Repositório Digital

A- A A+

Manejo da dor lombar crônica inespecífica nos serviços de fisioterapia do Sistema Único de Saúde de Porto Alegre

.

Manejo da dor lombar crônica inespecífica nos serviços de fisioterapia do Sistema Único de Saúde de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Manejo da dor lombar crônica inespecífica nos serviços de fisioterapia do Sistema Único de Saúde de Porto Alegre
Autor Desconsi, Marcele Bueno
Orientador Vieira, Adriane
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano.
Assunto Coluna vertebral
Dor lombar
Fisioterapia
[en] Attitudes and beliefs
[en] Low back pain
[en] Pain management
[en] Physical therapy specialty
[en] Unified health system
Resumo A dor lombar crônica inespecífica (DLCI) é uma condição prevalente que gera custos econômicos para os indivíduos e a sociedade. Há consenso na literatura que a DLCI é multifatorial e apesar de as diretrizes clínicas recomendarem que seu manejo seja baseado na orientação de tratamento biopsicossocial, a literatura demonstra que a orientação biomédica ainda é influente entre os profissionais da saúde. Porém, no Brasil, pouco se sabe sobre a orientação de tratamento adotada pelos fisioterapeutas no manejo da DLCI, principalmente no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS) e a avaliação das atitudes e crenças desses profissionais permite uma melhor compreensão da orientação de tratamento por eles adotada em sua prática bem como seu possível impacto no manejo da DLCI. Além disso, estudos demonstram que fatores como ambiente de trabalho, educação e idade dos profissionais de saúde são capazes de influenciar as suas crenças e atitudes no manejo da DLCI e conhecê-los pode contribuir para proposição de intervenções mais pontuais junto a esses profissionais. Entretanto, a influência desses fatores ainda não foi bem estabelecida. Assim, a presente dissertação de mestrado foi composta de dois artigos. O primeiro artigo revisou sistematicamente a associação de uma orientação de tratamento no manejo de pacientes com DLCI ao perfil demográfico e profissional de fisioterapeutas. Os resultados de nossa revisão sistemática demonstram moderada evidência sobre a influência do sexo feminino sobre a adoção de uma orientação biopsicossocial e do local de trabalho privado sobre a adoção de uma orientação de tratamento biomédica entre fisioterapeutas no manejo da DLCI. Concluímos, portanto, que fatores demográficos e profissionais são capazes de influenciar a prática profissional adotada pelos fisioterapeutas. O segundo artigo descreveu atitudes e crenças dos fisioterapeutas que atuam pelo SUS em Porto Alegre no manejo de usuários com DLCI e identificou a relação entre suas características demográficas e profissionais e as orientações de tratamento da DLCI. Este estudo foi de base populacional, transversal, sendo utilizado na coleta de um questionário demográfico e profissional e o questionário Pain Attitudes and Beliefs Scale for Physiotherapists (PABS-PT). O segundo estudo contou com 49 fisioterapeutas e os resultados evidenciaram maior concordância com crenças e atitudes relacionadas à orientação biomédica, sendo a pontuação nessa escala 15,5% maior que na comportamental, e uma correlação regular e positiva entre o tempo de formação com a escala comportamental. Concluímos que, diferentemente do que propõem diretrizes internacionais sobre o manejo da DLCI, crenças e atitudes relacionadas à orientação de tratamento biomédica ainda são predominantes entre fisioterapeutas no manejo de usuários com DLCI do SUS em Porto Alegre.
Abstract Non-specific chronic low back pain (NCLBP) is a prevalent condition that causes economical costs for individuals and society. There is a common agreement in its literature saying that NCLBP is multifactorial and although the clinical guidelines recommend managing it based on biopsychosocial orientation for treatment, literature shows that this biomedical orientation is still an influence among health professionals. In Brazil, however, little do we know about the orientation of treatment adopted by physiotherapists in managing NCLBP, mainly in Unified Health System context and the evaluation of attitudes and beliefs of these professionals allow a better understanding of treatment orientation by them in their practices as well as their possible impact in NCLBP management. Moreover, studies show that the work environment, education and age of the health professionals are able to influence their beliefs and attitudes in the management of NCLBP and that knowing them can contribute to propose punctual intervention to the health professionals. Nevertheless, the influence of these factors was not well established yet. Thus, the present master’s work was composed of two studies. The first study systematically reviewed the association of a treatment orientation in managing patients of non-specific chronic low back pain to the demographic and professional profile of physiotherapists. The results of our systematic review showed moderate evidence on the influence of women on the adoption of a biopsychosocial orientation for treatment and private workplace on the adoption of a biomedical orientation for treatment of physiotherapists in the management of NCLBP. Therefore, demographic and professional factors can influence professional practice adopted by physiotherapists in the management of NCLBP. The second study described attitudes and beliefs of the physical therapists who work at Unified Health System in Porto Alegre in the management of patients with NCLBP and identified the relationship between their demographic and professional characteristics and orientation for treatment of NCLBP. This study of inhabitants, cross-sectional and the data were collected through a demographic and professional questionnaire and a Pain Attitudes and Beliefs Scales for Physiotherapists (PABS-PT) questionnaire. The second study included 49 physiotherapists and the results showed a bigger agreement to beliefs and attitudes related to biomedical orientation, the score on this scale being 15,5% higher than in behavior and a regular and positive correlation of time training and behavior scale. We conclude that differently from what international guidelines establish about NCLBP management, beliefs and attitudes related to biomedical treatment orientations still are prevalent among physiotherapists in managing patients of NCLBP from Unified Health System in Porto Alegre.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/140083
Arquivos Descrição Formato
000989286.pdf (778.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.