Repositório Digital

A- A A+

Ecossistema inventado : Entre olhares e gestos, a casa aberta de pequenos objetos

.

Ecossistema inventado : Entre olhares e gestos, a casa aberta de pequenos objetos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Ecossistema inventado : Entre olhares e gestos, a casa aberta de pequenos objetos
Autor Nery, Roseli Aparecida da Silva
Orientador Salvatori, Maristela
Data 2016
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Artes. Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais.
Assunto Arte
Ecossistema
Escala
Imaginação
Objeto cotidiano
Simbiose
[en] Daily object
[en] Ecosystem
[en] Imagination
[en] Scale
[en] Symbiosis
Resumo Esta tese é o resultado de uma extensa investigação a respeito do processo criativo pessoal que envolve a invenção de um ecossistema como poética artística. Ela é a resposta para a possibilidade de construir uma poética visual coerente baseada nos conceitos biológicos de ecossistema e simbiose que envolva construções escultóricas a partir de objetos cotidianos banais de pequeno tamanho, encontrados principalmente no ambiente doméstico. Baseada nas experiências pessoais prévias, dedicadas ao objeto na arte, e focada na busca por objetos comuns passíveis de produzirem interação simbiótica foi construído um conjunto de trabalhos envolvendo objetos, fotografias, pessoas e o espaço, os quais foram ordenados para melhor identificação segundo suas características quanto ao suporte e ao procedimento técnico. São eles: a) conjuntos simbióticos verticais, que podem ser compartimentados, livres ou mistos - aqueles cujo substrato de apoio é vertical como a parede; b) conjuntos simbióticos horizontais - aqueles cujo substrato de apoio é horizontal; c) trabalhos fotográficos - trabalhos originados a partir da fotografia e, d) trabalhos macro visíveis - trabalhos confeccionados a partir de lentes ou que as requerem para melhor serem vistos. A partir de organizações de montagem intencionadas para proporcionar maior proximidade e intimidade do espectador através de movimentos do corpo, os trabalhos instigam a percepção da escala das coisas bem como dá vistas aos objetos ínfimos imperceptíveis no cotidiano. A articulação teórico-prática acontece levando-se em conta diferentes estudos relacionados ao objeto principalmente na voz de Abraham Moles, Jean Baudrillard e Gaston Bachelard. Além de dialogar com designers e diversos artistas cujas obras tangenciam aspectos desta pesquisa, articulamos reflexões com o pensamento do curador Agnaldo Farias sobre o objeto na arte contemporânea. Defendemos que o lugar para pequenos objetos no contexto da arte contemporânea é um ecossistema inventado no qual o espectador é convidado a interagir e deixar-se levar por sua fantasia e imaginação da mesma maneira que somos conquistados pelas palavras e imagens de um livro infantil.
Abstract This Thesis is the result of an extensive investigation of the personal creative process involving the invention of an ecosystem as artistic poetics. It is the answer to the possibility of building a coherent visual poetics based on biological concepts of ecosystem and symbiosis, involving sculptural constructions from banal daily objects of small size, mainly found at home. Based on previous personal experiences, dedicated to the object in art and focused on the search for common objects capable to produce symbiotic interaction, I built a body of work involving objects, photographs, people and space, which were ordered for better identification according to their characteristics of support and technical procedure. They are a) vertical symbiotic sets, which may be compartmentalized, free or mixed - those works whose substrate support is vertical as the wall; b) horizontal symbiotic sets - those works whose substrate support is horizontal; c) photographic works - works originating from photography; and d) macro visible work - work made from lenses or require them to best be displayed. From intentioned assembly organizations to provide greater closeness and intimacy of the spectator through body movements, the work instigate the perception of things scale and gives views to tiny inconspicuous objects in daily life. The theoretical and practical articulation occurs taking into account different studies related to the object mainly in the thinking of Abraham Moles, Jean Baudrillard and Gaston Bachelard. In addition of dialogue with designers and several artists whose works tangent aspects of this research, I articulate reflections with the thought of the curator Agnaldo Farias about the object in contemporary art. I argue that the place for small objects in the context of contemporary art is an ecosystem created, in which the spectator is invited to interact and let themselves be taken away by their fantasy and imagination in the same way that we are conquered by the words and images of a children's book.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/141230
Arquivos Descrição Formato
000992551.pdf (13.69Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.