Repositório Digital

A- A A+

Strain longitudinal global e síndrome metabólica no ELSA-Brasil : uma análise por ecocardiografia bidimensional speckle-tracking

.

Strain longitudinal global e síndrome metabólica no ELSA-Brasil : uma análise por ecocardiografia bidimensional speckle-tracking

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Strain longitudinal global e síndrome metabólica no ELSA-Brasil : uma análise por ecocardiografia bidimensional speckle-tracking
Autor Cañon-Montañez, Wilson
Orientador Schmidt, Maria Inês
Co-orientador Foppa, Murilo
Data 2016
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Adulto
Ecocardiografia
Saúde do adulto
Síndrome X metabólica
Resumo A presente tese de doutorado foi realizada com o objetivo de investigar a associação entre a síndrome metabólica (SM) e seus componentes com o strain longitudinal global (GLS) medido pela ecocardiografia bidimensional speckle-tracking (2D-STE) em indivíduos de meia idade (35 a 74 anos) no contexto brasileiro. O trabalho foi realizado com dados basais (2008-2010) da amostra aleatória do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (ELSA-Brasil), que se trata de um estudo de coorte multicêntrico composto por 15105 homens e mulheres, servidores civis, ativos e aposentados de seis instituições de ensino superior e pesquisa brasileiras. Nesta tese, foram investigadas associações entre a SM e seus componentes com o GLS, para identificar disfunção ventricular esquerda subclínica nos participantes do ELSA-Brasil. Entre os participantes que preencheram os critérios de inclusão [53% mulheres; 52 ± 9 anos], 42% tinham SM. Os indivíduos com SM apresentaram piores valores de GLS [(-18,0 ± 2,5%) do que aqueles sem SM (-19,0 ± 2,4%), p <0,0001], e quase duas vezes a prevalência de disfunção sistólica subclínica. Na análise de regressão linear múltipla, o GLS foi associado com SM, mesmo após o ajuste para sexo, idade, raça/cor, escolaridade, centro de investigação, frequência cardíaca e fração de ejeção do ventrículo esquerdo por 2D-STE (β= 0,58; p <0,0001), mas o tamanho do efeito foi atenuado após ajuste para o índice de massa corporal (β= 0,39; p =0,004). A razão de prevalência ajustada de GLS alterado foi maior na SM em comparação com aqueles sem SM para 1.0 desvio padrão (GLS=-16,1%; RP= 1,45 [IC 95%: 1,09-1,93]) e 1.5 desvio padrão (GLS=-14,8%; RP = 1,93 [IC 95%: 1,25 - 2,99]). Em relação aos componentes da SM, a análise de regressão quantílica ajustada mostrou que a circunferência da cintura elevada foi independentemente associada com o GLS alterado (percentil 95), mesmo após o ajuste para os principais confundidores (p <0,0001). De acordo com os resultados do estudo, evidenciou-se que a SM é independentemente associada com a alteração da função sistólica do ventrículo esquerdo avaliada por GLS. Além disso, demonstrou-se que a circunferência da cintura elevada é o principal componente associado à alteração do strain miocárdico dentre os critérios atualmente propostos para o diagnóstico de SM. Os achados sugerem a presença de uma alteração precoce subclínica da contratilidade miocárdica relacionada com obesidade abdominal e SM.
Abstract The present doctoral thesis aimed to investigate the association between metabolic syndrome (MetS) and its components with global longitudinal strain (GLS) measured by two-dimensional speckle-tracking echocardiography (2D-STE) in middle-age individuals (35 to 74 years) in the Brazilian context. This investigation was carried out with baseline data (2008-2010) from the Brazilian Longitudinal Study of Adult Health (ELSA-Brasil) which is a multicenter cohort study composed of 15,105 men and women, civil servants, active and retired, from universities or research institutions located in six states of Brazil. In this thesis, we investigated associations between MetS and its components with GLS to identify subclinical left ventricular dysfunction in participants from ELSA-Brasil. Among the participants who fulfilled the inclusion criteria [53% women; 52 ± 9 years], 42% had MetS. Individuals with MetS had worse GLS [(-18.0 ± 2.5%) than those without MetS (-19.0 ± 2.4%), p <0.0001], and about twice the prevalence of subclinical systolic dysfunction. In multiple linear regression analysis, GLS was associated with MetS even after adjusting for sex, age, race/color, educational level, study center, heart rate, and LV ejection fraction by 2D-STE (β= 0,58; p < 0,0001), but the effect was attenuated after adjusting for body mass index (β= 0,39; p =0,004). The adjusted prevalence ratio of altered GLS was higher in MetS compared to those without MetS for the 1.0 SD (GLS=-16.1%; PR=1.45 [95% CI: 1.09 - 1.93]) and 1.5 SD (GLS=-14.8%; PR=1.93 [95% CI: 1.25 - 2.99]) cut-offs. According to MetS components, adjusted quantile regression analysis showed that elevated waist circumference was independently associated with altered GLS (95th quantile), even after adjusting for main confounders (p < 0.0001). The results of this study showed that MetS is independently associated with left ventricular impaired systolic function by GLS. In addition, it was demonstrated that elevated waist circumference is the main component associated with impaired myocardial strain among the currently proposed criteria for diagnosis of MetS. The findings suggest the presence of an early subclinical myocardial contractility impairment related to abdominal obesity and MetS.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/139778
Arquivos Descrição Formato
000990219.pdf (960.8Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.