duas formas: PYY 1-36 e PYY 3-36. Estudos mostram que administração periférica desse peptídeo, principalmente a forma PYY 3-36, leva a efeitos inibitórios no apetite. Fisiologicamente, os níveis plasmáticos de PYY são baixos no jejum e se elevam após alimentação, sendo a forma PYY 3-36 predominante no período pós-prandial. A composição da dieta influencia a secreção desse peptídeo, com lipídeos e proteínas sendo estimuladores mais potentes. Ainda, há evidência de que obesos possuem menores níveis plasmáticos de PYY no jejum e menor resposta secretória pós-prandial. OBJETIVOS: Avaliar, por meio de experimento controlado, o efeito de sobrecarga oral de fonte de ácidos graxos monoinsaturados (óleo de oliva), de fonte de ácidos graxos saturados (banha suína) e glicose na secreção aguda da forma PYY 3-36 em ratos Wistar. MÉTODOS: Foram utilizados 36 ratos Wistar (~300g), distribuídos em 4 grupos de acordo com as sobrecargas orais isocalóricas (~7,8 kcal) administrada por gavagem: MONO (óleo de oliva), SAT (banha suína), GLI (glicose) e Controle (água). O veículo para os macronutrientes foi água pura. O volume total calculado do conteúdo a ser administrado foi de 0,8% em relação ao peso corporal do animal. Os níveis séricos de PYY 3-36 foram medidos por meio do Luminex® com o kit Milliplex Map Rat Gut Hormone Panel – Millipore/Linco® nos tempos 0, 15, 30, 60 e 120 minutos, e analisados por ANOVA e teste de Tukey para múltiplas comparações. O incremento nos níveis de PYY 3-36 entre 0 e 120 minutos foi expresso pela área sob a curva (ASC). RESULTADOS: Os níveis de PYY 3-36 do grupo MONO foram significativamente maiores do que o Controle nos tempos 30, 60 e 120 minutos (p<0,05), e a ASC para MONO foi significativamente maior que a ASC para o Controle (p<0,05). Os níveis séricos de PYY 3-36 no grupo MONO foram maiores comparados ao grupo SAT no tempo 120 minutos e ao grupo GLI no tempo 60 minutos (p<0,05). Os níveis séricos de PYY 3-36 de SAT não diferiram do Controle em nenhum tempo da curva. CONCLUSÃO: A pesquisa e os experimentos conduzidos neste trabalho, somados à revisão de literatura, levam à conclusão de que a secreção de PYY é modulada de forma importante pelos componentes da dieta. Avaliando o efeito de macronutrientes com potencial obesogênico na secreção de PYY, nossos resultados mostram que a forma PYY 3-36 é estimulada de forma mais potente por lipídeos fonte de ácidos graxos monoinsaturados, em comparação com lipídeos fonte de ácidos graxos saturados, enquanto carboidratos (glicose) apresentam fraco estímulo na secreção dessa forma específica do PYY. A capacidade dos ácidos graxos monoinsaturados em induzir saciedade através do PYY 3-36 precisa ser avaliada em futuros estudos.
Abstract INTRODUCTION: Peptides released from the gastrointestinal tract has been subject of great interest for understanding the regulatory mechanisms of hunger and satiety. Among these peptides, the peptide YY (PYY) has been object of many researches because it is important modulator of appetite. PYY is secreted by intestinal L-cells and circulates in two forms: PYY 1-36 e PYY 3-36. Several studies show that peripheral administration of this peptide, mainly the form PYY 3-36, leads to inhibitory effects on appetite. Physiologically, the plasma levels of PYY are low in fasting state and rise after feeding, and the form PYY 3-36 is predominant in the postprandial period. The composition of diet influences the secretion of this peptide, with lipids and proteins being more potent stimulators. Still, studies show that obese individuals have lower PYY levels in fasting state and lower secretory response in the postprandial period. OBJECTIVE: To evaluate, through controlled experiment, the effect of oral overload of source of monounsaturated fatty acids (olive oil), source of saturated fatty acids (lard) and glucose on acute secretion of the form PYY 3-36 in Wistar rats. METHODS: We used 36 Wistar rats (~300g), divided into 4 groups according to oral overload isocaloric (~7.8 kcal) administered by gavage: MUFA (olive oil), SAT (lard), GLU (glucose) and Control group (water). The vehicle for the macronutrients was pure water. The total estimated volume of content to be administered was 0.8% over the animal body weight. The serum levels of PYY 3-36 were measured using the Luminex™, with the Milliplex Map Rat Gut Hormone Panel – Millipore/Linco™ kit, at 0, 15, 30, 60 and 120 minutes after overload, and were analyzed by ANOVA and Tukey test for multiple comparisons. The increment in serum levels of PYY 3-36 between 0 and 120 minutes was expressed by the area under de curve (AUC). RESULTS: Serum levels of PYY 3-36 for MUFA were significantly higher than the Control at 30, 60 and 120 minutes (p<0.05), and AUC for MUFA was significantly higher than AUC for Control (p<0.05). Serum levels of PYY 3-36 for MUFA were significantly higher compared to SAT at 120 minutes, and higher than GLU at 60 minutes (p<0.05). Serum levels of PYY (3-36) for SAT did not differ from Control at any time of the curve. CONCLUSION: The research and experiments conducted in this work, added to the review of the literature, lead to the conclusion that the secretion of PYY is significantly modulated by dietary components. Evaluating the effect of macronutrients potentially obesogenic, our results show that the form PYY 3-36 is stimulated more potently by lipids source of monounsaturated fatty acids, compared with lipids source of saturated fatty acids, while carbohydrates (glucose) have a poor stimulus in the secretion of this specific form of PYY. The able of monounsaturated fatty acids to induce satiety through PYY 3-36 needs to be evaluated in future studies.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/139236
Arquivos Descrição Formato
000820481.pdf (436.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.