Repositório Digital

A- A A+

Distribuição de espécies ameaçadas como indicador de áreas prioritárias para conservação marinha na Bacia de Pelotas, no Sul do Brasil

.

Distribuição de espécies ameaçadas como indicador de áreas prioritárias para conservação marinha na Bacia de Pelotas, no Sul do Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Distribuição de espécies ameaçadas como indicador de áreas prioritárias para conservação marinha na Bacia de Pelotas, no Sul do Brasil
Autor Silva, Lais Gliesch
Orientador Ott, Paulo Henrique
Co-orientador Carvalho, Lucas Milmann de
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Ênfase em Biologia Marinha e Costeira: Bacharelado.
Assunto Conservação e proteção da natureza
Distribuição geográfica : Animais
Extinção das espécies
Unidades de conservação : Proteção da natureza : Rio Grande do Sul
[en] Conservation Units
[en] Franciscana dolphin
[en] Sea turtles
[en] “Seach rocks”
Resumo As áreas marinhas protegidas são um importante instrumento para garantir a manutenção da biodiversidade nos oceanos, especialmente frente ao crescente interesse e exploração dos recursos naturais. Contudo, as Unidades de Conservação (UCs) existentes no sul do Brasil são ainda reduzidas e restritas ao Refúgio da Vida Silvestre da Ilha dos Lobos e uma pequena fração do Parque Nacional da Lagoa do Peixe. Com o intuito de identificar novas áreas marinhas prioritárias para conservação, o presente estudo analisou a distribuição de espécies ameaçadas de extinção e a localização de parcéis na Bacia de Pelotas. A área de estudo está localizada entre a Barra de Araranguá, no litoral de Santa Catarina (SC), e a Barra da Lagoa do Peixe, no litoral do Rio Grande do Sul (RS), tendo como limites à oeste a faixa de praia, e à leste a isóbata de 50 m, totalizando 9.678,6 Km2. A toninha, Pontoporia blainvillei, foi escolhida como espécie focal por ser um golfinho costeiro que apresenta altos níveis de mortalidade em redes de pesca na região, e por isso encontra-se classificada como “criticamente em perigo” na Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção. Foram incluídos no estudo dados referentes à distribuição de tartarugas marinhas, uma vez que as cinco espécies da região encontram-se ameaçadas de extinção, variando de “vulnerável” à “criticamente em perigo”. Os dados foram obtidos através de levantamentos aéreos realizados em 2004 e 2014, incluindo ainda capturas acidentais de toninhas de 1997 à 2003. Um estudo etnobiológico com pescadores de Torres (RS)/Passo de Torres (SC), e Imbé (RS) foi dirigido no intuito de obter informações sobre a localização dos parcéis na região. Tanto as espécies ameaçadas quanto os parcéis foram considerados como atributos para as análises de concentração de pontos. A área de estudo foi dividida em 449 células de 5 x 5 Km cada, sendo que as células periféricas ficaram fora do padrão devido à irregularidade das bordas. Todos registros e pontos de interesse foram georreferenciados e os mapas elaborados com o software ArcMap 10.2.2. Foram registradas a localização geográfica de 146 toninhas e 72 tartarugas, além da posição de seis parcéis. No total 82 células tiveram a presença de pelo menos um desses atributos. A análise da distribuição espacial dos registros indica uma maior concentração das espécies ameaçadas entre as latitudes 29°51’20’’S e 30°25’20’’S, no Rio Grande do Sul. Contudo, a distribuição das toninhas e das tartarugas parece não ser completamente coincidente, sendo a maioria dos registros de toninha (65,6%) observados até a isóbata de 25 m, enquanto a maioria dos registros de tartaruga (88,9%) está além dessa profundidade. Os resultados encontrados demonstram a importância de que as futuras unidades de conservação na região sejam amplas o suficiente para garantir a proteção desse conjunto de espécies ameaçadas, as quais apresentam diferentes requerimentos ecológicos.
Abstract The protected marine areas are an important tool to ensure maintenance of the biodiversity in the oceans, especially considering the growing interest and exploration of natural resources. Nevertheless, the Conservation Units in the South of Brazil, are still few, confined to the “Refúgio da Vida Silvestre at the Ilha dos Lobos” and to a small portion of the “Parque Nacional da Lagoa do Peixe”. Aiming to identify new marine priority areas for conservation, the present study analyzed the distribution of endangered species and the locuses of “beachrocks” at the Bacia de Pelotas. The studied area is located between the Barra de Araranguá in the coast of the State of Santa Catarina (SC) and the Barra da Lagoa do Peixe, in the coastal Rio Grande do Sul (RS), setting as limits the belt of beaches at the west, and the isóbata de 50m at the east, comprising 9.678,6km2. The franciscana dolphin, Pontoporia blaivillei, has been chosen as the focal species by reason of being a coastal dolphin with high mortality rates in fishing nets at the region. It has been, therefore, classified as critically in danger at the list of the Brazilian fauna species threatened by extinction. Data regarding the distribution of the sea turtles have been included in the study given that all five species encountered at the region are endangered, varying from “vulnerable” to “critically in danger”. Data have been collected through aerial surveys conducted between 2004 and 2014. An ethnobiological study with fishermen from the cities of Torres (RS), Passo de Torres (SC) and Imbé (RS) has been conducted in order to obtain the location of the “beachrocks” on the region. The area studied has been divided into 449 cells of 5X5km each, considering that the peripheral cells were set out of the standard due to the irregularity in its borders. All of the recordings and interest points have been geo-referenced and the maps elaborated using the software ArcMap 10.2.2. In total, 146 franciscana dolphins and 72 turtles were accounted in the study, besides the location of six reefs (“beach rocks”), which were obtained from the ethnobiological study conducted with the fishermen. Altogether, 82 cells included at least one of these attributes. The analysis of the points’ spatial distribution indicates a higher concentration of endangered species between the latitudes of 29°51’20’’S and 30°25’20’’S in the state of Rio Grande do Sul. However, the arrangement of the franciscana dolphin seems not to be completely coincidental to that of the turtles, considering that the majority of the registered franciscanas (65,6%) were observed until the 25m isobath, while the majority of the reported turtles (88,9%) is beyond this depth. The results encountered evince how important it is that the conservation units in the region be wide enough to guarantee the protection of this set of endangered species, which present different ecological requirements.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/140155
Arquivos Descrição Formato
000980435.pdf (1.807Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.