Repositório Digital

A- A A+

A diversificação dos meios de vida como expansão das capacitações : por uma sociologia das condições de vida na fumicultura no Rio Grande do Sul

.

A diversificação dos meios de vida como expansão das capacitações : por uma sociologia das condições de vida na fumicultura no Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A diversificação dos meios de vida como expansão das capacitações : por uma sociologia das condições de vida na fumicultura no Rio Grande do Sul
Autor Freitas, Tanise Dias
Orientador Schneider, Sergio
Co-orientador Ramos, Marilia Patta
Data 2015
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia.
Assunto Capacitação
Condições de vida
Desenvolvimento humano
Fumicultura
Rio Grande do Sul
[en] Capabilities
[en] Human development
[en] Livelihoods
[en] Living conditions
[en] Tobacco growing
Resumo Este trabalho insere-se na temática do Desenvolvimento Humano e das Condições de Vida, analisando a realidade da Fumicultura no Rio Grande Sul por uma Sociologia das Condições de Vida. A presente proposta permite uma apreciação do desenvolvimento de forma multidimensional dando ênfase à variável humana, procurando ir além dos estudos baseados nos aspectos econômicos, como a produtividade, incremento de tecnologia e geração de riqueza. As considerações teórico-metodológicas fundamentam-se essencialmente na Abordagem das Capacitações e na perspectiva da Diversificação dos Meios de Vida, a fim de entender como realmente encontram-se os meios de vida das famílias produtoras de tabaco e como estas percebem suas próprias condições. Assim, o objetivo geral deste trabalho é compreender como um processo de diversificação possibilita às famílias fumicultoras expandirem seus conjuntos capacitórios através dos seus meios e percepções de vida, criando, então, estratégias de sobrevivência e superação de um contexto de vulnerabilidade social. Logo, busca-se responder sobre quais meios e percepções comprometem esse processo de diversificação e quais fazem com que estes conjuntos de capacitações ampliem as oportunidades para melhorar as próprias condições de vida pela criação de estratégias de superação de um contexto de riscos e incerteza? Ainda, como uma maior dependência da Cadeia Produtiva do Tabaco limita oportunidades das famílias para estabelecerem um portfólio de atividades que lhes permitam ampliar seu conjunto de capacitações e, portanto, lograr melhores condições de vida? Para tanto, foi realizada uma pesquisa quantitativa com aplicação de 250 questionários a famílias produtoras de tabaco em treze municípios localizados na Região do Vale do Rio Pardo e Centro-Serra, no RS, o que representa uma amostra significativa do total de estabelecimentos familiares fumicultores. A partir das concepções teóricas, elaboraram-se dois índices, um sobre os meios de vida (IMV) e outro das percepções (IPV), tendo como base cinco dimensões: física, financeira, humana, natural e social. A fim de responder às hipóteses, as informações da pesquisa de campo foram organizadas em um banco de dados, pelo qual foram realizados testes estatísticos de para comprovar a existência de diferença entre as médias dos índices, com grau de significância maior que 0,05, permitindo então inferir explicações para o universo da amostra. Por conseguinte, os resultados atestaram que, para o conjunto das 250 famílias, os meios e percepções mais vulneráveis deram-se nas dimensões financeira e social e os ampliadores ocorreram nas dimensões natural, humana e física. Além disso, foi possível comprovar que as famílias menos dependentes da CPT, ou seja, Diversificadas, apresentaram melhores condições de vida que as Especializadas, comprovando então as hipóteses propostas por esta tese. Estas diferenças revelaram-se estatisticamente significativas nas médias das percepções humana e financeira. Quanto às médias dos meios de vida, estas apresentaram diferenças nos meios financeiro, social, humano, natural e físico, nos seguintes indicadores: renda da fumicultura, diversidade de venda da produção, pluriatividade e plurirrendimentos, acesso a informação geral e técnico-produtiva, sucessão familiar na agricultura, distribuição do tempo de trabalho, educação, bem como forma de aquisição dos insumos químicos e lenha, ferramentas de trabalho e uso da área da unidade produtiva.
Abstract This work is part of the theme of the Human Development and Living Conditions, analyzing the reality of tobacco farming in Rio Grande Sul by a Sociology of Living Conditions. This proposal allows an appreciation of the development of multidimensional way emphasizing the human variable, seeking to go beyond the studies based on economic aspects such as productivity, technology development and wealth creation. The theoretical-methodological considerations underlie mainly on the Capability Approach and the perspective of diversification of livelihoods in order to understand how really find themselves the livelihoods of farming families of tobacco and how these perceive their own conditions. Thus, the objective of this study is to comprehend how a process of diversification enables tobacco growing families expand their capacitórios sets through its assets and perceptions of life, creating then, survival strategies and overcoming the context of social vulnerability. Therefore, the aim is to answer about what assets and perceptions affect this process of diversification and which make these sets of capabilities extend the opportunities to improve their own living conditions by creating strategies for overcoming the context of risk and uncertainty? Still, as a greater dependency on the Tobacco Production Chain limits opportunities for families to establish a portfolio of activities that allow them to broaden their set of skills and hence circumvent better living conditions? To this end, a quantitative research with application of 250 questionnaires to tobacco farming families was held in thirteen municipalities in the region of Vale do Rio Pardo and Central Serra, in RS, which represents a significant proportion of total tobacco growers family establishments. Starting from the theoretical concepts has been prepared two indexes, one on the livelihoods (IMV) and another on the perceptions (IPV), based on five dimensions: physical, financial, human, natural and social. In order to respond to hypotheses, the information of the field research were organized in a database for which statistical tests were performed to prove the existence of differences between the assets of indices, degree of significance greater than 0.05, thus allowing infer explanations for the universe of the sample. Therefore, the results believe that, for the set of 250 families, the most vulnerable assets and perceptions have given up in the financial and social dimensions and enlargers occurred in natural dimensions, human and physical. Moreover, it was possible to prove that less dependent families of CPT, Diversified, had better living conditions than the Specialized then confirming the hypothesis proposed by this thesis. These differences have proved to be statistically significant in the averages of human and financial perceptions. As for averages of livelihood, they showed differences in assets: financial, social, human, natural and physical, the following indicators: income from tobacco farming, diversity in the sale of production, pluriactivity and plurirrendimentos, access to general information and technical-productive, family succession in agriculture, distribution of working time, education, and form of acquisition of chemical products and firewood, work tools and use the productive unit area.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/140174
Arquivos Descrição Formato
000990411.pdf (10.22Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.